Associação Comercial do Paraná vai à  Justiça contra feriado da Consciência Negra em Curitiba

Clique na imagem para aumentar.

Clique na imagem para aumentar.

A burguesia curitibana começou a semana de maus bofes. Primeiro, inconformada com a polêmica em torno da calçada de granito, no bairro chique do Batel, informou que vai aos tribunais contra a prefeitura para garantir a continuidade da obra (leia sobre isso clicando aqui). Agora a classe voltou-se contra o poder público municipal acerca da promulgação da lei que institui, no dia 20 de novembro, o feriado da Consciência Negra.

Segundo o presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Edson José Ramon, em anúncio pago no jornal Gazeta do Povo, edição desta terça-feira (15), a entidade tomará medidas cabíveis [contra a Câmara de Vereadores e a Prefeitura] visando reverter a lei que homenageia os negros e as negras curitibanos.

Não é a primeira vez que a ACP utiliza-se de publicidade paga para mergulhar em polêmicas. Em junho de 2012, a centenária organização lançou um confuso manifesto onde fez alerta à  sociedade brasileira! e mostrou-se preocupada com o momento político e as crescentes ameaças ao Estado de Direito e à s instituições democráticas! (relembre clicando aqui).

69 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Hey there. I found your blog by the use of Google whilst searching for a similar matter, your site got here up. It appears to be great. I have bookmarked it in my google bookmarks to visit then.

  2. I just want to say I am just very new to blogging and site-building and truly loved your blog. More than likely I’m going to bookmark your site . You amazingly come with fabulous stories. Regards for revealing your web page.

  3. É impressionante com certos assuntos criam discórdia neste país, e principalmente quando o assunto é social ou racial.
    Quem tem mais, acha que nada precisa ser mudado, quem tem menos, segue em sua luta contínua para um vida melhor, seja por melhor condições financeiras, culturais, educacionais, sociais, ou apenas por mais respeito.
    Quando se levanta a oportunidade de ter um feriado onde o objetivo principal é a CONSCIÊNCIA, e não apenas uma data para ir a praia, aos parques e/shoppings, mas sim para fazer uma reflexão sobre o racismo que esta muito vivo em nosso país, e só não percebe quem não quer. Basta ter bom senso, consciência e imparcialidade para ver que o RACISMO neste país é velado mas existe.
    Sou a favor do feriado para que se façam ações de conscientização, que as escolas contem a verdadeira história dos negros, pois e esta história fosse contada de maneira correta, ninguém perguntaria “o que os negros fizeram”.
    É facil ser branco e em alguns casos loiro de olhos claros e achar que o preconceito não existe.
    O que realmente falta para a população brasileira é conhecimento, respeito, bom senso e conscientização.

  4. Acho que se todos aqui tratassem de policiar nossos vereadores, prefeitos e a politica de uma forma geral, ao invés de discutir um feriado apenas, sem dúvidas viveríamos numa sociedade mais justa e honesta. Antes que alguém perca seu tempo escrevendo a história do Brasil, sou
    a favor do feriado.

  5. O engraçado de tudo isso, falam em racismo, mais muitos aqui se debruçam em falar mal do curitibano, eu sempre comento com meus filhos, quando eu estudava na década de 1950 no primário, ginásio e outro mais, tinha em minha sala de aula brancos, negros e amarelos, o professor dava aula igual para todos, não pedia para alguém se retirar da sala por sua cor. Portanto não há porque de disser que alguma raça tinha privilégio, o ensino era igual pra todos, eu era de uma família pobre estudava e trabalhava, e comecei a trabalhar como mensageiro e assim fui à luta, os meus companheiros de sala aula poderiam ter feito a mesma coisa, não foi negado o direito de estudar a nenhuma cor e raça. Outra coisa eu não culpo o povo de hoje pelo acontecimento de ontem sito como exemplo o povo alemão de hoje, não é culpado pelos alemães da 2ª guerra.
    Não sou alemão.
    OBS.: Nas empresas em que trabalhei o salário não distinguia a cor e nem raça e trabalhei em grandes empresas e também fui subordinado a um gerente negro.

