16 de dezembro de 2012
por Esmael Morais
17 Comentários

Pós-PMDB: Governo Richa sai do tubo, mas ainda está na UTI

Fazendo uma analogia entre um paciente clínico e a situação política do governo Beto Richa (PSDB), podemos afirmar com segurança que, devido à  derrota do senador Roberto Requião no diretório estadual do PMDB, no último final de semana, o tucano saiu do tubo de oxigênio, agora respira sem a ajuda dos aparelhos, mas continua na UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

à‰ incrível a quantidade de desgastes proporcionados por uma gestão errática, recheada de trapalhadas, que levaram o próprio governador a uma crise de imagem sem paralelo na história do estado.

Dos episódios negativos mais recentes, ao menos três merecem destaque especial: 1- a não adesão da Companhia Paranaense de Energia (Copel) ao programa de redução de energia, proposto pela presidenta Dilma Rousseff, devido questão política do PSDB (relembre); 2- o uso de aeronave alugada por empresa privada, em pleno horário de expediente, para assistir corrida de Kart (relembre); 3- o não cumprimento de promessa de implantação de 33% da hora-atividade aos professores, que motivou aprovação de greve para o início do ano letivo de 2013 (relembre).

Além desses pontos negativos, há outro observado pelo deputado federal Rubens Bueno (PPS), aliado de Richa, que é sentido pela população: ninguém sabe, ninguém viu até agora esse tal choque de gestão! prometido pelo governador (relembre).

Quando não sobra incompetência em várias áreas, abunda-se a lentidão no governo como um todo refletindo na execução de obras e projetos. Aliás, que obras? Que projetos de impacto? Parece até que Richa ainda não tomou posse e que seu govern Leia mais

16 de dezembro de 2012
por Esmael Morais
4 Comentários

Depois de reeleito, prefeito de Cascavel reajusta a tarifa do ônibus

tarifa_onibusQue não sirva de exemplos aos demais prefeitos eleitos e reeleitos. O prefeito de Cascavel, Edgar Bueno (PDT), reeleito nas eleições de outubro, autorizou aumento na tarifa do ônibus em 8,33%. O vale-transporte, que hoje custa R$ 2,40, será reajustado para R$ 2,60 a partir do próximo sábado (22) !“ o mesmo preço de Curitiba, cujas distâncias são bem mais longas. ... 

Leia mais

16 de dezembro de 2012
por Esmael Morais
5 Comentários

Colunista Elio Gaspari, da Folha de S. Paulo, vê viés autoritário no STF

Em sua coluna deste domingo, no jornal Folha de S. Paulo, o jornalista Elio Gaspari, mesmo defendendo rigor aos deputados “mensaleiros”, enxerga um viés autoritário no Supremo Tribunal Federal (STF), que quer retirar a prerrogativa do Congresso Nacional de cassar mandatos daqueles que sofreram condenação judicial. A depender do voto do ministro Celso Mello, que tem o poder de desempate, pode-se abrir uma crise institucional entre os poderes da República. O colunista recorre à  história, mais precisamente à  época da ditadura militar, quando o regime fardado fechou o legislativo, para afastar a possibilidade da Corte Suprema surrupiar o direito constitucional de o Congresso julgar seus pares. Vale a pena a leitura. A seguir, eu reproduzo o texto na íntegra:

O STF deve se lembrar de Adauto Lúcio Cardoso

Quando o Poder Legislativo está fraco, resta-lhe só a força da história

Se não prevalecerem as almas de bom-senso, o Supremo Tribunal Federal irá para um conflito de Poderes com o Congresso por causa dos mensaleiros condenados pela corte. Por quatro votos contra quatro está empatada a votação que poderá determinar a cassação dos mandatos de parlamentares delinquentes. O desempate virá do ministro Celso de Mello.

Os juízes do Supremo são os guardiães da Constituição e suas decisões projetam-se sobre o funcionamento das instituições.

Se a votação está empatada é porque a corte se dividiu quanto ao nó da questão: o mandato d Leia mais

16 de dezembro de 2012
por Esmael Morais
Comentários desativados em Venezuelanos elegem hoje governadores e membros do parlamento

Venezuelanos elegem hoje governadores e membros do parlamento

da Agência Brasil

Milhões de venezuelanos vão ás urnas hoje (16) para eleger governadores de 23 estados, 230 legisladores ou deputados dos conselhos legislativos e oito representantes indígenas para um mandato entre 2013 e 2017. De acordo com o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela, 17.421.923 de eleitores estão aptos a votar, sendo 186.369 estrangeiros radicados no país.

