Cadê as pesquisas do DataRatinho e do DataPicler?

Ex-ministro Ricupero é ídolo das empresas de pesquisa.

Ninguém sabe, ninguém viu. As sondagens dos institutos IRG Consultoria (DataPicler) e do Datacenso (DataRatinho) não vieram à  luz ontem (25), como prometia registro no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Por que as duas pesquisas, uma encomendada pela Uninter, do vice-presidente do PDT Wilson Picler, e outra pela campanha de Ratinho Junior (PSC), não deram o ar da graça?

Sobram especulações na praça acerca do sumiço dos levantamentos. Uns dizem que os números do DataPicler “saíram” muito altos, coisa que até o próprio Picler — coordenador da campanha de Gustavo Fruet (PDT) — duvidou; também há quem diga que Ratinho reagiu.

Já o DataRatinho teria chegado aos mesmos índices que o Datafolha, por isso não divulgou o trabalho.

Uma coisa é certa, a partir dos ensinamentos destas eleições, instituto de pesquisas que prestam serviços à s campanhas não podem registrar sondagens, pois, caso desagrade o contratante, elas não são trazidas a público.

Resumo da ópera: Os institutos de pesquisas contratados pelas campanhas levam a sério aquela velha máxima de Rubens Ricupero, ex-ministro da Fazenda de FHC: “o que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde”.

Comentários encerrados.