Em Londrina, professores e alunos protestam contra mudança no currículo das escolas; veja o vídeo

do G1 PR, com informações da RPC TV Londrina

Professores de escolas estaduais de Londrina, no norte do Paraná, protestaram na manhã desta segunda-feira (26) contra a mudança no currículo escolar que deve ser implantada a partir de 2013. Pela nova proposta da Secretaria de Estado da Educação (SEED), devem aumentar as aulas de matemática e português, enquanto as disciplinas de filosofia, sociologia, artes e educação física devem perder espaço.

Além dos professores, alunos também estiveram no protesto que criticou o que foi considerado como autoritarismo! da mudança. Eles reclamam que a proposta não foi suficientemente discutida com as escolas, e por isso elaboraram um abaixo-assinado para encaminhar à  SEED.

Outra critica foi direcionada à  perda de aulas que, segundo os professores, estimulam o pensamento crítico dos alunos. A profundidade do conhecimento da nossa disciplina e o caráter transversal que ela tem, assim como as disciplinas de sociologia e filosofia, foi reconhecida pela própria UEL no último exame – 50% da prova era atravessada pelas três áreas do saber!, justificou o professore de artes André Lopes.

A SEED, no entanto, nega que a mudança signifique qualquer prejuízo ao currículo escolar, além de garantir que o assunto é discutido pelo menos desde 2011. Estão disponíveis canais de consulta pública pela internet tanto para a população, quanto para as escolas, e sugestões podem ser enviadas por email para a SEED até o final desta segunda-feira (26).

3 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. É um absurdo áreas do saber como essas serem retiradas do currículo, querem cada vez mais alunos robotizados, sem o mínimo de cultura, com uma vida sedentária que no futuro acarretará em uma provável doença, é lamentável comentários como os anteriores que defendem essas mudanças, depois são os primeiros a reclamar pelo ensino caduco do Brasil..

  2. Esses professores que vão trabalhar ao invés de encontrar desculpas em Piaget ou Vigotski. Se fossemos um exemplo de educação concordaria com eles, mas, o método deles está vencido e não engana mais ninguém. Dá-lhe SIM mais Português e Matemática, daí o aluno terá base para entender as demais disciplinas. Tenho dito!

    • Concordo pelanmente com o que disse caro DR. Tapa no orvido, o que estes professores tem na verdade, é medo de perderem a vaga, pois perderão hora/aula nestas matérias, que ao meu ver devem mesmo ter carga horária reduzida, já que o que mais importa para o aluno é chegar na faculdade sabendo ler, escrever, interpretar textos e conhecer o básico da matemática, o resto é para “encher linguiça”, já que nas escolas da rede pública os professores não estão nem ai para o aluno, se aprendeu, aprendeu, se não aprendeu que se ferre… isso sem falar na “qualidade” dos nosso professores do ensino fundamental e médio, não é mesmo???