Brasileiros estão nem aí para crise. Que crise?

via Agência Estado

População ainda não sente a crise, avalia CNI

empregosO gerente de Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Renato Fonseca, afirmou na manhã desta sexta-feira que ainda está havendo no País a repercussão das boas notícias anunciadas pelo governo Dilma Rousseff. Ele citou como exemplo o anúncio da redução da tarifa de energia elétrica. Segundo ele, essa notícia tem mantida elevada a aprovação do modo de governar de Dilma Rousseff, que está em 62%, conforme apurou a pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta manhã.

“Há uma estabilidade (da aprovação) durante todo o ano”, afirmou Fonseca. Segundo ele, o noticiário econômico que divulgou o último PIB trimestral, que cresceu 0,6% ante o trimestre anterior, não repercutiu na população negativamente. “Por mais que o PIB tenha andado de lado nesse período, o que manteve esse crescimento (da economia), só teve esse crescimento por causa do consumo das famílias, embora ele venha perdendo força”, destacou. “A crise ainda não chegou completamente à  população”, acrescentou o gerente da CNI, ao lembrar que o setor que mais sentiu o impacto da crise na economia foi a indústria.

Fonseca disse que se surpreendeu com a forte queda da aprovação, pela população, da política de juros. Conforme a pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta manhã, o porcentual de aprovação de ações nessa área despencou de 49% em setembro para 41% agora.

“O que pode ter acontecido é que o consumidor não percebeu a queda dos juros. Provavelmente, essa é a mensagem, ele pode não ter percebido na hora de negociar um contrato, por exemplo”, disse o economista.

Segundo ele, a melhora vista nos últimos dois levantamentos em relação a esse ponto pode ter sido relacionada à s notícias de queda, mas que, efetivamente, não foram vistas no dia a dia dos consumidores. Isso, segundo Fonseca, pode ocorrer também no caso de energia elétrica. “Houve uma reversão da tendência dos juros, mas é preciso uma avaliação mais profunda”, considerou.

O economista da CNI citou que a redução dos preços das contas de luz é uma das notícias mais lembradas pela população na pesquisa, mas que, se em março essa diminuição não vier, o levantamento deve mostrar alta.

Apesar da deterioração vista também no item inflação, Fonseca salientou que os preços realmente vêm subindo, principalmente os dos alimentos. “Por mais que esteja na meta perseguida pelo BC, a avaliação da população é a de que a inflação não está totalmente controlada”, disse.

18 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. CREU: Bom o seu comentário. Discordo só quanto à generalização.

    Existem bons políticos, sim, raros, mas que los hai, hai.

    E nem todos os brasileiros são honestos e trabalhadores.

    Para a felicidade geral da Nação, Créu, se faz a necessidade dum pacto, pelo qual os políticos sejam todos decentes, éticos, exemplares, incorruptíveis e nós não mais apresentemos atestados falsos prá faltar ao trabalho. Também prometemos não jogar mais bituca de cigarro na sarjeta, nem subornar o guarda de trânsito, nem cubicheque a mulher do prosdócimo. Fraudar o IR nem pensar. Essas coisas, sabe.

  2. “O mundo para eles,é esse o qual eles vivem surrupiando os fracos”
    Sao poucas letras,mas diz tudo e mais um pouco!!!ELES GASTAM MILHÕES EM CAMPANHAS POLITICAS!!!

    Parabens CREU!! Parabens!!Parabens! Parabens!Parabens!Parabens! Parabens! Parabens! Parabens! Parabens! Parabens CREUUUUUUUUUUUUU!

  3. nos brasileiros, brasileiros mesmoooooooooooooooooooooo, trabalhadores, honestos, que ganhamos um salarinho baixo, vivemos felizez, porque cremos num ser superior que e DEUS, UM DEUS QUE NOS DA PAZ ,QUE FAZ RENDER NO FINAL DO MES, ESSE SALARINHO, AJUDANDO-NOS A QUITAR OS COMPROMISSOS DOMESTICO,COLOCANDO A CABECA NO TRAVEDSSEIRO FEITO DE PENA DE GALINHA , E DORMINDO EM PAZ COM A CONSCIENCIA, PORQUE SABEMOS QUE DESSA VIDA NAO SE LEVA N ADA, A NAO SER A DESCENCIA,E O AQMOR AO PROXIMO,. COISA QUE POLITICOS NAO ACREDITAM EXISTIR.POBRES COITADOS, ! O MUNDO PARA ELES, E ESSE O QUAL ELES VIVEEM SURRUPIANDO OS FRACOS

  4. Washington, Paulo e Macaco Velho: Semana que vem promete. E as festas de fim de ano não serão nada felizes para muitos. Desejarão mesmo que o mundo acabe dia 21.

  5. Comprar um carro em 72 prestações é melhor que sarar…

  6. Esmael, e o poste ?…Precisamos arrumar outro site!

  7. A crise ocorreu entre 1999-2003, no segundo mandato de FHC, período em que não ocorreu crescimento econômico e nosso país viveu em recessão.

  8. Os 4 comentaristas anteriores, FALARAM, verdade dos fatos (deu rima!). Foram perfeitos, não vou “chover no molhado”. Concordo plenamente com eles…!

  9. Não podemos nos preocupar com a crise da Argentina, nem da Grécia, nem da Espanha, nem da França, nem da Itália, nem de Portugal e por aí vai…
    Aqui o verão está chegando, as praias vão estar lotadas, os aeroportos cheios, carros novos para todos e podemos lembrar que antes isso era um privilégio da elite, hoje derrotada. É por isso que eles estão sempre anunciando catástrofes.

  10. O fato é que o brasileiro, em sua maioria, é o povo mais maleável e mais feliz do mundo. Qualquer paixão o diverte, com qualquer pé-de-frango ele faz um bom virado. Tendo bolsa-esmola, cachaça, cerveja, futebol, samba, carnaval, carnê 60 meses, esquemas, carro, e chaca-chaca=na-buchaca tá bom demais sô. É o paraíso na terra. A impressão é que nós, intelectuais, é que somos exigentes demais, mais realistas do que o próprio rei, que vivemos querendo para o povo o que nem mesmo ele, povo, almeja e quer para si. É bem possível que, nesse contexto, sejamos nós os ditadores e não o establishment .

  11. A crise é o desejo que a tucanada podre quer, na época de crise que eles governavam o risco país estava nas alturas, tinham deixado o país quebrar 3 vezes, juros nem se fala, desemprego era galopante, estatais sendo vendidas a preço de banana.

  12. Que crise? Eu particularmente me encontro em uma. Mas vejo tantos edificios sendo construidos e vendidos, um numero absurdo de veiculos vendidos e circulando mesmo com o preço elevado do combustivel, supermercados lotados, praias em qualquer feriado cheias. Então crise só se for localizada em algum setor. Como se ver crise assim!