No Paraná, disputa de 2014 caminha para a polarização entre PT e PSDB

Adversários em 2014, Richa e Glesi polarizam no PR. Fotos: Roberto Custtódio/Wenderson Araújo.

Adversários em 2014, Richa e Glesi polarizam no PR. Fotos: Roberto Custtódio/Wenderson Araújo.

A corrida pelo governo do Paraná, em 2014, já começou neste final de ano e tende esquentar durante 2013. A novidade é que, possivelmente, haverá uma polarização inédita no estado entre PT e PSDB.

A briga pelo Palácio Iguaçu se desenha com duas candidaturas fortes. De um lado o governador Beto Richa (PSDB), que tentará permanecer no cargo, e de outro, a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT), que almeja a cadeira do tucano.

A polarização, ao que tudo indica, acontecerá porque o senador Roberto Requião foi retirado da jogada depois de perder a convenção estadual do PMDB para aliados de Richa.

Correligionários de Richa, no entanto, torcem secretamente para que Gleisi permaneça na Casa Civil. Assim, acreditam, conseguem bater mais facilmente qualquer outro adversário !“ incluindo o ex-senador Osmar Dias (PDT).

Richa vai à  reeleição sem o prefeito de Curitiba e sem os principais prefeitos dos grandes centros.

A guerra pela única vaga ao Senado também promete ser cruenta. àlvaro Dias está sob fogo intenso de adversários externos (petistas) e internos (PSDB). O tucano terá ainda que sair do xeque-mate! político para defender sua cadeira.

O PT se assanha pelo Senado. O nome mais provável do partido, hoje, é do deputado federal à‚ngelo Vanhoni. O secretário nacional de Comunicação da legenda, André Vargas, que outrora havia manifestado interesse em disputar a Câmara Alta, deverá focar-se mesmo na Câmara Federal, pois ele foi indicado pelo partido para a vice-presidência da Casa.

O ex-governador Orlando Pessuti (PMDB) também sonha com o Senado. Ele tenta cacifar-se tanto com o PSDB de Richa quanto com o PT de Gleisi. Na mesma situação encontra-se Osmar Dias que aguarda o desfecho do imbróglio envolvendo seu irmão, àlvaro, mas pode jactar-se do fato de seu partido possuir o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet.

10 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Bem… espero realmente ver a campanha destes dois na rua daqui dois anos, pois a Gleisi já esbravejou muito em torno desta candidatura e se amarelar será um golpe na nuca de seus “lambe chão”. Ainda bem que o Paraná não é um Estado que tenha atração pelo PT e pela esquerda, assim fica muito difícil ver a ministra que até o momento não fez nada pelo Paraná, se eleger governadora.

    Beto Richa 2014! O governador que devolveu a dignidade aos policiais civis e militares.

  2. pelo jeito que se mostra….2014 só vai ter um candidato..Beto Richa, pois os demais ou são loucos, ou são contra o estado ou então são desqualificados…quanto a Bela…melhor ela pensar em 2018…pois 2014 não tem chance…

  3. Pegaria muito bem um empenho da senadora e de outras lideranças no sentido de resolver uma nova forma para o pagamento do FIES. O universitário se forma e fica anos trabalhando para pagar a CAIXA – quando consegue um emprego. É o fim da picada !! Cadê a verba para o ensino superior deste País ?
    Clovis Pena

  4. Penso que devemos inovar… O Governardor ja teve a oportunidade, de monstrar a que veio….Mas infelizmente nao deu o resultado que a populacao esperava….A mudanca vai acontecer em 2014….Com Gleisi como candidata e com muita perspectiva de ganhar as proximas eleicoes….

  5. Voto em qualquer um que não seja Richa

  6. ESSE NEGOCIO DE APOIOS HOJE NAM SIGNIFICA MAIS NADA EM ELEIÇAO.
    BASTA VER O QUE ACONTECEU EM CURITIBA.
    O BETO ESTA FAZENDO TUDO IGUAL AO LERNER,ONDE QUEM MANDA SAO OS OUTROS ,PRINCIPALMENTE OS DEPUTADOS ESTADUAIS.

  7. Richa é altamente competitivo, mas somente quando no cockpit de um carro. Adora uma velocidade. Gleisi tem agido com sabedoria e constância, triunfando por uma estrada, já delineada e construída pelo descaso e pela falta de interesse de Richa pela coisa pública, haja vista as “mãos lavadas” em relação ao transporte coletivo de nossa cidade. Quanto ao fato de alguém imaginar que Gleisi permanecerá na casa civil, já indica desespero de um grupo que não acredita nele mesmo, talvez reflexo de um PSDB desestruturado. Penso que os talentos individuais serão a grande diferença.

  8. De onde que não tem apoio de prefeitos grandes centros os de Maringá, Ponta Grossa, Cascavel e Foz do Iguaçu e Guarapuava são aliados e de Londrina é de partido aliado.

  9. Por amor ao Paraná, temos que tirar Beto Richa do governo do Paraná. Aos poucos eles esta trazendo novamente o Lernismo! Deus no livre de tamanho retrocesso!

  10. Não se esqueçam, porém, que o Partido do Novo Brasil Confederativo vem aí, com A Revolução Pacífica do Leão cheia de amor pelo povão que tb pode muito bem, de repente, virar Leão e deixar todos os continuistas da mesmice no ar, sem escada e com a broxa na mão. Aliás, o Paraná é estratégico à Revolução, como já disse o próprio Leão.