Depois de denúncia contra pedágio, deputado do Paraná pede licença para andar armado

* Acusados negam envolvimento com “máfia” do pedágio

Deputado Ney Leprevost (PSD).
O deputado estadual Cleiton Kielse (PEN) cumpriu sua promessa, nesta segunda-feira (15), ao denunciar quatro colegas, da tribuna da Assembleia Legislativa do Paraná, de participar de uma máfia! comandada pelas empresas de pedágio. Desde julho passado, o parlamentar vinha dizendo que deputados foram comprados pela máfia do pedágio!.

Kielse acusou nesta tarde os colegas de parlamento Ney Leprevost (PSD), Valdir Rossoni, presidente da Casa, o líder do governo, Ademar Traiano (PSDB), e o primeiro-secretário Plauto Miro (DEM), de envolvimento nada republicano com as pedagiadoras.

O deputado do PEN acusa Ney Leprevost de ter recebido R$ 1 milhão em contribuição de campanha para enterrar a CPI do Pedágio. Leprevost nega a acusação e diz que Kielse é bandido!. O político do PSD disse que pedirá a cassação de Kielse.

“Coloco aqui a minha segurança em risco e peço nesta tribuna a cassação do deputado Cleiton Kielse”, discursou Leprevost.

Também se dizendo ameaçado, inclusive por um segurança da própria Assembleia, o acusador Kielse pediu autorização para andar armado.

Os tucanos Rossoni e Traiano também negaram favorecer o lobby do pedágio na Assembleia. Eles optaram pela linha de desqualificar as denúncias e o denunciante. O presidente da Casa garantiu que na próxima quarta-feira (17) voltará à  tribuna para rebater, item por item, as denúncias contra ele.

Segundo Rossoni, as denúncias de Kielse têm motivação política. Amanhã, terça-feira (16), deverá ocorrer as eleições para a mesa executiva da Assembleia Legislativa. Isto é, se o fogo! não consumir a todos.

Comments are closed.