10 de novembro de 2012
por Esmael Morais
16 Comentários

Para se livrar de penas, Marcos Valério entrega tucanos

do Brasil 247

Sem chances de obter benefícios com a delação premiada na Ação Penal 470, que ocorre no Supremo Tribunal Federal (STF), o publicitário Marcos Valério, apontado como operador do esquema chamado de “mensalão”, apela agora para a entrega de líderes do PSDB envolvidos no apelidado de “mensalão tucano”, suposto esquema ocorrido durante a campanha do hoje deputado federal Eduardo Azeredo pela reeleição ao governo de Minas Gerais.

Tanto para o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, autor da denúncia do “mensalão” petista, quanto para o relator do processo, ministro Joaquim Barbosa, a sugestão de diminuir a pena de Valério em troca da colaboração do empresário tumultuaria o julgamento, que já está no final. Para Gurgel, porém, Valério poderia se valer da delação premiada nos processos que ainda não foram concluídos, como no caso da AP 536, que também tem Barbosa como relator.

De acordo com o advogado Dino Miraglia, de Belo Horizonte, “Marcos Valério está entregando todo mundo do PSDB”, informou o jornal Correio do Brasil. “O esquema todo, para se livrar das penas que deverá receber quando esta ação for julgada (…). Na ação contra os tucanos, ele está contando tudo o que sabe”, completou. Segundo Miraglia, “Minas está em polvorosa”. Ele é responsável por uma petição para que o STF estabeleça a conexão entre o caso conhecido como “lista de Furnas” e o “mensalão tucano”.

Numa carta publicada no blog do jornalista Luis Nassif, o advogado de Valério, Marcelo Leonardo, confirma a delação de informações, inclusive de nomes. “Quanto ao chamado ‘mensalão mineiro’, o andamento do caso está em fase bem mais adiantada do que se imagina. A etapa das investigações já foi concluída, e nela Marcos Valério forneceu todas as informações, inclusive os nomes dos políticos ligados ao PSDB (deputados e ex-deputados) que receberam, em contas bancárias pessoais, recursos financeiros para custear as despesas do segundo turno da tentativa de reeleição do então governador Eduardo Azeredo, em 1998, tendo Leia mais

10 de novembro de 2012
por Esmael Morais
11 Comentários

Revista diz que tráfico planejou assassinar deputado Francischini

Fernando Francischini está na mira dos traficantes, diz PF. Foto: à‰poca.

A coluna de Felipe Patury, da revista à‰poca, revela que o deputado federal paranaense Fernando Francischini (PEN) está na mira do tráfico. Há um relatório da Polícia Federal (clique aqui para ler) mostrando que 17 criminosos presos combinaram matar o parlamentar. ... 

Leia mais

10 de novembro de 2012
por Esmael Morais
19 Comentários

Repaginado, Chik Jeitoso anuncia fim das mandingas e feitiços

Bruxo vai pendurar as chuteiras. Veja o Chik de antes e o Jeitoso de agora.

O místico Chik Jeitoso anunciou, neste sábado (10), que vai trocar a toga!, a capa vermelha que utiliza para fazer suas mandingas certeiras, por um vistoso terno da marca Armani. Ele diz que deixará as Lâminas Sagradas! de lado porque pretende novos voos a partir de 2013.  ... 

Leia mais

10 de novembro de 2012
por Esmael Morais
9 Comentários

Inquéritos sobre empresa de filho de Lula são arquivados

Em 2005, a revista Veja estampou na sua capa denúncia contra Fábio Luís Silva, o Lulinha, sobre suposta irregularidades da Gamecorp, empresa de games da qual é sócio. Ontem, a Procuradoria da República do Distrito Federal (PR-DF) arquivou o caso alegando que não há provas.

O mesmo expediente a revista usou para acusar o ex-ministro do Esporte, Orlando Silva, no começo do ano, que também foi absolvido pelo Conselho de à‰tica da Presidência da República.

A pergunta que não quer calar: a revista Veja se retratará? A conferir.

A seguir a matéria publicada no portal G1 Brasília:

do G1 Brasília

A Procuradoria da República do Distrito Federal (PR-DF) divulgou nota nesta sexta-feira (9) na qual afirma que dois inquéritos que apuravam irregularidades nos negócios de Fábio Luís Silva, filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Leia mais

10 de novembro de 2012
por Esmael Morais
5 Comentários

Bomba explode no Colégio Estadual do Paraná e fere aluno

por Thais Kaniak, via G1 PR

A Secretaria de Educação do Paraná (Seed) confirmou, nesta sexta-feira (9), que um aluno do Colégio Estadual do Paraná (CEP), em Curitiba, ficou ferido após ser atingido por uma bomba, que foi levada à  escola por outro estudante. O aluno ferido foi encaminhado a um hospital e já foi liberado.

