Em nova ação de marketing político, Educação vai “avaliar” 250 mil alunos da rede pública do Paraná

Flávio Arns (PSDB).

A Secretaria de Estado da Educação (SEED) confirmou ontem (14) que levará 250 mil alunos à  prova do Sistema de Avaliação da Educação Básica do Paraná (Saep), no próximo dia 22 de novembro. A avaliação será aplicada em todas as escolas estaduais para medir a aprendizagem dos alunos, saber das práticas pedagógicas e de gestão de cada estabelecimento de ensino.

O Saep avaliará 250 mil estudantes do 9!º ano do Ensino Fundamental (antiga 8!ª série) e do 3!º ano do Ensino Médio e do último ano do ensino médio técnico e de formação de docentes, que estão matriculados em 2.100 escolas da rede estadual. Eles vão responder 26 questões objetivas da disciplina de matemática e 26 questões de português.

A prova planejada pelo governo do Paraná é semelhante à  Prova Brasil (do Ministério da Educação) que, junto com as notas obtidas pelos alunos, compõe o àndice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) divulgado de dois em dois anos.

Essa avaliação do próximo dia 22 se soma a outra ação de “marketing político” do governo do Paraná na área da Educação: a mudança na matriz curricular das escolas. O objetivo é ampliar a carga horária nas disciplinas de matemática e português, o que é contestado pelos especialistas da área educacional.

Até o jacaré do Parque Barigui — tradicional parque de Curitiba — sabe que os gestores de educação do Paraná fizeram muito feio no último Ideb. Os professores da Universidade Federal do Paraná (UFPR) têm uma visão muito particular sobre esse evento. Segundo eles, os gestores da SEED não entendem nada de educação pública!.

Para refrescar a memória dos leitores, em agosto passado passado o MEC divulgou o resultado do Ideb. A avaliação do ensino médio paranaense despencou sob o governo Beto Richa (PSDB). Em 2009, o índice era de 3,9 e em 2011, já na gestão da dupla Flávio Arns/Meroujy Cavet, caiu para 3,7.

Pois bem, voltemos à  vaca fria do Saep !“ o novo sistema de avaliação educacional do governo tucano. Se já temos a Prova Brasil ofertada pelo governo federal, sem custo, esse mecanismo pretendido pela SEED é desnecessário e traduz-se num verdadeiro desperdício de dinheiro público. A avaliação do MEC já revela os dados da Educação no estado.

à‰ bom frisar que, mesmo diante da vergonha que o Paraná fez com o pífio desempenho no Ideb, a SEED ainda não apresentou nenhuma ação concreta baseada nesses resultados, portanto, questiona-se: o que pretende o governo do Paraná fazer com mais informações?

Na opinião de especialistas em educação ouvidos por este blogueiro, há uma clara tentativa de desqualificar o sistema de avaliação nacional e criar mais uma ação de marketing com essa nova avaliação.

Estamos preocupados em garantir educação de qualidade para os estudantes de todas as regiões do Paraná e para isso criamos uma ferramenta própria para medir o desempenho dos alunos e orientar nossos professores e pedagogos na prática docente, para reforçar os conteúdos que não estão sendo bem assimilados!, explica Flávio Arns (PSDB), secretário da Educação e vice-governador.

Com que condição o professor fará essas intervenções, se muitas vezes os problemas enfrentados são questão de políticas públicas? Qual o papel das SEED, dos Núcleos Regionais, dos pedagogos, enfim, dos diretores de escolas nessa prova de Arns e Meroujy? Será apenas um treino para as avaliações nacionais, já que avaliam as mesmas séries e áreas do conhecimento ou se trata mesmo de uma ação visando desqualificar o Ideb?

21 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Existe uma minoria hipócrita, que é bem paga pelo playboy, alguns comissionados e outros puxa sacos de carteirinha, que não procuram dialogar com seus espelhos. Mentem tanto que eles mesmos acabam acreditando na sua própria mentira.
    Existe uma maioria que muito fala, más que pouco faz!
    Resultado: O sucateamento da Educação Pública em todos os municípios do Estado do Paraná. A evasão escolar. A queda da qualidade da Educação Pública.

  2. Também sou a favor da avaliação que a SEED fará. Não a vejo como marketing, já que esta avaliação não é de agora. Informem-se antes de publicar tanta bobagem!!!

  3. Segundo a UFPR, os gestores da SEED nao entendem nada de educacao? hahahaha….A ultima secretaria de educacao do governo Requiao e suas assessoras eram da UFPR……E tudo era igual…..Por favor, senhores da UFPR venham conhecer nossa realidade e parem de falar tanta besteira e so divagar, divagar…..

  4. #FORA MEROUJY

  5. Outra avaliação, para o quê?
    ….A prova planejada pelo governo do Paraná é semelhante à Prova Brasil (do Ministério da Educação) que, junto com as notas obtidas pelos alunos, compõe o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) divulgado de dois em dois anos….

  6. podia criar a lei para punir sonolentos .

