Zaki Akel se reelege reitor da UFPR com 61,06% dos votos

por Antonio Senkovski, via Gazeta do Povo

Zaki Akel. Foto: Ivonaldo Alexandre/Gazeta do Povo.

O atual reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Zaki Akel Sobrinho, foi o mais votado na consulta feita à  comunidade acadêmica, por meio de eleição, para continuar no cargo de Reitor da instituição. Sua concorrente era a diretora do Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Tarcisa Bega. Akel somou 61,06% dos votos contra 38,94% de Tarcisa.

As informações são da assessoria de imprensa da UFPR, divulgadas na manhã desta quinta-feira (11). Segundo a Comissão Paritária de Consulta, organizadora da eleição, os votos das três categorias que compõem a comunidade !“ estudantes, professores e técnicos !“ têm o mesmo peso de um terço da soma total.

Agora, o Conselho Universitário da instituição deve encaminhar uma lista tríplice de nomes ao Ministério da Educação (MEC) até o dia 18 de outubro. A primeira indicação ficará com a chapa vencedora da eleição, a segunda com a perdedora e a terceira com nomes escolhidos em acordo entre os concorrentes. O MEC tem liberdade para escolher qualquer um dos três, mas, em respeito à  autonomia da instituição, tem por tradição acatar a decisão das urnas.

No total, 9.177 estudantes votaram, sendo 4.123 para Tarcisa e 4.747 para Akel, sendo que 307 não foram válidos. A UFPR tem um total de 30 mil alunos aptos a votar. Os números apontam que pelo menos dois terços não depositaram seus votos nas urnas.

Já entre os técnicos, 3.585 participaram do processo eleitoral para reitor. Do total, 1.249 escolheram a chapa da diretora e 2.030 votaram no atual reitor. Neste setor, a UFPR tem 3,5 mil servidores ativos, mas também podem votar os inativos.

Entre os professores, 2.156 votaram !“ 1.709 em Tarcisa e 1.436 em Akel. Neste setor, a universidade tem cerca de 3 mil ativos. Os docentes aposentados também têm direito a voto.

As eleições aconteceram nos dias 8 e 9, em Palotina, e nos dias 9 e 10 em Curitiba e no Litoral. A apuração foi feita toda na madrugada desta quinta-feira (11). Os votos foram contados da meia-noite até as 6 horas da manhã. A contagem só iniciou quando todas as urnas chegaram ao local de apuração.

Greve

A eleição para reitor foi transferida por causa da greve que durou 120 dias em 2012. A princípio, a eleição ocorreria no dia 4 de setembro. Com a universidade vazia, o debate ficou reduzido à s mídias sociais e a pequenos grupos de discussão.

1 Comentário

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. A eleição somente seria paritária se os votos dos alunos atingissem no mínimo o número de 10.000 votos. Portanto, esta eleição não foi paritária.