  6. Esta ACP que vá pra pqp…trabalhar 6 dias e descansar 1 já é uma exploração,e depois só esta miséria de feriado e pontos facultativo…chega de explorar este povo sofrido, queremos trabalhar e descansar igualzinho nossos políticos.

    1º de janeiro Confraternização Universal
    6 de abril Paixão de Cristo
    21 de abril Tiradentes
    1º de maio Dia do Trabalho
    7 de setembro Independência do Brasil
    12 de outubro Nossa Senhora Aparecida
    2 de novembro Finados
    15 de novembro Proclamação da República
    25 de dezembro Natal

    pontos facultativos

    19 de fevereiro Carnaval
    20 de fevereiro Carnaval
    21 de fevereiro Quarta-feira de Cinzas (ponto facultativo até as 14h)
    07 de junho Corpus Christi
    28 de outubro Dia do Servidor Público

  7. se o porco comer lentilha pode ate melhorar.

  8. Feriado só dia 7 de setembro…gostaria de saber porque estes hipócrita não colocam um portal na cidade como as outras etnias tem… porque não criam o dia da consciência judia, árabe…

  9. Concluindo tudo que foi escrito até agora: “TODO MUNDO TEM A RECEITA DO BOLO, MAS NINGUÉM QUE TER O TRABALHO DE FAZER O MESMO, MAS NA HORA DE COMÊ-LO… AHHHH AI NÃO FALTA GENTE PARA ENTRAR NA FILA”.

    Que façam feriado e teremos mais um dia de vadiagem no Brasil, afinal este país está mesmo uma zona, pior não vai ficar e não é um feriado a mais que vai fazer a diferença no bolso dos ricos e tão pouco mudar a vida dos mais pobres.

  10. eu sou negro, precisa ter meu dia, dia do sem terra, dia dos excluidos, dia dos travestis, dia do gay, daqui uns dias dia do branco, dia ,dia, dia, dia, dia,

    vamos trabalhar ´país de preguiços.

  11. No meu tempo de primario ,era ensinado que o dia 13 de maio foi assinado a A Lei Aurea,que libertou todos os escravos do Brasil.Mas esse feriado foi com o geitinho brasileiro abolido,mas oficialmente sse feriado era guardado no brasil inteiro.O F H C acabou com muitos feriados, mas oficialmente este feriado existe galera! Por isso que falo que politico despreparado so cria confusão. Se não querem o de onze de novembro ,lutem pelo o dia 13 de maio que é oficial desde do Imperio.

  12. 13 de maio é feriado? em que pais? em Curitiba 13 de maio, é celebrado o dia municipal do Zootecnista, alguém sabe me dizer porque?

  13. Daniel seu porco facista !!!!!!!!

  14. Sabe o mas engraçado disso tudo, os brancos se importam mais com isso que os negros, e como diz o negro velho que conheci: “porque ao invés de dia da consciência negra, não me dão um postinho de saúde descente?”

  15. ja tem o 13 DE MAIO porque mais um dia mais um feriado , isto prova que o afro nao gosta de trabalhar , quem construiu esta naçao brasil fomos nos os europeus , o negro so trabahava a base do chicote.

    • E depois dizem que não existe racismo nesta cidade. Seu babaca, eu levanto todos os dias às 06:00hs da manhã e vou dormir à meia noite, trabalho de segunda a sábado e tenho que ver um idiota desses publicar esse tipo de comentário?

    • Caraca!! E Hitler então era um cara bem bacana, né merrmo!?

