5 de dezembro de 2012
por esmael
14 Comentários

Contra a redução na tarifa de energia: Neoliberalismo leva PSDB a dar tiro no próprio pé

por Marco Damiani, via Brasil 247

Para um partido que quer se reconstruir, se refundar ou, ao menos, se reaglutinar e, como pede o ex-presidente Fernando Henrique, voltar aos braços do povo, o PSDB escolheu uma primeira bandeira difícil de carregar. A tríplice aliança entre os governos tucanos de São Paulo, com Geraldo Alckmin que controla a Cesp, Minas Gerais, de Antonio Anastasia à  frente da Cemig, e Beto Richa, no Paraná da Copel, contra a iniciativa da presidente Dilma de reduzir o custo da energia tem tudo para não pegar bem. Uma nota assinada pelo presidente do PSDB, acusando o governo de “estelionato eleitoral”, em razão da promessa não cumprida de queda acentuada nas tarifas, igualmente parece mais um verdadeiro tiro no pé do que um disparo no alvo desejado. Mesmo sem o apoio tucano, o certo é que, dentro de dois meses, estima-se, as tarifas de energia irão cair em cerca de 10%. Queria-se 20%, mas o resultado não pode ser considerado ruim.

5 de dezembro de 2012
por esmael
27 Comentários

Presidente do PT questiona: “Quando será a posse de Beto Richa?”

Governo estadual deve parar com as desculpas e mostrar serviço, diz Verri

O deputado Enio Verri (PT) disse nesta quarta-feira (5), na Assembleia Legislativa, que o governo estadual deve parar de procurar desculpas pela lentidão e ineficiência do governo nos dois primeiros anos e começar a mostrar serviço. O parlamentar apresentou números que mostram o aumento ou manutenção dos repasses federais para o Paraná em 2012. Ele também fez a defesa da atuação da ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e dos demais ministros paranaenses em defesa dos interesses do Estado e cobrou publicamente o governador Beto Richa (PSDB).

O Paraná é capaz, o povo do Paraná é capaz. Mas o governador não tem sido capaz de cumprir o que é necessário para fazer o Estado se desenvolver ainda mais. Um governo que até agora não fez nada e não disse a que veio, também não irá fazer nos próximos dois anos. Quem perde é o Paraná!, afirmou Verri.

Segundo o parlamentar, que é presidente estadual do PT, o governador ainda não mostrou capacidade para apresentar e liderar a aplicação de recursos federais. Para ele, esta realidade não pode ser escondida da população paranaense.

O Paraná tem recursos à  disposição no governo federal, mas não tem um governador que apresente e tire os projetos do papel. Os ministros paranaenses estão e sempre estiveram prontos para o diálogo. Ele estão lutando com êxito na partilha das obras federais. Esta é a realidade. Nestes dois anos, o governador Beto Richa não apresentou nenhum projeto de infraestrutura para o governo federal!, argumentou.

De acordo com Verri, no acumulado dos 11 primeiros meses deste ano, o governo federal transferiu cerca de R$ 9 bilhões para investimentos em infraestrutura e programas sociais no Estado.

Somente para infraestrutura e outros setores da economia foram R$ 4,

5 de dezembro de 2012
por esmael
6 Comentários

Câmara vai devolver simbolicamente mandato a 173 deputados cassados na ditadura

da Agência Brasil

Cento e setenta e três deputados cassados sem o devido processo legal entre 1964 e 1977, durante o período da ditadura militar no Brasil (1964-1985), terão os mandatos devolvidos simbolicamente, durante solenidade amanhã (6), na Câmara dos Deputados. A iniciativa é da Comissão Parlamentar Memória, Verdade e Justiça, que integra a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, pretende resgatar a história e a importância dos parlamentares eleitos pelo povo e impedidos de exercer o mandato.

A presidenta da comissão parlamentar, deputada Luiza Erundina (PSB-SP), lamentou que entre os deputados cassados menos de 30 estejam vivos. Ela informou que 17 deles já confirmaram presença no evento.

Para o coordenador da Comissão Nacional da Verdade, Claudio Fonteles, trata-se de um ato de extrema grandeza!. A comissão apura as violações de direitos humanos praticadas por agentes públicos no período da ditadura militar.

Significa restaurar pessoas que, por fidelidade ao seus mandatos e por manifestarem coerência a suas posições político-ideológicas, sofreram um ato de subversão total!, avaliou.

Durante a homenagem, serão entregues aos ex-deputados ou a seus parentes documento em forma de diploma e broche de uso parlamentar. Logo após a sessão solene, será inaugurada a exposição Parlamento Mutilado: Deputados Federais Cassados pela Ditadura de 1964 e lançado livro de mesmo nome, assinado pelos consultores legislativos Márcio Rabat e Débora Bithiah de Azevedo.

