Fichas sujas barrados pela Justiça Eleitoral preparam substituições

Tucano vetado dribla Lei da Ficha Limpa com a mulher

da Folha de S. Paulo

A candidata a prefeitura de Araras (SP) Gabi e seu marido Pedrinho Eliseo, que não pode concorrer a eleição. Foto: Caio Kenji/Folhapress.
O PSDB conseguiu driblar a Lei da Ficha Limpa em Araras, a 168 km de São Paulo. Um tucano cassado em 2009 e agora vetado pela Justiça Eleitoral colocou a mulher como candidata a prefeita. A substituição de candidatos é permitida pela legislação.

Fonoaudióloga e dona de uma loja, Gábi foi escalada pelo marido, Pedrinho Eliseu, assim que ele teve a candidatura barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Somos um só”, disse o tucano. “Vou contribuir como secretário, se ela for eleita, mas a Gábi foi escolhida pelos partidos e apoiada em redes sociais porque era uma forma de manter o projeto.”

Eleito em 2008, ele foi cassado logo no início do mandato, acusado de abuso de poder econômico.

Segundo a decisão, ele foi favorecido pela propaganda de um jornal. Eliseu nega e diz que a decisão foi “antidemocrática”.

De acordo com a Lei da Ficha Limpa, ele ficará oito anos sem disputar eleição.

Gábi assumiu a chapa, mas o marido aparece em outdoors e santinhos. O programa de governo no site do TSE é assinado por Eliseu.

A candidata afirma que, se eleita, não fará um mandato de fachada. “Eu jamais me sujeitaria a entrar como marionete de alguém. Tenho responsabilidade como cidadã e capacidade para fazer minha administração.”

Comments are closed.