Por Esmael Morais

Vazamento de áudio complica situação de secretário de Beto Richa

Publicado em 31/07/2012

Confira a transcrição do áudio que levantou a suspeita do MP sobre o secretário estadual Ricardo Barros. Ele conversa com Leopoldo Fiewski, secretário municipal de Maringá.

Fiewski !“ Oi chefe, diga!

Barros !“ à‰… bom, sobre a licitação da publicidade.

Fiewski !“ Tá.

Barros !“ Você viu que tem duas empresas só?

Fiewski !“ Sim, fiquei sabendo ontem.

Barros !“ Tá, então primeiro fica a minha preocupação, né.

Fiewski !“ Hum hum, hum hum.

Barros !“ Que os caras não podem ter montado um negócio desses, né. Que era para ser filha única só, concorrente único. Então, inicialmente, o requisito não cumpre isso. Segundo, eu queria que você promovesse uma conversa dos dois: da Trade com a Meta.

Fiewski !“ Tá.

Barros !“ Um acordo nisso aí. Tá bom?

Fiewski !“ Tá. Hum hum.

Barros !“ Quem sabe fazemos uma solução salomônica aí. Porque eu achava que eles tinham se preparado pra… você imagina se ficasse um licitante só. A situação nossa, nossa situação.

Fiewski !“ Ia ficar muito ruim. Mas muito ruim.

Barros !“ Claro, corremos o risco de o Ministério Público mandar suspender e ficamos sem propaganda, pô! Entendeu. Então eu não gosto de coisa de amador, sabe Léo. De qualquer forma você, por favor, vê se faz um entendimento aí.

Fiewski !“ Hum hum.

Barros !“ Se não tiver entendimento, paciência né?

Fiewski !“ Hum hum.

Barros !“ Eu sinceramente não vi as propostas e tal, mas eu acho que a coisa pode acabar atrapalhando aí.

Fiewski !“ Hum hum. Tá bom. Hum hum.

Barros !“ Veja pra mim se dá pra fazer um entendimento aí o mais rápido possível entre os dois. (…)