Burguesia do Batel já queria mamar deitada na década de 20

Clique na imagem para ampliar.

Clique na imagem para ampliar.

O blogueiro e ativista virtual Cleverson Lima, à  luz da polêmica da calçada de granito na Rua Bispo do José, no elegante e principesco Batel!, pesquisou e levantou dado relevante: a burguesia daquela localidade sempre quis mamar deitada.

Segundo o ativista, desde a década de 20. Reportagem do jornal Gazeta do Povo, de 30 de abril de 1925, garimpada por ele, conforme fac-símile, mostra que os burgueses de antanho reclamavam das cabras soltas que invadiam quintais, destruíam jardins e as árvores das ruas. Agora reclamam que não tem calçada.

Resumo da ópera: Quem não chora não mama em pé, muito menos deitado.

Comentários encerrados.