Bomba explode no Colégio Estadual do Paraná e fere aluno

Secretaria da Educação quer se reunir com pais e professores para avaliar situação (Foto: Divulgação/AEn).

por Thais Kaniak, via G1 PR

A Secretaria de Educação do Paraná (Seed) confirmou, nesta sexta-feira (9), que um aluno do Colégio Estadual do Paraná (CEP), em Curitiba, ficou ferido após ser atingido por uma bomba, que foi levada à  escola por outro estudante. O aluno ferido foi encaminhado a um hospital e já foi liberado.

Segundo a Polícia Militar, a ocorrência foi registrada por volta das 16h de quinta-feira (8) pela mãe da vítima. A mulher informou que o filho foi atingido por um artefato explosivo dentro do colégio. Conforme a polícia, o ferimento do garoto foi na cabeça e o dono da bomba que explodiu seria um adolescente de 15 anos.

O pai de um terceiro estudante do colégio denunciou o caso ao G1 relatando a situação. O adolescente teria jogado o artefato na fila da cantina, atingindo três alunos. No e-mail, o homem ainda contou que as bombas no colégio têm sido constantes.

A Secretaria de Educação afirmou que será realizada uma reunião na próxima segunda-feira (12) com pais, direção e assessoria jurídica do colégio para definir o que será feito.

5 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Boa Tarde.

    O delinquente que jogou a bomba nos garotos é filho de um policial e nada indica que será expulso..

    O jovem atingido teve queimaduras de segundo grau no rosto e pescoço, perdeu parte da sobrancelha e teve também o cabelo queimado….se não acreditam basta fazer uma visita à ele . Só não ficou cego porque usa óculos e isso o protegeu do pior.

    É este tipo de aluno que o Colegio estadual quer formar?! Acho que não.

    Abraço!

  2. Isso vem ocorrendo com frequencia , mas o colégio abafa .
    Acho que só reformulando td o quadro de funcionários. , e capacitando eles para comandar um colégio grande como o Estadual . Os alunos precisam de limites, não podem entrar lá e fazer o que bem entendem , e o Colégio fazer de conta que nada ouve .

  3. Sr. Roberto,
    Quando se refere ao papel da escola e tenta denegrir a imagem dos professores está se comportando igual e até pior aos pais da maioria dos alunos que frequentam as escolas do Paraná. Infelizmente, todos acham que a escola é a salvação dessa sociedade que aí temos. Poucos acreditam que os profissionais que estão na escola são vítimas de alunos e suas famílias sem limites e pouco podem fazer, pois nada é permitido, como cobrança ou punição. Até mesmo a polícia e o ministério público protegem esse tipo de aluno e as suas famílias desestruturadas. Pobre daquelas crianças e adolescentes que ainda possuem famílias que as educam e ensinam valores essenciais ao convívio, porque estão convivendo com a marginalidade permitida. Aconselho que o senhor procure estar mais informado sobre o que anda acontecendo e ajude a escola, os seus profissionais e os alunos de boa índole, assim como cobre da Secretaria, medidas punitivas que surtam resultados.

  4. O quê? Até assessoria jurídica o CEP tem?

  5. Esmael, veja o quanto este pessoal que cuida das crianças e adolescentes estão totalmente incapazes de ver o que acontece dentro de suas escolas e no comportamento dos alunos. Mas muitos estão la concursados , ninguem pode mandar embora igual uma escola particular, e se estes delinquentes agem assim é porque os Pais jogam toda responsabilidade a escola e não são incentivados a acompanhar o seu desenvolvimento e tarefas escolares, deixam para a Escola tudo e quando se deparam com um filho adulto já dai não da mais tempo pra reverter toda indução e influencias adquiridas neste ambiente que deveria ser escolar, mas semaiam o ódio dentro politizando todos desde criança com suas teses e doutrinas…
    A inteligencia da Policia tem que ser acionada para ver quem é “o professor de quimica que faz apologia ao nazismo”, as tribos que existem la dentro, os conteudos orquestrados por professores que levam alunos a curtirem desde cedo muiscas que remetem aos crimes e a violencia..mas isto é muito trabalhoso é melhor ficar assim correndo atras do prejuizo..é muito mais comodo.