Em Londrina, Barbosa Neto denuncia suposta fraude em urnas eletrônicas

* Advogada diz que falha digital possibilita ‘desvio de votos’

Barbosa Neto.

A Coligação de Barbosa Neto (PDT), candidato à  prefeitura de Londrina, denunciou ontem que não foram observados os procedimentos definidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para a geração de mídias que carregaram as urnas eletrônicas da 157!ª Zona Eleitoral.

A 157!ª Zona Eleitoral representa mais de 20% do eleitorado municipal e pode definir se haverá ou não segundo turno, assim como a classificação dos candidatos para um eventual embate final.

O assunto foi abordado em entrevista coletiva à  imprensa, concedida no início da noite desta sexta-feira por Barbosa e pela advogada Maria Aparecida Cortiz, especialista em votação eletrônica, que requereu o refazimento do processo de geração de mídias observando o sistema e versão determinados pelo TSE.

A coligação do pedetista reclama que a mídia londrinense, apesar da gravidade da denúncia, não deu uma só linha sobre essa sabotagem que pode comprometer as eleições deste domingo.

Barbosa foi afastado da Prefeitura em 30 de julho pela Câmara de Vereadores e ele diz que vem sendo prejudicado de todas as formas pela grande imprensa na atual campanha.

Ouça a reportagem de Rafael Machado, da Rádio Brasil Sul:
[audio:https://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2012/10/pdt061012.mp3]
Clique aqui para fazer download do arquivo.

3 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Em Saquarema-RJ aconteceu um fato muito estranho. Antes das eleições era só andar pelas ruas e perguntar em quem o eleitor iria votar que a resposta era unânime: Pedro Ricardo, candidato da oposição. Pois bem, o rapaz perdeu em todas, eu disse todas as 173 urnas da cidade. Perdeu e perdeu de muito. O mais estranho é que hoje, um mês após as eleições você vai às ruas e os eleitores continuam unânimes em dizer que votaram em Pedro Ricardo. Seria muito mais cômodo pro eleitor dizer que votou na candidata vitoriosa. Mas não, o eleitor bate o pé afirmando que votou no outro. Curiosamente, é difícil encontrar alguém que confirme que votou na candidata vencedora, que coincidentemente é a esposa do deputado estadual Paulo Melo, presidente da ALERJ. Existem vários relatos da internet e inclusive vídeos no YOUTUBE atestando a vulnerabilidade dessas urnas. Está lá pra quem quiser assistir. O fato é que esse triunvirato: Cabral, Zveiter e Paulo Melo atenta contra a democracia. Todos os poderes encontram-se de um lado só da balança, prejudicando a alternância do poder, principal filosofia da democracia. O fato é que não adianta espernear, pois o TSE, por mais que existam evidências que comprovem, jamais irá admitir fraudes em suas ‘caixas pretas’. O ideal seria que a urna eletrônica emitisse, também, um cupom onde mostrasse em quem o eleitor votou. E que esse cupom fosse colocado numa urna tradicional ao lado dos mesários, para fins de comprovação posterior. Uma coisa é certa: nenhum outro país no mundo, depois de examinar, quis comprar nosso “˜avançadíssimo, rápido e moderno’ método de escrutínio, nem o Paraguai…

    • Concordo com o Sr., apenas discordo do comentário maldoso sobre a República do Paraguay.

      No Paraguay a carga de impostos é muito inferior a do Brasil e existe segurança ao se andar nas ruas, inclusive em Ciudad del Este… antiga Puerto Stroissner

  2. Acho que nesse ponto o Barbosa Neto tem razão…essas urnas….
    http://www.youtube.com/watch?v=0AKR-Lo-700

    Vejam o video