Os erros capitais de Luciano Ducci

Erro de estratégia, arrastou o prefeito Luciano Ducci para o cadafalso.

Em 5 de junho passado, antes mesmo no início da campanha do 1!º turno, eu cravei aqui neste espaço o que seria o primeiro grande erro estratégico do prefeito Luciano Ducci!, do PSB, que não conseguiu avançar para a segunda etapa eleitoral.

Há quatro meses este blogueiro fez o seguinte registro:

Os estrategistas de Ducci erraram feio ao levá-lo à  cova do leão, ou seja, para dentro da briga do PMDB. Esse movimento brusco do prefeito obrigou o até então acuado Greca a atacá-lo. O candidato do PSB virou agora alvo preferencial do candidato do PMDB…!.

Já durante a campanha, outras escorregadas ajudaram a sepultar o projeto de reeleição do prefeito. Uma delas tem a ver com o erro de cálculo dos duccistas que decidiram abrir fogo contra o candidato Ratinho Junior (PSC), mesmo estando em guerra aberta contra Gustavo Fruet (PDT) em outra frente. Portanto, o candidato do governador Beto Richa (PSDB) começou a receber disparos de duas frentes ao mesmo tempo, além da atuação do franco atirador Greca.

A escolha do vice do candidato à  reeleição foi bastante tumultuada. Vários se colocaram à  disposição, mas Richa optou pelo deputado federal Rubens Bueno (PPS). Além de não ir para o segundo turno, o “limpinho” também não conseguiu eleger a filha e o genro vereadores de Curitiba, nem emplacou seu candidato a prefeito em Campo Mourão !“ sua principal base política –, onde já foi prefeito.

O último erro capital cometido pela campanha de Ducci, a meu ver, teve relação com aparição na TV do vice-governador e secretário da (des)Educação, Flávio Arns (PSDB), considerado até agora pelos educadores como o pior secretário que a pasta já teve em toda a história do Paraná.

Aproveito comentário de uma professora, que se identifica como Maria!: Se a Seed (Secretaria de Estado da Educação) tivesse cumprido as promessas com professores e funcionários das escolas sobre a reposição salarial e o cumprimento da Lei do Piso, como a hora-atividade, não tivesse fechado turmas, enfim, não tivesse enrolado a comunidade escolar, não teriam faltado os 4 mil votos para Ducci!.

Um dos coordenadores da campanha de Gustavo Fruet (PDT), que passou para o segundo turno, observa que numa disputa eleitoral, na derrota, sempre haverá vários culpados, assim como na vitória, onde cada ação também será sobrevalorizada pelos interessados.

Comentários encerrados.