Pedro Simon: governadores do Sul são “zeros à  esquerda”

Em entrevista à  Revista Congresso em Foco, senador do Rio Grande do Sul não poupa ninguém. Para ele, os atuais governadores do Rio Grande do Sul, Tarso Genro; do Paraná, Beto Richa, e de Santa Catarina, Raimundo Colombo, são “um zero à  esquerda”, assim como chanceler Antônio Patriota. Também sobrou para o presidente do Senado, José Sarney, e para o ex-presidente FHC.

do Brasil 247

Apenas a presidente Dilma Rousseff foi poupada pelo senador Pedro Simon (PMDB-RS) em entrevista à  revista Congresso em Foco (leia mais aqui). Na quarta edição da revista, recém-lançada, o senador diz que os atuais governadores do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT); do Paraná, Beto Richa (PSDB), e de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD), são “um zero à  esquerda”.

Para o peemedebista, o ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, é outro “zero à  esquerda, uma pataca”. Também sobrou para a ministra da Cultura, Marta Suplicy (PT) — “O único título que conheço dela é o de ex-esposa do Suplicy”, diz Simon — e para o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB): “Ele não tinha direito de fazer o que fez. No Brasil, grande nação em grande momento, comprar a reeleição como ele comprou? Foi vexatório”.

Nem o PMDB se salvou na entrevista concedida por Simon. Segundo ele, a versão ética de seu partido foi enterrada junto com o ex-presidente Tancredo Neves. Assim como a presidente Dilma, o ex-presidente Lula também recebeu elogios, mas com ressalvas. “O pecado mortal do mensalão é a omissão do Lula, a irresponsabilidade dele. Mas quem fez tudo foi Zé Dirceu e companhia”, disse. “Não vejo no Lula nada de corrupção, malandragem, cachorrada. Mas essas coisas de Zé Dirceu me lembram muito aquela época do sindicato, dos pelegos da ditadura. Vai ver daquela convivência restou alguma coisa”, completou.

Apesar de tudo, Simon diz ter esperança de que o país vive “um novo dia”, com a aplicação da Lei da Ficha e as condenações impostas pelo Supremo Tribunal Federal aos réus do mensalão.

14 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. 25 anos de conflitos na educação
    Jocelim Azambuja

    Mais uma vez, vemos professores e professoras realizando uma paralisação, estadual e nacional, na luta por um piso salarial e fico a me perguntar:

    Quantos anos perdidos? Quantas gerações comprometidas por causa de um piso salarial que o magistério até hoje não conquistou de fato?

    Recordo-me que em 1986 foi concedido, pelo então governador Jair Soares, um piso salarial de 2,5 salários mínimos, após 60 dias de greve do magistério com apoio dos pais e estudantes. Naquele mesmo ano, foi eleito o governador Pedro Simon.
    Em 1987, eu, como presidente da entidade representativa dos pais, a ACPM-Federação, me reuni com o futuro governador Simon em sua casa de praia e posteriormente na sua residência em Porto Alegre, em janeiro e fevereiro, e entre tantas conversas sobre Educação lhe fiz um pedido: “Governador, não mexa no piso salarial conquistado pelo magistério, pois, se mexer, a Educação, a juventude e o seu governo serão prejudicados”.

    Infelizmente, o governador Simon, ao assumir seu mandato, em março, não ouviu os pais e suspendeu o pagamento do piso. Todos os gaúchos que viveram naquela época sabem que passamos anos e anos com greves do magistério.

    Passaram-se 25 anos de conflitos, a qualidade da Educação decaiu, os mestres desmotivados, gerações de estudantes comprometidas, e todos se perguntam: por quê?

    Hoje, o governo federal instituiu um piso salarial proposto pelo então ministro da Educação Tarso Genro. O mesmo que, agora governador do Estado, não quer pagar o piso que propôs.

    Que tristes paradoxos, um governador deu o piso, outro tirou, um governador (Antônio Britto) fez mudanças no plano de carreira (que dizem ser o entrave para dar o piso) e o outro governador (Olívio Dutra) desfez algumas mudanças, mas não deu o piso de 2,5 salários para o magistério. Agora, o atual governador não quer dar o piso que ele mesmo criou.

    O mais paradoxal é que o piso de 2,5 salários de 25 anos atrás corresponde hoje a R$ 1.550, o piso que o governo federal criou é de R$ 1.451 e o governo estadual quer pagar cerca de R$ 1.260. Que triste conclusão: se tivesse sido mantido desde 1987 o piso salarial, não teríamos vivido 25 anos de conflitos, de consequente queda e prejuízos educacionais. São situações como essa que nos levam, entre outras causas, a ocupar os piores índices do IDH no mundo e os últimos lugares nos indicadores de Educação.