A exposição, que será montada no corredor de acesso ao plenário e no hall da Taquigrafia, reúne imagens que retratam os momentos mais tensos vividos pelo Congresso Nacional entre 1964 e 19

5 de dezembro de 2012
por esmael
5 Comentários

Fruet assume compromisso de acelerar e concluir obras do PAC da Copa no prazo

20121205-131515.jpg

Foto: Everson Bressan

O prefeito eleito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), assumiu compromisso com o Governo Federal de acelerar e concluir no prazo todas as obras do PAC da Copa.

O anúncio foi feito na manhã desta quarta-feira (5) durante evento do LIDE Paraná (Grupo de Empresários), no Hotel Bourbon.

Das nove obras do PAC da Copa na região de Curitiba, seis são de responsabilidade do Município e estão todas atrasadas segundo relatórios do Tribunal de Contas do Estado e do próprio Governo Federal.

5 de dezembro de 2012
por admin
29 Comentários

Guerra elétrica é primeiro embate Dilma-Aécio

Via Brasil 247

Mal foi anunciado pelo PSDB como pré-candidato à  Presidência da República, o senador mineiro Aécio Neves já contabiliza seu primeiro embate com a presidente Dilma Rousseff. A posição dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Paraná em não aderir integralmente à s regras da Medida Provisória 579, que prevê a diminuição da tarifa de energia elétrica em 16,2%, foi articulada pela cúpula do PSDB.

Governadas pelos tucanos Antônio Anastasia, Geraldo Alckmin e Beto Richa, as unidades federativas aceitaram aderir integralmente apenas na área de transmissão de energia pelas estatais Cemig, Cesp e Copel, mas não na área de geração. A linha de frente do posicionamento foi tomada por Aécio, que já assume um discurso presidencial.

Da tribuna do Senado, o tucano voltou a criticar o que chamou de profunda intervenção no setor elétrico “sem nenhum diálogo ou planejamento”. O senador afirmou que a MP foi mera “propaganda política”, à s vésperas das eleições municipais, e alertou o Congresso para a necessidade de debater o tema. “Não é racional que uma medida que interessa ao país seja decidida pelo rolo compressor do governo sem que alternativas possam ser aqui discutidas”.

O senador sugeriu que o governo torne extintos ou reduza tributos e encargos para diminuir a tarifa sem prejudicar a solidez das empresas e os investimentos do setor. Aécio lembrou que em Minas, o governo baixou a conta de luz para os mais pobres, o que não aconteceu no Rio Grande do Sul, por exemplo, estado governado pelo PT.

Impacto eleitoral

Agora, os tucanos têm como missão convencer a população que a decisão de não aderir à s regras da medida são técnicas, e não políticas. O governador mineiro decidiu só se manifestar sobre o assunto nesta quarta-feira, a fim de não vincular o posicionamento do estado ao lançamento de Aécio como candidato à  presidência, ocorrido na segunda-feira durante evento do partido.

O secretário estadual de Energia de São Paulo, José Aníbal, reafirmou nesta terça-feira a opção de São Paulo de não renovar as concessões da Cesp, dando prioridade a justificativas técnicas. “A Cesp não vai participar desse processo. Não podemos aceitar essa defasagem de 5 bilhões de reais”, disse, referindo-se à  diferença entre a indenização proposta pelo governo para os ativos não depreciados das usinas de Ilha Solteira, Jupiá e Três Irmãos, de 1,8 bilhão de reais, e a contabilidade da Cesp, de 7,2 bilhões a receber.

Efeito São Paulo

Na Assembleia Legislativa de São Paulo, já houve reação de lideranças sindicais e entidades sociais dia

5 de dezembro de 2012
por admin
16 Comentários

PMs são obrigados a comprar kits em escola de formação

por Diego Ribeiro e Felippe Aníbal, via Gazeta do Povo

Um dia depois de reconhecer que há abusos na formação de soldados, a Polícia Militar (PM) do Paraná se vê diante de uma nova denúncia. Alunos de cursos de formação seriam obrigados a comprar kits com materiais e acessórios para usar ao longo do curso. Os relatos mostram que as compras eram direcionadas para empresas específicas, que teriam relações diretas com oficiais da corporação.

As denúncias atingem o 20.!º Batalhão da PM e o Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), unidades também envolvidas em acusações de excessos nos treinamentos dos policiais. Em ambas as unidades, a venda dos kits teria sido intermediada pelos tenentes que coordenam os respectivos cursos de formação.