As sessões eleitorais abriram ás 6h (8h30 no horário de Brasília) e ficam abertas até as 18h (20h30 no horário de Brasília). Os locais de votação estão equipados com urnas eletrônicas. Ao todo, são mais de 9 mil candidatos, sendo 1.186 a governador de estado.

Três grupos políticos polarizam a disputa regional. O Grande Pólo Patriótico reúne aliados do presidente Hugo Chávez. A Mesa de Unidade Democrática faz oposição e ainda há os independentes.

As eleições deste domingo são importantes para medir a unidade do bolivarianismo em um momento de incertezas com o agravamento do estado de saúde do presidente Hugo Chávez. Há uma semana, Chávez confirmou o reaparecimento de um câncer diagnosticado no ano passado na região pélvica e foi submetido a uma nova cirurgia. Essa foi a quarta operação em 18 meses. O tratamento foi feito, na maior parte do tempo, em Havana, Cuba.

Leia mais

16 de dezembro de 2012
por Esmael Morais
2 Comentários

Virada do Corinthians é também vitória de Lula

do Brasil 247

Há exatos cinco anos, o Corinthians, uma das equipes mais populares do País, e que tem a cara do Brasil, estava no fundo do poço. Em dezembro de 2007, a equipe do Parque São Jorge era rebaixada para a Segunda Divisão. Torcedor fanático, Lula foi provocado, cutucado nas redes sociais e ironizado, até declarar, três dias depois da degola, que seria um “torcedor militante” do time. “Quero provar que é no momento da adversidade que a gente se mostra torcedor”, disse Lula.

Depois do rebaixamento, pode-se dizer que, nunca antes na história deste país, um político fez tanto por um clube de futebol como Lula pelo Corinthians. Bem mais até do que recomendaria a prudência. Em agosto de 2010, na véspera do centenário, o clube realizou um sonho antigo e anunciou a construção do seu estádio: o Itaquerão, na zona leste de São Paulo. Naquele momento, o projeto estava orçado em R$ 335 milhões !“ menos da metade do custo atual.

Em 2010, o estádio saiu como uma determinação pessoal do então presidente à  construtora Odebrecht. E, na festa do centenário, Lula foi coroado como um espécie de presidente honorário da República Independente do Corinthians. Ainda hoje, dois anos depois, o Itaquerão não conseguiu equacionar totalmente seu projeto financeiro. Não saiu o financiamento do BNDES, nem o do Banco do Brasil. E a proposta de venda dos “naming rights”, que daria o nome da arena a empresas privadas, não avançou diante da resistência da Globo.

Apesar das dificuldades, no entanto, a Odebrecht vem executando a construção do Itaquerão no prazo determinado pela Fifa e o estádio deverá ficar pronto a tempo de sedir a abertura da Copa do Mundo de 2014. Lula e seu pupilo Fernando Haddad, prefeito eleito de São Paulo, enxergam no projeto a oportunidade de despertar maior atenção para a Zona Leste e criar um novo pólo de desenvolvimento em São Paulo. Assim, mais do que um presente ao Corint Leia mais

16 de dezembro de 2012
por Esmael Morais
13 Comentários

Segundo pesquisa Datafolha, Lula e Dilma venceriam no primeiro turno

Lula ou Dilma venceria no primeiro turno. Ou seja, os brasileiros querem o PT de qualquer jeito. Esta é a manchete de hoje do jornal Folha de S. Paulo. Segundo pesquisa do Datafolha, o ministro Joaquim Barbosa (STF) — sic, como se fosse um partido político — está tecnicamente empatado com senador mineiro Aécio Neves (PSDB). A seguir, eu reproduzo a matéria assinada pelo jornalista Fernando Rodrigues:

Com Lula ou Dilma, PT hoje venceria no primeiro turno

Se a eleição presidencial fosse hoje, o PT teria dois nomes com chance de vencer no primeiro turno. Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva têm no momento mais intenções de voto do que todos os possíveis adversários somados, aponta pesquisa Datafolha feita na quinta-feira.

Dilma vai de 53% a 57%, conforme o cenário. Lula teria 56% se disputasse a Presidência. No Brasil, vence no primeiro turno o candidato que tem mais da metade dos votos válidos. O PT ganhou três disputas para o Planalto (2002, 2006 e 2010), mas só no segundo turno.

O Datafolha ouviu 2.588 pessoas em 160 cidades no dia 13. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Embora os percentuais de Dilma e de Lula sejam equivalentes na pesquisa estimulada (quando o entrevistado escolhe um nome a partir de uma lista), a situação muda no levantamento espontâneo.

Na pesquisa sem estímulo de nomes, Dilma recebe 26% das preferências.

Com menos da metade, mas isolado em segundo, vem Lula, com 12%. Há também 1% cuja preferência é “PT” ou “vai votar no PT”. O petismo somad Leia mais