Em nota oficial, coligação de Zé Vicente acusa tucana Beti Pavin pelo imbróglio eleitoral em Colombo

Zé Vicente (PSC).
Três dias depois das eleições municipais, os eleitores da cidade de Colombo, na região metropolitana de Curitiba, ainda não sabem quem será o próximo prefeito.

No site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), aparece Zé Vicente (PSC) prefeito “eleito” com 48% dos votos válidos. No entanto, a candidata Beti Pavin, que concorreu mesmo com a candidatura indeferida pela Lei da Ficha Limpa, obteve 51,5% dos votos, que não foram computados pela Justiça Eleitoral.

De acordo com o artigo 224, do Código Eleitoral, em caso de nulidade de votação, quando atingido mais de 50% do sufrágio, procede-se nova eleição para evitar que a minoria! assuma o poder, ou seja, o segundo colocado na disputa.

Diante desse imbróglio eleitoral, a coligação Para Frente Colombo!, do prefeito “eleito” Zé Vicente, emitiu nota oficial na tarde desta quarta-feira (10) acusando a tucana Beti Pavin de ter mentido aos eleitores sobre sua situação perante a Justiça. Além da instabilidade no município, eles também acusam a adversária de fraude e estelionato eleitoral.

A seguir, leia a íntegra da nota oficial da coligação Para Frente Colombo!:

1 – A coligação Para Frente Colombo! lamenta o clima de instabilidade, bem como, à  possível necessidade de novas eleições na cidade em razão da inelegibilidade da candidata Beti Pavin por ser enquadrada como Ficha Suja por contas rejeitadas quando houve desvio de recursos da Educação e fraudes em licitações como julgado pelo Poder Judiciário. Diante da condenação por desvios de recursos públicos, teve o seu registro indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná e pelo Tribunal Superior Eleitoral, em ação promovida por esta coligação, cidadãos de Colombo e pelo Ministério Público.

2 – A situação precária da candidatura de Pavin era de conhecimento da imprensa e de alguns cidadãos, mas não cabia à  candidatura Zé Vicente manifestar-se sobre a condição da campanha de sua adversária, isto porque, nossa campanha foi propositiva, sempre apresentando programas de governo, melhorias para a nossa cidade e para a nossa população, cabendo à  imprensa, organismos não governamentais, ao Poder Judiciário e ao Ministério Público o papel de conscientização da situação da candidata impugnada, ainda mais em razão do fato ocorrido em que a candidata Pavin empreendeu forte e maciça campanha afirmando que era mentira a cassação de sua candidatura, tanto que firmou jornais de campanha, jingles eleitorais, sob o tema: à‰ mentira desses loucos!, buscando desqualificar tanto à  justiça, quanto a imprensa paranaense, tendo nossa coligação informado e pedido providências ao Poder Judiciário.

3 – Infelizmente tanto o Poder Judiciário quanto o Ministério Público não entenderam naquele momento como fraude ou estelionato eleitoral a conduta mentirosa de nossa adversária, omitindo-se em coibir ou prestar as informações à  população de Colombo acerca da situação da candidatura precária do PSDB 45, optando por não informar para não prejudicar eventuais candidaturas ou lesar a isonomia entre os candidatos, acabou por prejudicar a plena ciência da situação de todas as candidaturas a prefeito de nossa cidade, causando a confusão ao eleitor que votou em Beti Pavin sem conhecimento de sua real situação e mais de 20% dos eleitores de Colombo, que, em sinal de protesto, optaram por não votar, votar em branco ou nulo.

4 – A nossa coligação Para Frente Colombo! lamenta a falta de verdade com a população que poderá ser obrigada a novamente participar de novas eleições e a criação de instabilidade político-administrativa, possibilitando que nossa cidade comece 2013 sem um prefeito eleito para cuidar de nossa cidade e de nossa gente.

Comments are closed.