  16. Considerando-se os séculos de seqüestro, exploração, estupros, torturas, assassinatos do povo negro no Brasil;
    Considerando-se a exclusão, discriminação, humilhação, perseguição, racismo, preconceito, sofridos pelo povo negro no Brasil, apesar da abolição da escravatura;
    Considerando-se o embranquecimento, apagamento, esquecimento, escamoteamento da identidade cultural dos negros no Brasil e no Paraná
    Considerando-se a negação da existência da população afroparanaense por historiadores de referência em nossas bibliotecas;
    Considerando-se que o IBGE de 2008 registrou 28,5% de afrodescendentes autodeclarados no estado do Paraná;
    Considerando-se a Conferência Mundial de Durban; o Estatuto da Igualdade Racial; o Pacto Estadual de Promoção da Igualdade Racial (Paraná); as Conferências Municipais, Estaduais e Federais da Igualdade Racial; os compromissos assumidos pelo Brasil ao ratificar a Convenção das Nações Unidas para a Eliminação de todas as Formas de Discriminação Racial, de 1968; os compromissos assumidos pelo Brasil ao ratificar a Convenção n º 111, de 1958, da Organização Internacional do Trabalho, que trata da Discriminação no Emprego e na Profissão; a Declaração e o Plano de Ação emanados da III Conferência Mundial contra o Racismo, a
    Discriminação Racial, a Xenofobia e Intolerâncias Correlatas;
    Considerando-se a determinação federal de instituição em todo o território nacional de ações afirmativas: políticas públicas adotadas pelo Estado para a correção das desigualdades raciais e para a promoção da igualdade de oportunidades;

    Considerando-se o dever do Estado e da sociedade de garantir a igualdade de oportunidades, reconhecendo a todo cidadão brasileiro, independentemente da etnia, raça ou cor da pele, o direito à participação na comunidade, especialmente nas atividades política, econômica, empresarial, educacional, cultural e esportiva, defendendo sua dignidade e seus valores religiosos e culturais.

    Considerando-se a criação do programa Brasil sem Racismo e da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, SEPPIR, que abrange a implementação de políticas públicas nas áreas do trabalho, emprego e renda; cultura e comunicação; educação; saúde, terras de quilombos, mulheres negras, juventude, segurança e relações internacionais;

    Considerando-se a aprovação da lei 12.288/10 que determina a participação dos afro-brasileiros, em condições de igualdade de oportunidades, na vida econômica, social, política e cultural do País promovida, prioritariamente, por meio de:
    I ““ inclusão da dimensão racial nas políticas públicas de desenvolvimento econômico e social;
    II ““ adoção de ações afirmativas voltadas para o combate à discriminação e às desigualdades raciais;
    III ““ adequação das estruturas institucionais do Estado para o enfrentamento e a superação das desigualdades raciais decorrentes do preconceito e da discriminação racial;
    IV ““ promoção de iniciativa legislativa para aperfeiçoar o combate à discriminação racial e às desigualdades raciais em todas as suas manifestações individuais, institucionais e estruturais;
    V ““ eliminação dos obstáculos históricos, socioculturais e institucionais que impedem a representação da igualdade racial nas esferas pública e privada;
    VI ““ estímulo, apoio e fortalecimento de iniciativas oriundas da sociedade civil direcionadas à promoção da igualdade de oportunidades e ao combate às desigualdades raciais, inclusive mediante a implementação de incentivos e critérios de condicionamento e prioridade no acesso aos recursos e contratos públicos;
    VII ““ implementação de ações afirmativas destinadas ao enfrentamento das desigualdades raciais nas esferas da educação, cultura, esporte e lazer, saúde, trabalho, meios de comunicação de massa, terras de quilombos, acesso à Justiça, financiamentos públicos, contratação pública de serviços e obras, entre outras.
    § 1º Os programas de ação afirmativa constituir-se-ão em imediatas iniciativas reparatórias, destinadas a iniciar a correção das distorções e desigualdades raciais derivadas da escravidão e demais práticas discriminatórias racialmente adotadas, na esfera pública e na esfera privada, durante o processo de formação social do Brasil e poderão utilizar-se da estipulação de cotas para a consecução de seus objetivos.
    § 2º As iniciativas de que trata o caput deste artigo nortear-se-ão pelo respeito à
    proporcionalidade entre homens e mulheres afro-brasileiros, com vistas a garantir a plena participação da mulher afro-brasileira como beneficiária deste Estatuto.

