Censura à s pesquisas: “à‰ o segundo turno, estúpido!”

Gustavo Fruet (PDT).
Na campanha pela reeleição de Bill Clinton, nos Estados Unidos, em 1996, o estrategista James Carville cravou em um quadro de avisos um dos motivos do êxito do presidente: à‰ a economia, estúpido!!.

Em 2010, na campanha pelo Palácio Iguaçu, o então candidato Beto Richa (PSDB) usou e abusou da censura à s pesquisas para vencer nas urnas. Preferiu ficar com a fama de autoritário a perder eleitores que gostam de votar sempre naqueles que estão liderando as sondagens.

Nestas eleições, Gustavo Fruet (PDT) segue a mesma estratégia de Richa. Pretende deixar os eleitores no escuro até 7 de outubro. Ontem, por exemplo, o pedetista conseguiu censurar o Datafolha e, ao que tudo indica, também tentará barrar o Ibope previsto para sexta-feira.

“Eu não brigo com pesquisa. Nunca entrei (na Justiça) para censurar nenhuma pesquisa. Entendo que quanto mais informação melhor!, disse Fruet em 30 de agosto, durante entrevista na rádio BandNews, indicando que mudou de opinião a partir de ontem.

Os advogados de Fruet disseram que o Datafolha não informa a fonte de seus dados e por isso o instituto não tem obrigação quanto aos números que vai usar.

Até as capivaras do Parque Barigui sabem que Fruet despencou nas pesquisas. Não há segredo nenhum nisso. A novidade é que o pedetista roubou! a bandeira da censura que estava empunhada pelo prefeito Luciano Ducci (PSB). Melhor: dividiu a bandeira com o prefeito.

Para quem não sabe, segundo as pesquisas divulgadas anteriormente, a corrida pela prefeitura de Curitiba é liderada por Ratinho Jr (PSC) e Ducci.

Por que Gustavo Fruet começou censurar as pesquisas, prática que ele era ferrenho crítico? Vou parafrasear o estrategista norte-americano James Carville para responder isso: à‰ o segundo turno, estúpido!!.

Comments are closed.