De @gustavofruet sobre @LucianoDucci: Nunca precisei justificar ou esconder meu patrimônio!

* Pedetista diz que Ratinho Jr ‘depende’ do governo

Fruet mira na cabeça de Ducci na busca pelo segundo turno.

Nunca precisei justificar ou esconder meu patrimônio, ou passar bens para o nome de familiares!, afirmou Gustavo Fruet, candidato a prefeito de Curitiba pelo PDT, no jantar de campanha promovido pelo empresário João Camargo, na noite de ontem (26).

A frase de Fruet tem como base a decisão da Procuradoria Regional da República, que determinou que a Receita Federal investigue as denúncias de irregularidades na evolução patrimonial do candidato à  reeleição, prefeito Luciano Ducci (PSB), que concorre à  reeleição.

Na edição desta quinta-feira, o jornal Gazeta do Povo informa que o procurador Angelo Ilha da Silva determinou que a Receita investigue o caso. O pedido se baseia na análise do material entregue pela bancada de oposição da Câmara Municipal de Curitiba à  Procuradora Regional da República.

A revista Veja, em edição de junho deste ano, também já havia realizado reportagem sobre o assunto. Conforme a revista de circulação nacional, o casal Ducci aumentou seu patrimônio em 30 vezes nos últimos quatro anos. A denúncia também está sendo analisada pelo Ministério Público Estadual.

O candidato Gustavo Fruet vem pedindo aos eleitores que analisem o histórico político dos seus concorrentes e as respectivas condutas pessoais antes de decidir em quem votar nas eleições do dia 7 de outubro.

No Congresso Nacional, Fruet afirma sempre tomou posições firmes e mostrou atitude. Ele diz que votou contra a CPMF e pela redução da carga tributária para beneficiar o setor produtivo e pelo aumento do salário mínimo para beneficiar os trabalhadores.

Participei ativamente da CPI do Mensalão. As provas que levantamos foram consideradas válidas e, hoje, nosso relatório é base do julgamento que está acontecendo em Brasília, o qual vai mandar para a cadeia políticos de vários partidos, banqueiros e empresários envolvidos no caso. Qual foi a posição do deputado federal do PSC na questão do mensalão? Qual foi sua posição em relação à  CPMF e ao aumento do salário mínimo? Ele nunca tomou nenhuma atitude!, revelou.

Dando também uma canelada em Ratinho Junior (PSC), Fruet lembrou que voltou de Brasília sem concessão de rádio ou televisão, sem indicações políticas, sem depender do governo para nada.

O candidato do PSC voltou com concessão de rádio e televisão. Ele não é independente como declara, depende, sim, de verbas do governo em suas empresas. Qual será a posição do candidato do PSC na prefeitura? Irá contra os interesses de suas empresas para apoiar os direitos da população?!, confirmou.

Comentários encerrados.