‘Não quero apoio de caciques’, diz Fruet sobre segundo turno em Curitiba

por Estelita Hass Carazzai, da Folha

Fruet: “A política no Paraná sempre foi muito reacionária”. Foto: Everson Bressan.
O candidato à  Prefeitura de Curitiba Gustavo Fruet (PDT) afirmou, durante debate eleitoral na noite de quarta-feira (10), que “não quer nem irá procurar apoio de caciques” para o segundo turno.

Fruet fez a declaração depois de seu adversário, Ratinho Junior (PSC), angariar nesta semana o apoio do PMDB –do ex-governador Roberto Requião– e de parte do PSDB –do atual governador Beto Richa. Os dois representam os principais grupos políticos do Estado.

Richa, cujo candidato ficou em terceiro lugar na votação de domingo, optou pela neutralidade, mas boa parte de sua base está declarando apoio a Ratinho Junior.

A candidatura de Fruet é sustentada por uma coligação com o PT dos ministros Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Paulo Bernardo (Comunicações), partido que nunca governou o Estado, mas pretende lançar a ministra ao cargo em 2014.

“A política no Paraná sempre foi muito reacionária. [Há] caciques na política do Paraná. Eu não pedi apoio desses caciques e não quero apoio desses caciques nesta eleição”, disse Fruet, durante participação no debate promovido pelo jornal “Gazeta do Povo” na noite desta quarta-feira (10).

Comments are closed.