Veja essa: “População bebe defunto”, denunciam vereadores de Palmeira (PR)

Restos do cemitério Distrito Indústrial em Palmeira.

Os vereadores do município de Palmeira, a 85 km de Curitiba, na região dos Campos Gerais, denunciam que os moradores estão “bebendo defunto” ao tomar água fornecida pela Sanepar.

A polêmica foi levantada pelo vereador Inácio Budziak (PDT), durante sessão da Câmara Municipal no último no final de outubro. O tema voltou à  pauta na semana passada, quando o parlamentar pedetista denunciou a possibilidade de contaminação por restos de cemitérios das águas do rio do Pugas, manancial que abastece a cidade.

O vereador Pastor Anselmo (PSD) usou a tribuna para comentar artigo publicado na Gazeta de Palmeira e pedir que o assunto continue em evidência até ser esclarecido e solucionado pelos órgãos competentes, mesmo que provoque repulsa na população.

Usando expressão mais forte, o vereador do PSD disse que em muitos lugares existe o costume de beber o defunto! durante velórios, o que é uma prática voluntária dos participantes. Porém, em Palmeira, segundo o vereador, a população que utiliza a água fornecida pela Sanepar pode estar bebendo defuntos!, referindo-se à  possível contaminação da água do rio das Pugas com lixo e restos de cemitérios que são despejados em párea do Distrito Industrial e podem estar sendo carregados para o leito do rio pela enxurrada.

Em aparte, o vereador Inácio Budziak solicitou da administração municipal providências quanto a uma análise da água do manancial, para que a dúvida seja esclarecida.

Já o vereador Ivano Cherobim (PMDB), também em aparte, disse acreditar que a Sanepar faz análises periódicas da água, porém como está atuando em Palmeira sem contrato de concessão, talvez não esteja realizando as análises da forma como devem ser feitas.

As informações são do jornal Gazeta do Palmeira.

4 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Será que isso é só em palmeira????

    • Tem razão o Luiz Henrique Potrobeli. Muitos dos cemitérios são antigos, de um período onde não existiam as preocupações ambientais de agora…acrescenta-se que a maioria eram construídos nos locais mais elevados,portanto em posição cujo os dejetos líquidos, como o necrochorume, podem acessar toda a drenagem próxima! Eis um bom assunto para a promotoria de MA, as SEMMAs e demais orgãos correlatos se debruçarem.