    Considerando-se igualmente os seguintes artigos do Estatuto da Igualdade Racial:
    Art. 19. A população afro-brasileira tem direito a participar de atividades educacionais, culturais, esportivas e de lazer, adequadas a seus interesses e condições, garantindo sua contribuição para o patrimônio cultural de sua comunidade e da sociedade brasileira.

    Art. 31. Os planos plurianuais e os orçamentos anuais da União poderão prever recursos para a implementação dos programas de ação afirmativa a que se refere o inciso VII do art. 5º desta Lei e de outras políticas públicas que tenham como objetivo promover a igualdade de oportunidades e a inclusão social da população afro-brasileira, especialmente nas seguintes áreas:

    VII ““ apoio a iniciativas em defesa da cultura, memória e tradições africanas e afro-brasileiras.

    Art. 35. O Poder Público garantirá a plena participação da mulher afro-brasileira como beneficiária deste Estatuto da Igualdade Racial e em particular lhe assegurará:
    VI ““ a promoção de campanhas de sensibilização contra a marginalização da mulher afrobrasileira no trabalho artístico e cultural.

    Art. 73. A produção veiculada pelos órgãos de comunicação valorizará a herança cultural e a participação dos afro-brasileiros na história do País.

  17. Nada contra o dia da conciencia negra. Acho que tem que ser feriado mesmo, mas aproveito este espaço para revindicar também o dia do polaco. Nesse dia, nos vestiriámos e enfeitariamos as nossas ruas de amarelo, a cor mais bonita que existe…

  18. A ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DO PARANÁ PODIA FICAR SEM ESTA NA SUA HISTÓRIA ! É INCRÍVEL A EXTENÇÃO DA “DOR DE BARRIGA” E DA “DIARRÉIA POLÍTICA” DEVIDO A DERROTA DE LUCIANO DUCCI E INDIRETAMENTE DE BETO RICHA!

    Com esse tipo de atitude e campanha estão apelando e mostram que são uns despeitados arrogantes, deslumbrados, patéticos e ridículos capitalistas racistas, pois, precisam chamar a atenção. Enfim, perderam a referência política em Curitiba depois da derrota burguesa neoliberal contida em Luciano Ducci que tiveram que “engolir quadrada” que por sinal também foi uma invenção do principal queridinho das elites (deles) no Paraná, ou seja, Beto Richa ( Mas conhecido como o Playboy Neoliberal)!

  19. Prezados, não é o feriado que importa… o que está nos comentários acima e na nota da ACP é a apenas representação da sociedade brasileira. Estão vendo o quanto de reflexão uma pequena medida pode causar, nada vai perdoar ou apagar o passado, o complicado é imaginar o futuro com tanta intolerância. O que levou a todas atrocidades no passado (escravidão, genocídio, etc.) ainda persiste na sociedade atual sem espaço para o futuro.

  20. Sou negro, entendo a ignorância de muitos sobre o assunto, porém o que esta em debate é a ACP, querer ganhar mais e mais, o fim do Natal, Páscoa e datas que angariam lucros imensuráveis para essa entidade que até então não dispões dos seu recursos em prol da nossa cidade, não fazem uma ação social visivel para população em risco, creio que esse tipo de ação nunca sera debatido na mesa redonda dos presidentes e administradores dessa vergonhosa entidade!

  21. A ACP ESTÁ FACISTA ISSO É UM PERIGO PRA DEMOCRACIA .

  22. Não passa… num país emergente com fortes concorrentes, apesar da crise… já temos feriados demais…

  23. Racista é o negro rico, ou que fica, o boleiro, o pagodeiro, por exemplo. Deixa o treino, o ensaio, embarcam numa railux. Na boléia, uma branquela.

    Demagógica mesmo, a sagração da Lei.

    Não será um feriado, a moeda de pagamento pelo sofrimento dos pretos ao longo dos séculos, em diversos cantos do mundo.

