“De poste em poste, o Brasil vai ficar iluminado”, diz Lula

do Brasil 247

No palanque de Márcio Pochmann (PT) em Campinas (SP), ex-presidente Lula ironiza o termo “poste”, utilizado para designar a então candidata à  presidência Dilma Rousseff, em 2010, e o ex-ministro Fernando Haddad, candidato à  Prefeitura de São Paulo; Lula atacou o adversário de Pochmann, Jonas Donizette (PSB). Não há na história deste país radialista que distribui cadeira de roda que tenha dado certo como prefeito de uma cidade!. Foto: BR247.
O ex-presidente Lula ironizou neste sábado o termo “poste”, usado para designar os candidatos que ele ‘concebeu’, como a presidente Dilma Rousseff e o candidato do PT à  Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad. A resposta aos críticos ocorreu durante comício do candidato petista em Campinas, Márcio Pochamnn, e ao lado de Dilma.

“No começo, diziam que o Márcio era apenas um poste, como diziam que a Dilma era um poste, que ela não ia governar. O Márcio é um poste. Pois bem, é de poste em poste, o Brasil vai ficar iluminado”, disse o ex-presidente.

Durante o discurso, Lula lembrou sua derrota nas eleições presidenciais de 1989 para dizer que o Brasil perdeu a chance de evoluir a partir daquele momento, caso tivesse sido eleito. O ex-presidente também criticou duramente o concorrente de Pochmann, o deputado federal e ex-radialista Jonas Donizette (PSB).

Não há na história deste país radialista que distribui cadeira de roda que tenha dado certo como prefeito de uma cidade!, disse Lula.

Já a atual presidente reforçou o discurso pró-Pochmann, que presidiu o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) no governo petista.

“Diziam que eu não tinha experiência, que eu era uma pessoa que não era capaz de governar, o que eles queriam apontar é que nós somos os representantes de uma nova forma de fazer política, política decente”, disse a presidente.

Dilma aproveitou para elogiar Lula por lançar novos nomes na política.

“Temos de reconhecer a visão política desse líder latino-americano, internacional, que é o nosso querido Lula”, disse Dilma.

“Esse líder que percebe o que há de melhor nas pessoas, uma pessoa que dá oportunidades”, completou, acrescentando: “Precisamos de gente sem vícios, sem aqueles tiques da política tradicional e velha, clientelista, da distribuição de pequenos benefícios e presentes”.

Comments are closed.