Joaquim Barbosa e Marco Aurélio batem boca no STF

Não admito que Vossa Excelência suponha que todos aqui somos salafrários e que só Vossa Excelência é vestal”, disse Marco Aurélio a Barbosa

Marco Aurélio e Barbosa discutem em plenário. Foto: André Coelho.

da Agência Brasil

O clima entre os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) voltou a ficar tenso hoje (7) na retomada do julgamento da Ação Penal 470, o processo do mensalão. Logo no início da sessão, o relator do processo, Joaquim Barbosa, e o ministro Marco Aurélio Mello protagonizaram uma discussão acalorada no plenário.

O desentendimento começou quando Marco Aurélio argumentava que a Corte tinha que decidir questões técnicas antes de prosseguir com a fixação das penas dos réus. Uma dessas questões é a possibilidade de considerar que alguns crimes ocorreram em continuidade e devem ser considerados como um só, com pena menor. A outra é a impossibilidade de o réu, com posição de comando na organização criminosa, ter a pena agravada duas vezes por esse motivo.

Barbosa sugeriu, então, que as penas somente são grandes porque os réus cometeram muitos crimes, o que irritou Marco Aurélio. Meça suas palavras quando eu estiver votando!, disse Marco Aurélio. Barbosa riu, irritando ainda mais o colega. Não ria que isso é um assunto muito sério. O deboche não cabe mais, estamos no Supremo Tribunal Federal. As adjetivações são supertraiçoeiras,! continuou Marco Aurélio.

Barbosa respondeu que não fez nada além de traduzir a realidade que está nos autos, e Marco Aurélio rebateu. Não admito que Vossa Excelência suponha que todos aqui somos salafrários e que só Vossa Excelência é vestal. Precisamos acima de tudo admitir a dissidência!.

Mais uma vez, a discussão só foi encerrada após intervenção do presidente Carlos Ayres Britto, dando prosseguimento ás discussões técnicas do julgamento.

26 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. todos os comentários tentando desqualificar o Ex. Min.JB,seja por desequilíbrio ou outra coisa qualquer,duvido algum de vcs terem a capacidade que o Min. tem.
    bom mesmo são os Min. posto lá pelo Sr. Luiz Inácio então?

  2. O Joaquim Barbosa mostra que é homem de verdade e nao se rebaixa para a corja que tenta lutar pela absolvição de um bando de ladroes que sujam a história do PT

    • luciano,
      Nada melhor do que o tempo para clarear tuas idéias sobre o tal Joaquim Barbosa. Homem de verdade, na sua posição, não tem esse tipo de atitude que, no meu entender, é uma atitude de moleque mimado que não sabe lidar com opinião contrária a sua. O JB é um boçal metido, arrogante e sem preparo emocional para exercer a função que está exercendo. Caso de psiquiatria.
      Quem estava enchendo sua bola ontem já começa a duvidar da sua integridade e competência. Não demora e a própria Veja que o tem promovido a herói nacional (Batman) vai transformá-lo em vilão – Coringa ou Charada, tendo em vista que o cara é, como juiz do STF, uma piada de mal gosto.

      • Com o tempo veremos quem está errado meu amigo….pela 1ª vez nesse país estamos vendo justiça… pelo jeito ela não te agrada, mas está sendo feita…

  3. Pessoal eu não tenho nada contra o pagode, já toquei samba durante muito tempo.

  4. Candidato a Rei, quando se aposentar vai montar uma banda de pagode.

  5. O problemas quanto a critica ao JB e simples, nunca ha justica neste pais, quando aparece alguem que tenta aplica-la, logo e visto como vilao, alguem sempre tenta defender BANDIDOS… Eu deixo a incognita na cabeca dos leitores, se fosse voce ali sendo julgado, acha que teria tanta protecao de outros ministros ?
    Em minha opniao sigo JB, sao bandidos tender a ser tratos como o qual, chega de passar a mao na cabeca de ladrao, chega de ser visto como pais da impunidade..

    peco desculpas pela fala te ascentuacao, estou teclando de macintosh.

    Boa Noite.

  6. Concordo que o Joaquim Barbosa se exalta em diversos momentos. Mas o que as pessoas não conseguem perceber é que essa postura polêmica está atraindo o foco da mídia e evitando que o assunto caia no esquecimento. Caso contrário, tudo terminaria em pizza, como sempre aconteceu. O Joaquim Barbosa está cumprindo um papel fundamental nessa questão.

