Ex-candidato a vice de Belinati entra na chapa de Barbosa Neto

por Edson Ferreira, via Folha de Londrina

Bordin disse não temer o imbróglio jurídico. Foto: Folha.

Um dia depois da renúncia do empresário Clóvis Coelho (PTC), que abandonou a campanha do ex-prefeito Barbosa Neto (PDT), alegando preocupação com as disputas jurídicas travadas pelo pedetista para recuperar o mandato, o ex-vereador Professor Carlos Bordin (PDT) foi apresentado como o novo candidato a vice-prefeito na coligação que disputa o Executivo de Londrina.

Bordin já foi vereador na legislatura de 2000 a 2004 e também candidato a vice de Antônio Belinati nas eleições municipais de 2004. Na época, a chapa chegou ao segundo turno, perdendo para o petista Nedson Micheleti. Ontem, durante reunião na sede do comitê, com a presença de candidatos a vereador e filiados, ele disse à  FOLHA que a disputa jurídica travada pelo ex-prefeito Barbosa Neto para anular a sessão da Câmara que cassou o seu mandato não vai atrapalhar a campanha.

”Acredito no trâmite da Justiça e o Barbosa vai reverter essa.”

Em meio aos discursos entusiasmados aos correligionários, coube ao presidente do PTC, Ulisses Sabino, defender a união da chapa e, sem citar nomes, ele afirmou que ”esse (Bordin) não vai arredar o pé”. ”Na política, se não tiver determinação, não adianta”, disse. Na quarta-feira, quando comentou a renúncia de Coelho, Sabino havia dito à  reportagem que o desistente ”não é político”.

Bordin afirmou que o seu nome foi ventilado pelo partido antes da confirmação de Coelho, porém, ”eu estava fora da cidade e não foi possível aceitar naquele momento”. Questionado sobre um eventual imbróglio na Justiça Eleitoral, levando-se em conta que Barbosa pode ser impedido de assumir mesmo se vencer nas urnas, Bordin mostrou confiança. ”Hoje a situação jurídica é essa, mas ele vai reverter, senão fosse assim eu não estaria aqui apoiando ele.”

Barbosa Neto confirmou que a indicação do Professor Bordin foi feita já nas primeiras reuniões do partido, porém o nome de Coelho surgiu para acomodação na política na chapa. ”Até tinha unanimidade no partido para o nome de Bordin, mas com a coligação formada foi deixado para que o PTC e o PSDC indicassem e aí foi com o Clóvis Coelho.” O ex-prefeito negou que esteja entrando na disputa correndo o risco de não ser diplomado, caso eleito. Para ele, ”é discurso da oposição”. ”Se até aquela data, 5 de julho (último dia para registro de candidatura), eu preservei os meus direitos políticos, então eles estão mantidos.”

Comentários encerrados.