Um dos casos já é apurado pela Corregedoria da PM. De acordo com o termo de declaração prestado por uma aluna ao órgão, todos os alunos do curso de formação do BPTran foram obrigados a comprar agasalhos, coldres e cintos de guarnição. A compra dos coldres, por exemplo, foi direcionada para a Indústria Maynards. De acordo com o site da própria empresa, a Indústria Maynards foi fundada e é administrada por policiais militares da reserva e da ativa.

Sem nota fiscal

A aluna relata que o dinheiro foi recolhido pelo próprio tenente, que não forneceu aos alunos qualquer recibo de pagamento ou nota fiscal dos produtos. O oficial teria cobrado R$ 109 e R$ 129 pelos coldres, de acordo com o modelo. O preço seria R$ 10 mais caro do que os estabelecidos pela loja da empresa.

Outro aluno também aponta que o direcionamento da venda ocorreu no horário de aula, dentro do batalhão. O vendedor teria sido apresentado pelo tenente, sob o argumento de que precisavam padronizar os acessórios da tropa. Foi colocado assim [pelo tenente]: “temos que estabelecer um padrão e o padrão vai ser este. Vocês já estão recebendo, então já têm como pagar”!, relatou o denunciante.

Os policiais em formação até poderiam comprar de outro fornecedor, desde que o produto fosse exatamente igual à quele!. Mas, na prática, eles ficavam sem opção. Como a gente ia pesquisar, se ficamos no quartel das 6 à s 21 horas?!, questiona o aluno.

O kit que os alunos foram forçados a comprar, citados por este policial, continha uma bolsa, uma pasta executiva, escudo do batalhão, porta-terno, cinto de guarnição e boné. Os materiais deveriam ser pagos em cinco prestações

5 de dezembro de 2012
por admin
8 Comentários

Paraná tem o pior indicador do Sul

da Folha de Londrina

O Paraná teve o pior desempenho da região Sul no índice criado para medir o desenvolvimento social dos estados e dos municípios com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e dos ministérios da Saúde e da Educação.

Divulgado ontem pela Fundação Getúlio Vargas, o Indicador Social de Desenvolvimento dos Municípios – um estudo feito pelo Centro de Microeconomia Aplicada da Escola de Economia de São Paulo com números de 2010 – colocou o Paraná na 6 posição no ranking nacional, atrás do Distrito Federal, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro.

Na esfera regional, o Paraná teve notas piores que os outros dois estados na maioria dos itens. No total, o Estado somou 5,51 pontos, contra 5,60 de Santa Catarina e 5,55 do Rio Grande do Sul. De uma extensa cesta de indicadores, dois deles fizeram o desempenho do Paraná cair. O primeiro é o item Habitação (coleta de lixo, energia elétrica, água canalizada, esgoto, percentual de domicílio próprio e densidade de moradores por cômodo). Neste item, o Paraná ficou em 7!º lugar.

O segundo resultado negativo foi no item Saúde e Segurança (taxas de mortalidade infantil, peso dos recém-nascidos, gravidez precoce e taxa de homicídio), no qual o Paraná também figura na 7 colocação.

No caso da Habitação, o item que mais pesou no fraco desempenho foi o percentual de esgotamento sanitário. Segundo o estudo, pouco mais da metade dos domicílios paranaenses tem ligação com a rede de esgoto (52,18%).

No caso do item Saúde e Segurança, um indicador fez a diferença na nota final. Trata-se da taxa de homicídios por grupo de 100 mil habitantes. Enquanto a média nacional é de 27,1 a do Paraná é de 33,5.

5 de dezembro de 2012
por admin
3 Comentários

Brasil ocupa 69!ª posição em ranking de corrupção, mostra estudo

da Agência Brasil

A organização não governamental (ONG) Transparência Internacional (Tranparency Internacional) divulgou hoje (5) o estudo Percepções da Corrupção Index 2012, no qual analisa a situação em 176 países. O Brasil aparece em 69!ª posição no ranking. Na América Latina, o país fica atrás apenas do Chile e do Uruguai, que estão na 20!ª posição. Compartilham o topo da lista, com menos casos de corrupção, a Dinamarca, a Suécia e a Nova Zelândia.

As piores posições no ranking da ONG são ocupadas pelo Afeganistão, pela Coreia do Norte e pela Somália. Nas Américas e no Caribe, as posições mais negativas são as do Haiti, em 165!º lugar, e do Paraguai, em 150!º.

Em nota, a Transparência Internacional diz que os níveis de corrupção no mundo ainda são elevados, assim como casos de abuso de poder e relações sigilosas!. Para a organização, é necessário intensificar as ações em busca da transparência de dados e informações referentes aos órgãos públicos e sua atuação.