    Entra governo, sai governo, independentemente de partidos políticos e ideologias, nada muda, todos os anos temos greves e mais greves em que alunos são prejudicados, a Educação é comprometida e o futuro da juventude vira uma interrogação. O piso tem que ser pago, chega de greves!

    Será que vamos passar mais 25 anos em conflitos, sem reconstruir a Educação que o Estado, municípios e o país precisam e a sociedade clama?

    Jocelim Azambuja, advogado e ex-presidente da ACPM-Federação, in: Zero Hora (RS)

  2. O Senador Pedro Simon sempre soube fazer boas avaliações.
    Acertou em cheio no desgoverno do Beto Playboy. Ele e as empresas do governo insistem em somente fazer propaganda procurando mostrar uma coisa que não são.
    Ainda bem que nas próximas eleições ele e a corja dele vão cair fora. O primeiro sinal já veio com a vitória do Fruet.

  3. Talvez possa ser por isso que os três Estados do sul são tão “atrasados” se comparados com os outros do país… não é mesmo???

    Bem coisa de PTistas revoltados mesmo, os caras zoam do Estado deles e eles ainda agradecem, mesmo que isso possa ser mentira, mas só pelo fato de estarem denegrindo a imagem do Estado governado pela oposição ao governo federal, ja vale o riso… hehehehehehe

    • Como diz o ditado: “o pior cego é aquele que não quer ver” ou só vê o que lhe intere$$a. Com uma boa bolada no bolso do comissionado tá tudo bem não é meu caro?

  4. se o congresso brasileiro tivesse 2/3 como esse senador, seria ótimo

  5. O BetoBoy é tambem zero a direita sr. Pedro Simon, esqueceu de dizer isso.

  6. Vejam a acao da policia do Beto Richa? Cade a Midia do Pr?

    http://www.youtube.com/watch?v=KNaZuBCn6Yc

  7. pois é o FHC calculou errado, conseguiu a reeleição e vai dar 16 anos para o PT, castigo vem em dobro.

  8. Acho que chimarão do “gaúchoveio” aí, estava turbinado!!!!

  9. se o brasil tivesse quinhetos homens como pedro simon o brasil era outro. o stf nunca iria legislar! mas esta passando. vem esses que que so criaram artimanha para desmanchar a sociedade! estão dividindo a nação pelos caprichos . muitas morais copiadas da europa e estados unidos.nos ainda não criamos a identidade brasileira. pois votam no cara pela aparencia ,não pela inteligencia… desde quando trocaram o velho ulisses pelo collor deu o que deu. agora veio o lula ja passado tentam emplacar macula no seu governo..a dilma poderia mandar embora essa velha artilharia que está no governo.semple conversar com generais , pelo que vejo nunca se pode prever o futuro.mas tomar cuidado .pois o stf e tucano!não tenho medo de criticas,é minha louca visão.o congresso nacional não seguranem peixe fora da agua.e um bando de frouxos mesmo!parabens para o velho general que teve coragem de enfrentar a udn…

  10. NOTA 10 PARA O SENADOR PEDRO SIMON!
    NEM O SENADOR ROBERTO REQUIÃO QUE TEM MUITAS RAZÕES DE SOBRA NÃO FALA ASSIM!
    QUE LUCIDEZ!
    QUE VISÃO PERIFÉRICA DAS MELHORES!
    QUE DISCERNIMENTO POLÍTICO AFIADO!
    QUE OPINIÃO BEM PAUTADA E ESTRUTURADA!
    OS CURITIBANOS QUANDO HUMILHARAM E DESMORALIZARAM POLITICAMENTE O (DES) GOVERNADOR BETO RICHA DANDO A PASSAGEM DE GUSTAVO FRUET PARA O SEGUNDO TURNO DERROTANDO LUCIANO DUCCI E DEPOIS COM A VITÓRIA FINAL SOBRE RATINHO JUNIOR APOIADO TAMBÉM POR ELE JÁ SABIAM DESTA “ZEROESQUERDISSE” DO “PLAYBOY NEOLIBERAL!”

  11. ZERA A ESQUERDA É UM ELOGIO PARA ESSE DESGOVERNO.
    IMAGINE SE PEDRO SIMOM SOUBER QUEM MANDA NO GOVERNO
    É O ROSSONI E CIA LTDA.

  12. Ta feia a coisa pro lado do Richa mesmo, até o senador Pedro Simon que tem uma queda especial pelos tucanos acha o Richa um zero a esquerda. Acho que o Simon descobriu que quem manda no governo é o Rossoni e o Traiano, muito menos o Richa.