  7. O STF brasileiro já está mostrando ao povo sua verdadeira face e justificando seu apelido de ” Gaiola das Loucas”. Quanto ao Min. Joaquim Barbosa considerado o ” herói da mídia”, bastará ele colocar em pauta o julgamento do mensalão tucano , prá começar a ser excrachado por essa mesma mídia. É esperar pra ver.

  8. Realmente a gente nota que este JB esta criando anti-corpo até com os próprios colegas.
    Já esta se tornando insuportável.
    A sua fama já esta caiiiiinnnndo.

  9. o congresso nacional é o unico que pode colocar o judiciario no lugar ,que não deveriam ter saido . eu estranho que o mensalão mineiro deveria ser julgado primeiro.ai depois o processo 470. o congresso nacional precisa tomar cuidado. a grande midia instiga o povo ,esses projeto populares quando e coisas de jurisdição avançada ,so dá errado. agora ninguem segura o ministerio publico mais .quando é comprovado a inocencia do cara ,ai ninguem é punido.imaginem se um dia collor de mello reividicar o cargo de presidente da republica ,que lhe tomaram com mentiras. ou uma indinização .não tou dando opinião mas foi a justiça que inocentou collor .o palloci foi inocentado quem pediu desculpas pra ele ,quem pediu desculpas pro gishikem ,pro adauto? agora tem sujeras do psdb e fica por isso mesmo.

  10. E aquela viagem a dusserdorf na alemanha, para tratar de saude paira no ar alguma coisa: como me refiro ,esse nome dusserdorf foi citado no julgamento ,como fosse um banco. mas existe a cidade ,eu apenas tento a entonação ,mas se alguem corrisse o nome me ajudaria muito. o brasil tem bons medicos ,que trata dessas doenças . eu acho que ir a europa me deixa confuso…. eu falo do ministro barbosa n.em os colegas suportam mais ele..

  11. esse sujeito que atende pelo nome de joaquim barbosa deve ser interditado
    pois um juiz do supremo que sai andando fazendo pose e dando autografo
    pare-me que nao tem credito algum para fazer julgamento de coruptos
    pois se levantar a vida do sujeito garanto acharao coisa errada naquele
    corpo pago pela globo e veja
    todos farinha do mesmo saco

  12. Quando o Senador Álvaro Dias apoiou esse ‘bagrinho’ – nascido ou criado em Antonina – como Procurador Geral da República, eu cantei a pedra que boa coisa ele não era.

    quarta-feira, 7 de novembro de 2012

    Advogado diz que políticos do PSDB foram poupados no mensalão tucano em Minas

    O advogado do empresário Marcos Valério, Marcelo Leonardo, acusou o ex-procurador-geral da República Antonio Fernando de Souza de tratar “de forma diversa” o mensalão do PSDB em Minas e o petista. Leonardo disse que Valério entregou nomes de beneficiários do esquema em MG, mas “o procurador considerou que, como crime eleitoral, já estava prescrito, e a pena é pequena”. O STF retomará julgamento hoje.

    Advogado de Valério acusou o ex-chefe do MP Federal de tratar “de forma diversa” escândalo que envolve tucanos

    O advogado, o criminalista Marcelo Leonardo, acusou ontem o ex-procurador-geral da República Antonio Fernando de Souza de tratar “de forma diversa” dois fatos que teriam, e a mesma origem e finalidade: o mensalão do PSDB mineiro, que envolve tucanos

    “No caso (do mensalão mineiro) ele (Antonio Fernando) não ofereceu denúncia contra os deputados que receberam valores por entender que participaram de caixa 2 eleitoral e o crime já estava prescrito”, disse Leonardo. “O procurador entendeu de maneira diversa a ação penal 470 (mensalão)

    A mesma crítica já havia sido feita pelo defensor de Valério em novembro de 2007, logo após Antonio Fernando apresentar a denúncia do mensalão mineiro. Leonardo afirmou que o então procurador-geral foi parcial ao analisar, em 1998, os fatos relacionados à campanha do ex-governador de Minas Eduardo Azeredo (PSDB) – atualmente deputado federal.

    Carta.

    O advogado voltou ao tema ao enviar carta em resposta a um post publicado pelo jornalista Luis Nassif em seu blog. Leonardo sustentou que, assim como no caso do mensalão federal, Valério entregou à Procuradoria-Geral da República nomes de beneficiários dos repasses do valerioduto de 1998.

    “Entreguei, na ocasião, a lista com os nomes de parlamentares e ex-parlamentares, 79 nomes ao todo, com valores recebidos e comprovantes. Mas ele (Antonio Fernando) entendeu que o crime já estava prescrito porque os fatos se deram em 1998. O procurador considerou que, como crime eleitoral, já estava prescrito, e a pena é pequena”, disse Leonardo ao Estado.

