Justiça cassa prefeito eleito de Rio Branco do Sul que substituiu o pai ficha suja! na última hora

Cezar Johnsson. Foto: Facebook.

Fato inédito. O juiz eleitoral Marcelo Teixeira Augusto, de Rio Branco do Sul, município da região metropolitana de Curitiba, cassou ontem (3) o registro da candidatura do prefeito eleito Cezar Gibran Johnsson (PSC). Ele substituiu o próprio pai, na última hora, no dia 6 de outubro, véspera das eleições municipais, o prefeito Amauri Cezar Johnsson (PSC), que estava barrado pela Lei da Ficha Limpa.

De acordo com o entendimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o candidato, mesmo considerado ficha suja, pode concorrer a cargo eletivo até que o processo transite em julgado, ou seja, até esgotar as possibilidades de recurso. Também prevê a substituição de candidato até a véspera da eleição, desde que se dê ampla divulgação ao fato.

à‰ aí que a família Johnsson patinou. Diante da repercussão negativa da substituição, pai e filho teriam utilizado as redes sociais para desmentir a substituição, no afã de induzir os eleitores ao erro. A Justiça considerou esse fato um estelionado eleitoral!.

Segundo o advogado Luiz Fernando Pereira, essa decisão é muito importante, pois pune a substituição malandra, em cima da hora (aqui na véspera da eleição). O pai com registro indeferido manteve-se em campanha até sábado, à s 18 horas, e renunciou em favor do filho sem a ampla divulgação necessária!.

Se confirmada a cassação de Johnsson em instâncias superiores, assumirá a prefeitura de Rio Branco do Sul Valdemar José Castro (PSDB) e seu vice, Clayton Costa Rosa (PSDB).

Comentários encerrados.