    Os brancos hoje, não podem ser culpados, muito menos cobrados, pelas ações discriminativas, humilhantes e de exploração que lá atrás, os seus antepassados impuseram à raça negra.

    O lulismo fomenta a luta entre classes e a demagogia faz panfletagem com a desigualdade de tons de pele.

    • “A diferença do racista ignorante
      para o racista intelectual:
      O primeiro pratica crime culposo,
      e o segundo pratica crime doloso.” – Caetano Munhoz

      Embora mais de um século já tenha se passado desde a abolição da escravatura no Brasil, pouco mudou em relação à situação do negro na sociedade. Marginalizados, ainda hoje os negros e mulatos brasileiros disputam um lugar ao sol, tentando se libertar dos grilhões invisíveis do racismo e da discriminação. Mesmo que as autoridades brasileiras não admitam a existência do preconceito racial, todos sabem que ele existe e que está impregnado na estrutura de nossa sociedade. Sociedade essa que privilegia clara e abertamente os brancos. Isso pode ser constatado principalmente no mercado de trabalho. Um estudo * mostrou que um trabalhador de fábrica branco ganha cerca de 75% mais do que um negro que realiza o mesmo serviço. Outro dado obtido foi o de que para cada ano escolar cursado, brancos ganham 3,5% a mais enquanto mulatos ganham 2,3% a mais e negros apenas 2,2% a mais.
      Apesar da luta contra o racismo ainda estar longe de seu fim, os negros obtiveram grandes vitórias recentemente. Exemplo disto é a reforma constitucional de 1988, quando o racismo foi finalmente incluído como sendo crime inafiançável. Podemos citar também a crescente aparição dos negros no cenário político e nas séries e novela televisivas; e claro, não se pode esquecer da criação das entidades protetoras dos direitos dos negros, prontas a denunciar casos de injustiça racial.
      Com isso, espera-se que num futuro relativamente próximo, o Brasil venha realmente a ser uma nação igualitária.

    • Parreiras têm um caso do amor platônico com o Lula. Desencana cara!!!!!

  24. Eu trabalho na prefeitura…

    E apóio o feriado, e digo mais… muito importante esta ação do poder público para resgatar o respeito aos afro-descendentes, formadores do Brasil, como povo e consequentemente nação… E também concordo com aquele que pediu um feriado para celebrarmos a cultura dos diversos grupos étnicos formadores desta grande capital… reconhecida pela sua harmonica diversidade…

    Entendo que devemos ter o feriado do japones, do chines, do polaco, do ucraniano, do alemão, do italiano, do menonita, do sírio, do libanes, e até do judeu (no qual iremos todos nos lembrar de Jaime Lerner)…

  25. Que debate maravilhoso… agora poderemos ver todos os argumentos! e aonde cada um guarda o seu racismo, seja ele institucional ou estrutural.

  26. Por mais importante que seja a homenagem, chega de feriados. Aliás, deveríamos abolir a maioria dos feriados nacionais, com exceção de 21 de abril, 1. de maio, 7 de setembro e 15 de novembro.

  27. No Brasil, o dia 20 de novembro representa um importante momento da história, especialmente para 52% da população brasileira, que é representada por pretos e pardos. A data relembra a morte do líder Zumbi dos Palmares, um ícone negro, que lutou pela libertação dos negros escravizados (as). Também a data , pra quem não sabe, é considerada como uma ação afirmativa de promoção da igualdade racial e uma referência para a população afrodescendente dedicada à reflexão sobre os resultados do racismo e sobre a inserção do negro na sociedade paranaense. Portanto é louvável sim a atitude dos vereadores em decretar um feriado tão importante como este.

  28. Pra que esse feriado….não tem nada pra comemorar….acho que a ACP está correta…

  29. Concordo com a homenagem, porém se for o segundo ou o terceiro domingo de novembro, com festividades, atrações artisticas etc.., dias de semana vamos trabalhar povo, chega de mamata !!