    Na denúncia de novembro de 2007 ao STF, Antonio Fernando afirma que um “esquema delituoso verificado no ano de 1998 foi a origem e o laboratório dos fatos descritos” na acusação formal do mensalão. O ex-procurador-geral apontou desvio de pelo menos R$ 3,5 milhões para a campanha à reeleição, por meio da “retirada criminosa” de recursos públicos da Copasa (R$ 1,5 milhão), Comig (R$ 1,5 milhão) e do antigo Banco Estadual do Estado, Bemge (R$ 500 mil).

    “Faz tanto tempo que saí de lá (da procuradoria), quase quatro anos, que sinceramente não tenho lembrança desse caso específico”, disse Antonio Fernando. “Tenho quase certeza de que não se tratou de crime eleitoral, mas acho que era a tal lista de Furnas sobre a qual havia dúvida de sua autenticidade.”

    “Vazamento seletivo”. Na carta ao jornalista, Leonardo trata como vazamento “parcial” as revelações do jornal o Estado de SP e da revista Veja sobre o depoimento e os pedidos de delação premiada e proteção feitos por Valério.

    “Se alguém “vazou” de forma seletiva, parcial e ilicitamente alguma providência jurídico-processual que está sujeita a sigilo, eu não tenho absolutamente nada a dizer, a confirmar ou não confirmar”, disse o advogado de Marcos Valério. Estadão

    http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/

  13. O Barbosa esta caindo na doce ilusão do PIG, espere Joaquim, espere o senhor assumir a presidência e já vai tomar pressão do PIG

  14. Aviso aos navegantes de longo percurso; Não vamos admitir Golpe no Brasil.

    Saul Leblon, extraído da Carta Maior:

    Golpismo age como se não houvesse amanhã

    Carlinhos Cachoeira e seu ubíquo braço-direito, o araponga Dadá, não estão mais à solta para emprestar artes e ofício às reportagens”™ e “˜denúncias”™ programadas por “˜Veja”™. Quase não se nota. Se o plantel perdeu talento específico, o engajamento na meliância política ganhou em arrojo e sofreguidão. A constelação de colunistas que orbita em torno daquilo que “˜Veja”™ excreta arregaçou mangas e redobra esforços.

    A afinação do jogral não deixa dúvida sobre o alvo mais cobiçado, como mostra a meticulosa análise de Marco Aurélio Weissheimer. O troféu da vez é Lula, não a pessoa, mas o símbolo de uma barragem que reordenou a política brasileira abrindo espaço às águas do campo popular.

    Buliçosos escribas do jornalismo isento sugerem nesta 2ª feira que podem superar as mais dilatadas expectativas nessa caça ao tesouro. As postagens do colunismo amigo de Demóstenes Torres ““outro centurião da linha de frente abatido sem deixar vácuo”“ sugerem a travessia de um Rubicão.

    O conservadorismo age como se não houvesse amanhã. A crise econômica não destruiu o governo do PT e o país retoma o crescimento neste 4º trimestre. Então, é agora ou nunca.

    Com a ajuda das togas que atiçam o linchamento contra o partido no STF, a mídia demotucana arranca uma escalada preventiva vertiginosa. Comete-se de forma explícita aquilo que até mesmo Dadá e Cachoeira teriam pejo em praticar desguarnecidos das sombras: a chantagem ancorada em “˜provas”™ improváveis, mas tornadas críveis através do incessante centrifugador de carniça de quatro hélices: Veja-colunistas- bancada demotucana-Procuradoria geral da República.

    No manuseio dessa engrenagem exibem o que sabem fazer melhor: regurgitar guerra política travestida de jornalismo; incorporar denúncias palatáveis ao repertório da heterodoxia jurídica; arredondar a massa informe em escândalo e criminalização de forças e lideranças que não derrotam na urna há três eleições presidenciais ““e para as quais arriscam perder de novo em 2014

    Nas últimas 72 horas uma não-entrevista do publicitário Marcus Valério a “˜Veja”™, talvez pela pífia credibilidade e repercussão do meio e da mensagem, transformou-se em “˜entrevista gravada”™ ““mas cujo áudio a revista “˜estuda”™ se vai liberar”™, avisam os relações públicas do comboio em marcha (leia reportagem de Najla Passos nessa pág).

