Samek minimiza intenção do governo paraguaio de não vender mais energia para o Brasil

da EFE

Jorge Samek.

O diretor brasileiro da hidrelétrica binacional de Itaipu, Jorge Miguel Samek, minimizou nesta quarta-feira (8) a intenção do presidente do Paraguai, Federico Franco, de não “ceder” mais a energia excedente ao Brasil.

“Não estou preocupado, pois Itaipu tem um contrato e um tratado que estabelecem claramente as formas de compra e de funcionamento, no qual eles (os paraguaios) compram a energia necessária e o que não consomem é comprado pelo Brasil”.

A reação ocorreu depois que Franco, em discurso publicado nesta quarta-feira pela Presidência do Paraguai, afirmou: “a decisão do Governo é clara e não continuaremos cedendo nossa energia”.

O presidente paraguaio ainda concluiu: “notem que usei a palavra ‘ceder’, porque o que estamos fazendo é dar energia ao Brasil e à  Argentina, pois não a estamos vendendo”.

Samek, no entanto, comentou que na semana passada se reuniu com Franco, durante uma visita do governante à  hidrelétrica, e que o líder paraguaio o assegurou que “tudo estava normal”.

“à‰ claro que, se eles consomem mais, haverá menos energia para o Brasil, mas para isso se requer a instalação de novas indústrias e fatores que levem a um maior consumo (no Paraguai). Tudo isso está muito bem explicado no contrato”, avaliou o diretor brasileiro.

5 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Ei, nao da pra mandar o embaixador paraguaio no senado brasileiro, o alvaro dias, que eh tao amigo do “presidente paraguaio” perguntar o motivo desta trairagem, e naum quero parecer tendencioso, mas o psdb, o dem e o pig apoiaram novamente quem quer prejudicar o Brasil, para ajudar uma fabrica de aluminio canadense?

  2. so se o chile comprar enrgia do paraguai.pra eles usar os 95 % que vendem ao brasil.o consumo deles deve dobrar o consumo atual num ano, e impossivel. mesmos que cresçam o consumo de energia do paraguai.o paraguai dobrando o consumo, gastarão 10% da energia que toca pra eles de itaipu. precisaria 9 anos crescendo 10% ao ano . então e impossivel eles não vender energia para o brasil. recocolocar um montante gigantesco de enrgia duma hora para outra nem os americanos fazem isso,que leva anos de trabalho serio,e eficaz. eu vejo os olhos dos apresentadores da grande impressa falar nesse assunto, começa brlhar de sastifação,mas a hora que eles fizer as contas verão que e brefe do paraguai. o reino unido não gosta da argentina ,então eles podem tentar ferrar a argentina eo brasil ,como fizeram no seculo ,xviii. jogando tres imbecis a uma guerra boba ,que foi a guerra do paraguai,mas quem ganhou a guerra foi a inglaterra.e dom pedro o reino e a moral. as tres nações brasil, argentina , e paraguai não devem cair na conta do vigario, precisam se entender. para bem ao povo paraguaio ,brasileiro ,e argentino,a inglaterra que vá catar coquinho!

  3. essa polemica da imprensa sobre enrgia do paraguai.e para cobrir o o pouco de brio que lhes restou.pelas mantiras ,que agora atraves de docomenotos estão sendo desmentidos.tem ministro que cochila no stf ,pois não o que julgarse eles acatarem as provas documentais,agora se os ministros do stf fizerem que mem o gurgel ai sim a imprensa crescede novo.mas os brogues estão de olho. essa greve da plocia federal e politiqueira pois hoje ouvi um agente pronunciar diante da miriã graciano ,o nome da dilma presidente.então tiro minha conclusão .que pode ser para abafar a vergonha das caluniasdo ministerio publico e policarpiage. direito de expressão preservado pela onu e constituição do brasil. ninguem pode ser punido por palavras, nem os brucutus romanos condenavam uma pessoa por se expressar!

  4. Quem ve até pensa que o Paraguai tá podendo! kkkkkkkkk

  5. E o que o Árvaro Dias acha disso será?