  30. Quanta gente idiota. Feriado da consciência branca? São todos os demais. Os negros só têm o 13 de maio.
    Esse pessoa atrasado, racista, que vá se informar e depois venha emitir uma opinião mais respeitosa…

  31. Não se esqueçam também que precisamos de cotas raciais para os brancos, os amarelso e os vermelhos.
    Quando é que as pessoas vão acordar que somos todos iguais? Cota racial só enfatiza o racismo!!!
    Claro que podemos celebrar o movimento que trouxe a cultura negra para cá, mas feriado? Mais um dia não útil? Não!!! Apoio o que a ACP fez.

    PS: Não sei se sou branco, pardo ou sei lá. Meu avô diz que meu bisavô era negro, descendente de escravos. Isso me torna o que? Posso concorrer a vagas de afro-descendentes???

    • Marcelo,
      existem cotas para negros e e também existem contas para estudantes da rede pública.
      A porcentagem é definida pelo nº de negros declarados dentro da área de abrangência da instituição.

      Então, se você estudou apenas em escola pública, não importa a cor de sua pele, você também tem direito a disputar a vaga como cotista.

    • Marcelo, as cotas foram feitas para reduzir o fosso social existente entre negros e brancos causado pela discriminação, pela escravidão a que foram expostos. O negro saiu da senzala e foi para a favela, não foi lhe dado condições de concorrer em pé de igualdade com os brancos, ele apenas foi liberto, mas não igualado, o branco mesmo pobre tinha mais condições de crescimento. Tome como exemplo ver os bancos que há 20 anos atrás não contratava negros, a não ser para limpeza e servir cafezinho. Então, existe ou não diferença?

  32. Existem dois conceitos embutidos nessa postura da ACP: o preconceito racial e ódio de classe. Sabemos que a classe comercial é a que mais emprega em nosso Estado, mas que não recua em um milímetro sequer quanto a utilizar das 44 horas de trabalho do trabalhador. E ainda, vai além, exige que ele faça hora-extra e banco de horas, pagando-lhe uma ridícula indenização que mesmo assim compensa a não-contratação de outro funcionário. O direito ao ócio sempre é negado ao trabalhador, sobrando-lhe somente feriados para exercê-lo. Ao mesmo tempo, a burguesia goza de todos os feriados sempre de maneira ostentosa e feliz.

    Não há críticas à feriados santos, mas chove de polêmica quando se trata de feriado negro. O argumento de que isso causaria um impacto econômico negativo na cidade é uma falácia, uma vez que existe a possibilidade do próprio comércio transformar o feriado em lucrativo momento (como o fez com outros feriados). Além do mais, quando se tem feriado, outros setores econômicos em demanda reprimida ganham elasticidade. Basta fazer os cálculos econômicos.

    A ACP faz coro com aqueles que acham que o Brasil tem feriado demais (outra falácia, temos quase a mesma quantidade de feriados que países europeus possuem e Canadá – lembrando que a jornada de trabalho nesses países ainda é consideravelmente menor que as nossas 44 horas semanais). Faz coro com aquele que explora seu trabalhador até o talo e ainda berra aos quatro ventos que brasileiro não trabalha, é preguiçoso.

    • Certo, então o funcionário que não está satisfeito, ou que se sente de alguma forma explorado pela classe empresarial, deve fazer o que? Se demitir e entrar com uma ação trabalhista contra seu empregador?

      Eu trabalho de 10 à 12 horas por dia e no fim do mês fico extremamente satisfeito por ter cumprido com meu papel perante a sociedade, isso sem falar que meu salário aumenta com minhas horas extras e minha família agradece. Vadiu não gosta mesmo de trabalhar e arranja tudo quanto é desculpas para faltar ou se ausentar do trabalho, então defendem todos os feriados possíveis.

  33. Mais uma vez o Adolph Ramon metendo o bedelho? Porque eke não se declara fascista de uma vez e se posicione para perpetuar a desigualdade, defendendo com a força de seus culhões reacionários a “meritocracia” como a forma mais justa de um sociedade? Ergueremos as mãos para este sujeito, chamando me “füher… Só que não.