  7. Pôxa,a eleição está a 22 meses e o antirichismo já come solto.É o começo do fim que antecede o recomeço.

  8. O (Des) Governo Richa, não sabe o que fazer, não entende nada de Educação o Povo da Secretaria de Educação do Paraná, começando pelo Secretário de Educação……Irão avaliar o que todos já avaliam de forma torta…..SAEP é um modo que o Governador Encontrou para Ajudar financiador de Campanha ou para criar uma maquiagem em relação a Prova Brasil…..Fora Richa!!!!!! A Educação só vai melhorar quanto o Richa e sua Turminha forem despejadas do Palácio Iguaçú…

  9. Tem que pôr na grade, o ensino de pilotagem de Fórmula 1 e helicóptero…

    Aí fica bão!!!

  10. Vejam la no facebook do dep. Rasca Rodrigues:
    “Recebi hoje os diretores da Escola Estadual Afonso Pena. A escola recebeu há 3 meses novos computadores para os alunos, mas está impedida de utilizá-los por falta de uma vistoria técnica para verificação da instalação das máquinas. Uma visita que duraria 15 minutos está pendente há 3 meses, impedindo que os alunos utilizem os computadores, atrapalhando atividades de contraturno e a educação de nossos jovens.
    Além disso, a escola, que está alojando alunos durante os Jogos Colegiais do Estado do Paraná, tem banheiros sem ralos, ou com ralos acima do nível da água, fazendo com que a água dos chuveiros escoe banheiro afora.
    Pedimos soluções urgentes para esses problemas. São soluções simples, mas decisivas para a qualidade da educação pública em nosso estado.”

    Pra quem não sabe a escola Afonso Pena fica em São José dos Pinhais. Educação no Paraná com governo tucano no comado, é sempre sinal de decadência.

  11. o vice governador deveria ir para italia tambem. quem sabe la ele fica mais esperto……

  12. CARO ESMAEL, PODE ME EXPLICAR SE O CHEFE DO NUCLEO REGIONAL DE ENSINO DA AREA METROPOLITANA NORTE, SENHOR ANTONIO SERGIO FERRAZ, AGIU DENTRO DA LEGALIDADE QUANDO NA SEXTA-FEIRA PASSADA, DIA 09/11/12, REALIZOU UM BAILE DE CONFRATERNIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO, ¨COBRANDO POR MESA O VALOR DE R$100,00″ PORQUE QUEM QUISESSE ENTRAR NO CLUBE SANTA MÔNICA TERIA QUE COMPRAR A MESA, FATO ESTE QUE FEZ DO EVENTO UM MOMENTO PARA ARRECADAÇÃO E NÃO DE CONFRATERRNIZÃÇÃO, POIS QUE SERIA PARA TODOS PARTICIPAREM, SOMENTE OS QUE PAGARAM PARTICIPARAM DO EVENTO..
    OUTRO QUESTIONAMENTO É QUE SE O NREAM-NORTE PODE VENDER E RECEBER INGRESSOS, QUANDO NÃO É UM ORGÃO FINANCEIRO, SE ELE PUDER, ENTÃO OUTROS ORGÃOS COMO DETRAN, DELEGACIAS ETC PODEM COBRAR DIRETAMENTE SEM GUIAS DE RECOLHIMENTO. DIANTE DE UMA RECEITA E DESPEZA REALIZADA, QUEM DEVE FISCALIZAR E A QUEM DEVE PRESTAR CONTAS DESSE DINHEIRO?
    GOSTARIA DE PEDIR QUE INVESTIGUE ESTES QUESTIONAMENTOS E PUBLICASSE NESTE CONCEITUADO BLOG.

    • Sou funcionário de um dos colégios da Metropolitana Norte. Não pude ir ao Bailão porque não consegui achar alguém da minha escola para juntos comprarmos mesa. Assim, o baile não é para qualquer funcionário, mas só para a elite. Colegas de outros colégios que foram, disseram que o preço dos produtos para consumir estavam caros demais. Assim não dá para fazer confraternização, mas só dá para ganhar dinheiro. Para onde irá este dimdim? Penso que o Paulinho está certo no seu ponto de vista. É preciso pesquisar quanto deu de resultado bruto e ver o que sobrou deste bailão. Este que o Paulinho cita o nome, já teve problemas…

  13. Um dos “molengas” do Governo. Governador molenga, secretários molengas.

  14. flavio arns pediu pra sair,.va com deus

  15. Senhores Gestores em vez de atacar o problema que tal atacar a causa dele….ofereçam aos professores capacidades reais de ganhos de formação continuada,aparelhem as escolas ,levem cultura arte e cidadania usando a linguagem do jovem de nossos dias não se prendam em paradigmas ditados por “educadores ” do século passado ,reinventem a escola elaborem aulas mais dinâmicas onde o aluno deve ser a caixa de ressonância !e parem de fazer Marketing Político com um assunto tão sério!!!

  16. Campanha na internet: #FORA MEROUJY!!!!

  17. Sou contrária. Já existem outras avaliações. Por que gastar em fazer mais uma, uma vez que o momento, segundo o próprio governo do estado, é de austeridade e redução nas despesas?

  18. Quem é professor sabe o caos da Educação no governo “choque de gestão”. Mais desperdício de dinheiro público que irá para o bolso de algum “amigo do chefe”.

  19. Não vejo mal algum em ter avaliação. Já existe em vários estados, por que não em nosso estado? Sou favorável.

    • Porque já feito duas vezes: na escola, pelos professores; em nível nacional, pelo MEC. O tempo, a energia e os recursos públicos investidos em uma avaliação desnecessária, deveriam ser investidos nas soluções para os problemas que as escolas enfrentam hoje.