Segundo a Polícia Militar, a ocorrência foi registrada por volta das 16h de quinta-feira (8) pela mãe da vítima. A mulher informou que o filho foi atingido por um artefato explosivo dentro do colégio. Conforme a polícia, o ferimento do garoto foi na cabeça e o dono da bomba que explodiu seria um adolescente de 15 anos.

O pai de um terceiro estudante do colégio denunciou o caso ao G1 relatando a situação. O adolescente teria jogado o artefato na fila da cantina, atingindo três alunos. No e-mail, o homem ainda contou que as bombas no colégio têm sido constantes.

A Secretaria de Educação afirmou que será realizada uma reunião na próxima segunda-feira (12) com pais, direção e assessoria jurídica do colégio para definir o que será feito.

Leia mais

10 de novembro de 2012
por Esmael Morais
9 Comentários

O mensalão! tucano

por Mino Carta, via CartaCapital

A mídia nativa entende que o processo do mensalão! petista provou finalmente que a Justiça brasileira tarda, mas não falha. Tarda, sim, e a tal ponto que conseguiu antecipar o julgamento de José Dirceu e companhia a um escândalo bem anterior e de complexidade e gravidade bastante maiores. Falemos então daquilo que poderíamos definir genericamente como mensalão! tucano. Trata-se de um compromisso de CartaCapital insistir para que, se for verdadeira a inauguração de um tempo novo e justo, também o pássaro incapaz de voar compareça ao banco dos réus.

Réu mais esperto, matreiro, duradouro. A tigrada atuou impune por uma temporada apinhada de oportunidades excelentes. Quem quiser puxar pela memória em uma sociedade deliberadamente desmemoriada, pode desatar o entrecho a partir do propósito exposto por Serjão Motta de assegurar o poder ao tucanato por 20 anos. Pelo menos. Cabem com folga no enredo desde a compra dos votos para a reeleição de Fernando Henrique Cardoso, até a fase das grandes privatizações na segunda metade da década de 90, bem como a fraude do Banestado, desenrolada entre 1996 e 2002.

Um best seller intitulado A Privataria Tucana expõe em detalhes, e com provas irrefutáveis, o processo criminoso da desestatização da telefonia e da energia elétrica. Letra morta o livro, publicado em 2011, e sem resultado a denúncia, feita muito antes, por CartaCapital, edição de 25 de novembro de 1998. Tivemos acesso então a grampos executados no BNDES, e logo nas capas estampávamos as frases de alguns envolvidos no episódio. Um exemplo apenas. Dizia Luiz Carlos Mendonça de Barros, presidente do banco, para André Lara Rezende: Temos de fazer os italianos na marra, que estão com o Opportunity. Fala pro Pio (Borges) que vamos fechar daquele jeito que só nós sabemos fazer!.

Afirmavam os protagonistas do episódio que, caso fosse preciso para alcançar o resultado desejado, valeria usar a bomba atômica!, ou seja, FHC, transformado em arma letal. Veja e à‰poca foram o antídoto à  nossa capa, divulgaram uma versão, editada no Planalto e bondosamente fornecida pelo ministro José Serra e pelo secretário da Presidência Eduardo Jorge. O arco-da-velha Leia mais

10 de novembro de 2012
por Esmael Morais
2 Comentários

BatBarbosa encontra um rival à  altura no STF

do Brasil 247

Aos poucos, diversas vozes da sociedade brasileira começam a atentar para o risco que Joaquim Barbosa representa no comando do Supremo Tribunal Federal. O ministro já mereceu puxões de orelha de Dora Kramer, de Merval Pereira e do jornal Estado de S. Paulo, que, em editorial, afirmou que ele terá que vigiar seu comportamento antes de assumir o comando da mais alta do corte do País. Mas o estilo é o homem, como já foi lembrado aqui no 247.

Agora, quem se levanta contra os abusos recorrentes do ministro apelidado de “Batman” nas redes sociais, é um dos seus colegas, o “coringa” da corte, Marco Aurélio Mello.

Deus queira que ele entenda que o presidente coordena, e não enfia goela abaixo o quer que seja. Nós somos iguais, nos completamos mutuamente. A divergência é própria do regime democrático. Não estamos ali para o relator colocar a matéria e sermos vaquinhas de presépio para dizer amém!, afirmou Marco Aurélio, em evento na Advocacia-Geral da União.

Marco Aurélio, no entanto, não tem a expectativa de que Joaquim Barbosa corrija seu comportamento, como prega o Estadão. De tédio não morremos.! Em conversas reservas, critica constantemente as “recaídas” do futuro presidente da corte, que, a seu ver, já nem podem mais ser definidas como recaídas, mas quase como um comportamento padrão. E não fala apenas por si. Vocaliza críticas entaladas na garganta de ministros como Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli, Rosa Weber e Carmen Lúcia, que também foram agredidos pelo “estilo” de Barbosa durante o julgamento da Ação Penal 470.

Afora o estilo, o coringa Marco Aurélio também criticou a decisão de re Leia mais