  34. Esse feriado é uma vergonha! Pode-se até intitular o dia da consciência negra ou seja lá qual for, mas não há necessidade de feriado para isso. Bando de vadiu “

  35. Eu também exijo o Dia da Consciência Branca e exijo também que este dia passe a ser feriado. Exijo também o dia da Consciência Amarela e da Consciência Vermelha.

    • Exija tb FERIADO PARA O DIA DOS ALIENADOS BRAZUCAS…

      • Esse Anonimous ou Anonimo, deve ser justamente um alienado que durante o ano, consulta o calendário pra saber quando terá feriado, Pois deve ser algum Parasita, Tão inutil quanto os Vereadores de Curitiba.

      • Viu como é que é? Por eu defender também um dia para a Consciência Branca passo a ser um “Alienado Brazuca”. Os outros tem direito de defender uma opinião, mas eu não tenho o direito de discordar desta opinião. E você se acha inteligente fazendo isso, caro Anonimo?

        Na sua opinião os negros (merecidamente) tem o direito de ter orgulho de sua cor, mas eu não tenho o mesmo direito de ter orgulho da minha cor?

        DEMAGOGO!

        • Se eu chamar minha sogra de negra é preconceito… mas ela me chamar de polaco azedo não é…

          E viva a revolução popular…

  36. CONCORDO. MAIS UM FERIADO? PRA CONSCIENCIA NEGRA?? LOGO TEREMOS FERIADOS PARA CELEBRAR O FERIADO. ESSES VEREADORES SÃO MESMO UM BANDO DE INUTEIS. ABAIXO ESSA LEI RIDICULA!!!!!!!!!!

    • Seu triste comentáio é o retrato da ignorancia pequeno burguesa brazuca que pensavamos estar extinta a 200 anos…ledo engano

      • Infelizmente ou O sr. Anonimous, não leu direito ou não sabe intepretar o que esta escrito, Anonimo e analfabeto, deve estar precisando de uma das vagas por cota!!!

      • Isso prova que alem de anonimo ( no bom portugues ) é analfabeto, nao sabe ler ou interpretar texto… Vc deve estar esperando uma vaga do sistema de Cotas, que alias deveria ser chamada de de COTA PRECONCEITUOSA. Pergunte pro Joaquim Barbosa, (sabe quem é?), se ele entrou na universidade pelo sistema de cotas e está onde está, por cotas??? Eu respondo. NÃO. Ele entrou por capacidade e está onde está por competência e dedicação. To Errado???

        • O Lula indicou Joaquim Barbosa para o STF justamente por ele ser um homem negro.
          E acho que acertou. Lula e agora Dilma investiram e investem muito para diminuir a distância que se estabeleceu entre negros e brancos nesse país, e estão certos, um país com maior justiça social interessa à todos os Brasileiros.
          Haveremos de ter um país melhor, e com certeza o teremos.
          Essa discusão do feriado é uma mesquinharia por parte da ACP ( desprezível). Os comerciantes ligados ao setor de lazer e turismo devem ter outra opinião.

          • Concordo quando fala em diminuir a distancia, mas se criar Feriado???? Já existe o 13 de maio, que poderia ser comemorado como o da Consciência Negra. Pra que criar mais um???

        • Não, o curitibano não é preconceituoso, é só uma falsa impressão!!

