Aldo Rebelo: “O acidente não vai alterar a imagem do Brasil”

do Brasil 247

Ministro do Esporte, Aldo Rebelo diz que a tragédia em Santa Maria (RS) não mancha a imagem do Brasil no exterior; ele rebateu críticas internacionais que põem em questão a preparação do País para receber eventos como a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016 e destacou que o Brasil tem uma imagem "consolidada" no resto do mundo; segundo ele, o País é "habituado" a realizar grande eventos, como os carnavais do Rio de Janeiro e do Recife.

Ministro do Esporte, Aldo Rebelo diz que a tragédia em Santa Maria (RS) não mancha a imagem do Brasil no exterior; ele rebateu críticas internacionais que põem em questão a preparação do País para receber eventos como a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016 e destacou que o Brasil tem uma imagem “consolidada” no resto do mundo; segundo ele, o País é “habituado” a realizar grande eventos, como os carnavais do Rio de Janeiro e do Recife.

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, rebateu, nesta segunda-feira 28, as críticas de veículos internacionais que dizem que a tragédia ocorrida em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, mancha a imagem do Brasil no exterior.

“O Brasil é um país habituado a realizar grandes eventos com margem de segurança e o acidente, por mais lamentável que seja, não vai alterar a imagem do país diante do mundo”, destacou em entrevista coletiva, em Brasília, depois de uma visita técnica da FIFA ao Estádio Nacional Mané Garrincha.

Segundo o ministro, o país sempre realiza grandes eventos como os carnavais no Rio de Janeiro e em Recife e que problemas graves nunca foram registrados. Ele lembra que a imagem do país é “consolidada” e que o mundo já sabe da capacidade do Brasil de fazer grandes eventos.

O pronunciamento é uma resposta à s críticas recebidas pela imprensa internacional, que questionam a capacidade do Brasil de sediar os jogos da Copa das Confederações e da Copa de 2014. A rede britânica BBC disse que o país tem que se mostrar preparado em situações de emergência. A NBC e o Financial Times também publicaram artigos criticando o governo brasileiro sobre a série de falhas que contribuíram com uma das maiores tragédias que o Rio Grande do Sul já viu. Até agora, foram confirmadas as mortes de 236 jovens.

Comentários encerrados.