    Ato contínuo, o renitente vácuo de credibilidade é ocupado pelo anúncio da existência de um suposto vídeo, “˜de 4 cópias”™ (sempre é oportuno um detalhe para granjear confiabilidade à impostura) em que um desesperado Marcus Valério faria revelações para divulgação imediata ““”™ caso sofra um atentado”™, acena um operador da usina de carniça midiática, exalando o odor característico que o inebria.

    Claro, o indefectível procurador Roberto Gurgel está disponível para dar uma pala, emprestando glacê jurídico aos fuzarqueiros do golpismo; porém, evocando parcimônia: “™só”™ posteriormente ao julgamento em curso no STF, as denúncias de Valério contra Lula ““negadas pelo próprio e por seu advogado, até segunda ordem”“ poderão, eventualmente, ser examinadas pelo ministério público.

    No fecho do rally desta segunda feira, o PSDB e seu rodapé mais gasto, Roberto Freire, “˜exigiam”™ que Lula se pronunciasse sobre a maromba desatada. Esse é o idioma político adotado pelo dispositivo midiático conservador ““que recebeu 70% da publicidade federal do governo Dilma”“ a dois anos da sucessão de 2014. A ver.

    http://www.youtube.com/watch?v=6diqaKE2Rp4&feature=player_embedded

    • Parabéns filosofo do Barigui. Pelas minhas parcas condições de conhecimento e também escolar não consegui até agora escrever a este blog. Porém você expressou exatamente o que eu pensava a respeito do assunto, mais uma vez para bens!

  15. Esse Joaquim é um ‘estrume’ ressecado, se acha o tal. Ele acha que tudo o que faz e diz tem que ser seguido por todos, é impressionante como não podem contrariar a creusa. Chega desses justiceiros e moralistas, pois não há um homem sequer que não tenha errado e que não vá errar ainda. Esperem que um dia ainda chega o dia dele, assim como chegou para alguns PTistas que acusavam todo mundo.

  16. as discussoes sobre exame de d.n.a no programa do ratinho se tornaram fichinhas diante das baixarias que estamos vendo desde o comeco do julgamento do mensalao no s.t.f, e outra coisa …protagonizado por quem deveria dar exemplos de lucidez,sensatez,e controle emocional,o que infelizmente nao estamos vendo no s.t.f.,baixaria pura,uma lastima,para o judiciario brasileiro,jamais imaginei que agiam assim no s.t.f,precisam urgentemente consultar psiquiatras e tomararem altas doses de gardenais.

  17. Infelizmente tenho que concordar. Quando entrou para o STF foi aquele “frisson”. 1º Ministro do Supremo negro.
    Acho que o “sucesso” subiu a cabeça do JB.

  18. …..Revita carta capital…

  19. Não sei se estou sendo repetitivo, mas como assunto é esse; quero registrar o que disse, o penalista brasileiro Nilo Batista: “A publicidade do julgamento constitui garantia constitucional do acusado e não um direito do público”. Fonte: Revista catra capital de 07.11.02 ( SUPREMO – Vanitas vanitatum ), página 17.

  20. Esse Joaquim Barbosa é uma farsa. O cara tá se achando a última bolacha do pacote. Boçal. Tá deslumbrado com os holofotes da mídia que tá fazendo do STF um verdadeiro programa de auditório.

    • concordo, Elton. O JB acha que só ele detém a verdade.

    • Ah sim… vamos criticar o Joaquim Barbosa, certo mesmo é o Toffoli, com seu curriculum digno de um advogado de porta de cadeia, que está lá só para representar os interesses dos acusados.
      Se não houvessem esses holofotes da mídia em cima desse caso, certamente já estaria todo mundo absolvido.

    • O VENENO DA POPULARIDADE…

      Tal qual a insatisfação popular contra o processamento judicial de LuLa que deverá ocorrer em poucos dias…

      Ocorreu algo semelhante em relação às evidentes demonstrações (na minha humilde opinião também negativas) de soberba por parte do Min. Joaquim Barbosa em relação a colegas que pensam diferente…

      O povão não nota os detalhes negativos de ir contra um processo natural diante de graves acusações, bem como não nota que a midiatização do Supremo é prejudicial a garantias constitucionais consagradas… Ou seja, grande parcela da população idolatra esta pirotecnia do JB, como se fosse salutar a um Estado Democrático de Direito…

      Assim, prevejo dois erros graves, ir contra o processamento de LuLa (que efetivamente poderia servir para inocentá-lo e encerrar quaisquer dúvidas – caso haja CORAGEM para enfrentar e se defender legalmente, sem balbúrdia nas ruas), e o segundo lapso seria a defesa da postura de JB que infelizmente ofende colegas de forma absolutamente antidemocrática…