  37. Não sou descendente afro-brasileiro e nem tão pouco participante de qualquer movimento organizado, mas sou intolerante contra ações como está a ACP, em uma homenagem justa a raça negra que foram contra sua vontade trazidos para o Brasil e aqui escravizados e utilizados como objetos dos seus senhorios. Quem estudou história sabe disso. Como a ACP é uma instituição séria, hoje colocou a sua imagem à beira do radicalismo do rascimo, do preconceito contra uma população que nos deixou um legado de cultura tanto na culinária, na fala e escrita de algumas palavras e no samba que é a marca registrada do brasileiro. E como a ACP propõem em seu manifesto o fim da homenagem ao Dia da Consciência Negra, fica aqui uma outra sujestão a ACP que será bem proveitoso aos cidadãos que é o fim do Dia da Criança, Dia das Mães, Dias dos Pais, dos Avós, da Secretária, da Professora e etc…que são merecedores de justas homenagens, mas a ACP fez destes dias um motivo de consumo e até em alguns casos de endividamento da família. Isso sim seria melhor e mais justo o fim deste feriados ou datas comemorativas, pois pais, mães, avós, crianças, professoras e secretárias, não é um que somente deveriam ser homenageados e sim todos os dias por suas famílias quando assim desejassem e dentro das condições financeiras sem apelo da propaganda para acirrar ou assanhar o consumismo se lógica. Agora contra a homenagem há uma RAÇA que CRIOU a Nação Brasileira. ISSO É UMA VERGONHA.

  38. Tbem sou contra esse feriado, afinal não temos feriado do DIA DA CONCIÊNCIA BRANCA. Não somos raça?

    • Claro que precisa de um feriado da consciência branca. Afinal o Brasil escravizou os brancos ao longo de quatro séculos, possui um profundo preconceito racial contra os brancos de igual maneira, a maioria do povo brasileiro é branca e não compõe 20% dos cargos público, vagas nas universidades, igualmente. Em todo o mundo onde houve a escravidão, inclusive, existe feriado da consciência negra e não há da consciência branca. Por que será?

      • Alem de obviamente não conhecer o problema da escravidão para alem do que as novelas te ensinaram, você tambem defende a idéia que os negros são tão dignos de pena a ponto de ser preciso um feriado ao invés de políticas educacionais? Que lamentável.

        • Tem gente que pensa defender alguma raça que é mais racista que o próprio Hitler.

          Negro que tem orgulho de ser negro não fica preocupado se terão um dia em especial para homenagear sua raça. Negro que é negro tem orgulho de ser o que é.

          Tenho um irmão negro e ele tem orgulho, estudou em escolas públicas, fez vestibular e passou na faculdade sem precisar de cotas, trabalha, ganha seu sustento sem necessitar de ajuda do governo. e o principal, ama o seu apelido: “Nego Xande”!

          Negro que é negro não está nem ai para dia de consciência negra ou branca, faz a sua parte como qualquer outro cidadão!

    • Teus avós foram escravizados, apanharam, sofreram preconceito pela cor da pele??? Então meu amigo feche a boca pra não falar besteira!!!!! Concordo que temos muitos feriados no Brasil, então por que não entram com ação pra derrubar algum feriado municipal de cunho religioso , pois afinal somos ou não um Estado laico!!!!

      • Então vai querer trabalhar no natal, corpus cristi, dia 1 de janeiro, dia 8 de setembro e dia 12 de outubro?
        E so pedir para teu patrão acho que ele aceita que você troque todos os seus feriados religiosos pelo da consciência negra?
        O que os negros fizeram por Curitiba?

        • Cara, que tipo de pergunta é esta!?!? Os negros foram utilizados como escravos aqui como em todo o Brasil.

        • “O que os negros fizeram por Curitiba?” Que indagação hein, Lucas! Poderia simplesmente dizer que não há motivo para isso.
          Acho que os negros possuem papel fundamental na história do nosso país, quando na grande maioria foram tirado de sua terra natal e trazidos para um novo mundo sob a escravidão. Ora, rapaz, a história nos ensina que escravos, desde os primórdios, são aqueles que não podem fazer parte de determinado povo, simplesmente por não serem dignos para tanto ou ser inferior.
          Não quero discutir se é certo ou errado, mas como tudo que há deve ser respeitado, apenas.

    • Sim, são raça, uma raça privilegiada que não passa por constrangimentos como os negros. Curitiba é uma cidade altamente preconceituosa, basta ver na prefeitura, nova gestão Gustavo Fruet, secretaria de urbanismo, o digníssimo secretário tirou todas as negras do gabinete e substituiu por funcionárias branquinhas. E nós não temos do que reclamar?