Revista inglesa ‘The Economist’ conseguiu fortalecer Mantega

do Brasil 247

O desempenho da economia não foi dos melhores no último trimestre e a presidente Dilma ficou irritada quando soube dos números. Mas agora é que o ministro da Fazenda não cai mesmo. Nesta sexta-feira, a própria presidente, o ministro forte do governo, Fernando Pimentel, o homem forte do PT, José Dirceu, e o colunista da Folha de S.Paulo Clóvis Rossi saíram em sua defesa.

Guido Mantega já deve ter se acostumado com os rumores e as pressões pela sua saída do Ministério da Fazenda, que se intensificaram neste ano (relembre). Desta vez, contudo, a pressão veio de fora, por reportagem da revista britânica ‘The Economist’, que condicionou a reeleição da presidente Dilma Rousseff à  troca de sua equipe econômica. Mas as críticas da prestigiosa publicação não parecem ter abalado o ministro dentro do governo. Pelo contrário: a opinião da revista estrangeira aparentemente fortaleceu o ministro.

O primeiro a sair em defesa de Mantega foi o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel. No dia em que a Economist nomear ministro no Brasil, deixaremos de ser uma república federativa!, disse Pimentel, talvez o ministro mais próximo da presidente Dilma Rousseff — os dois militaram juntos no movimento estudantil. Pimentel disse ainda que, em 2013, o crescimento do PIB brasileiro estará certamente acima da média mundial! (leia mais aqui).

Os comentários da revista também fortaleceram Mantega no PT. Condenado na Ação Penal 470, o ex-ministro José Dirceu interpretou a sugestão da ‘Economist’ como uma manifestação britânica contra o governo Dilma. “Desrespeito à  parte, isso tudo é conversa fiada da Economist. Eles que demitam seu ministro de Finanças já que a Grã-Bretanha não cresce e o governo interveio com tudo na economia para salvar os bancos e a libra esterlina. Aqui o Governo quem exerce somos nós”, escreveu em seu blog (leia aqui).

Para completar, o colunista Clóvis Rossi, da Folha de S.Paulo, se uniu ao coro dos defensores de Mantega, em artigo intitulado “Fica, Mantega, fica”. “Os argumentos para justificar o pedido [de substituição] são de uma pobreza espantosa em se tratando de uma publicação de altíssima qualidade, goste-se ou não de suas opiniões”, escreveu Rossi, que questiona: “O que a Economist quer? Que Mantega baixe uma Medida Provisória proibindo os consumidores de se desendividar? Beira o ridículo”.

Com potencial para aumentar a pressão sobre o ministro, o material publicado pela ‘Economist’ acabou revelando defensores e pode até contribuir para facilitar a vida do tão criticado Mantega.

8 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. corrigir são treis bancos que pegaram boas notas se quebraram..as revistas mentem.

  2. hoje eu li na folha e uol. que os 3 que receberam classificação otima dessas agencias e revista ,se quebraram no brasil.são os banqueiros que pagam essas agencias ,e induze os invistidores ao prejuizo financeiros.panamericno, cruzeiro do sul ,e outro que não me lembro o nome..mas há uma sugestão que essas agencias seja pagas pelos invistidores,e não por que recebe investimentos.a jostiça munidial esta investigando essas agencias e revistas de economia.ja tem gente no caminho das cadeias,por fraudes..

  3. GENTE,OS AMERICANOS, EUROPEUS ESTAO FUDIDOS E QUEREM DA PALPITES EM NOSSOS ECONOMISTAS….COITADOS, VAO CUIDAR DOS SEUS POMBAIS. AQUI NAO JACARE, COM DILMA NAO TEM BOQUINHA,…VAO SALVAR O QUE E DE VOCES, A ERA TUCANO ACABOU,NOSSO BRASIL NAO ESTA MAIS A VENDA,

  4. A inglaterra :Jamais vai ditar o que o mundo deve fazer..O orgulho ingles e a escocia ,mas os escoceses vão deichar esses tiranos a deriva.veja o caso jean charles ,agora a emfermeira saldanha ;são duas pessoas latinas destruidas.

  5. Não estamos precisando de palpites, a era entreguista acabou com FHC. Eles que dêem seus pitacos pra quem precisa. Que tal para a Espanha?

  6. Felizmente hoje o Brasil não é comandando pelos tucanos, porque se fosse, certamente eles iriam seguir a cartilha do pessoal da revista “The Economist”. Esses estrangeiros mandavam na turma do entreguista FHC, aqui com Dilma eles não se criam.

  7. esta revista esta quebrada, assim como toda a europa e os estados unidos, pediu emprestimo de dinheiro ao brasil, para emprestar por debaixo dos panos, pediu ao o BNDS, este negou,atraves do ministro guido mantega entao vem retaliacao

  8. Mesmo em outra trincheira, quero que o The Economist vá dar palpite na puta que o pariu.

    Das nossas kadhadhas, cuidamos nós.

    É uma afronta à nossa soberania, essa intervenção.