Salamuni recebe o apoio de Fruet para disputar a presidência da Câmara

por Chico Marés e Rafael Waltrick, via Gazeta do Povo

Vereador Paulo Salamuni (PV).

Vereador Paulo Salamuni (PV).

O prefeito eleito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), declarou seu apoio à  candidatura do vereador Paulo Salamuni (PV) para a presidência da Câmara Municipal em 2013. Ele disse, porém, que não vai interferir na disputa para favorecer o candidato apresentado por sua base aliada. Os outros pré-candidatos à  presidência dizem que a declaração de Fruet não deve influenciar na eleição, que ocorre no próximo dia 2 de janeiro.

O nome de Salamuni foi apresentado à  Fruet pelos vereadores que formam a base de apoio !“ vereadores do PDT, PV e PT. Os oito vereadores se reuniram e decidiram apresentar a candidatura do vereador Paulo Salamuni. Eu não vou impor candidatos!, disse.

Fruet ressaltou que a Câmara tem autonomia diante do Executivo e lembrou que o bloco de vereadores dos partidos de sua coligação é minoria na Casa. Os vereadores têm soberania, maturidade para construir esse diálogo. A nossa aliança elegeu oito vereadores de 38. Então, além da eleição da presidência da Câmara, temos a necessidade de ter um diálogo permanente com a Casa!, afirmou.

Efeito

Para o vereador Valdemir Soares (PRB), que declarou ser candidato à  presidência, a declaração de Fruet não muda sua disposição. Soares diz ter 22 dos 38 votos na Câmara, o que seria suficiente para fazê-lo presidente. Felipe Braga Côrtes (PSDB), que também almeja a presidência, disse ser natural o apoio de Fruet a um vereador aliado. O Salamuni é da base de apoio dele, então é até esperado que o prefeito o apoie!, disse. Ele acredita que o cenário está nebuloso! e que tudo pode acontecer nas eleições.

Atual vice-presidente, Sabino Picolo (DEM) disse ser natural que o presidente seja alguém da coligação do prefeito. A presidência da Câmara faz diversas consultas ao prefeito. O Gustavo tem de pensar em um aliado que faça seus projetos fluírem na Casa!, disse. Picolo e Côrtes não chegaram a se declarar candidatos oficialmente, mas trabalham para viabilizar seus nomes para o comando da Casa.

A reportagem tentou conversar com Salamuni para comentar as declarações, mas ele não foi encontrado.

Comentários encerrados.