PV ameaça pular fora da canoa de Serra em São Paulo

PV ameaça rever apoio a Serra em São Paulo

da Folha.com

José Serra. Foto: ZUHAIR MOHAMAD/AGàŠNCIA ESTADO.

O PV marcou para amanhã uma reunião de dirigentes nacionais e das seções estadual e municipal de São Paulo para reavaliar o apoio ao tucano José Serra na sucessão paulistana.

O partido se queixa de ter sido alijado do processo de escolha do vice na chapa de Serra, Alexandre Schneider (PSD). O também ex-secretário municipal Eduardo Jorge, filiado ao PV, era um dos cotados para o posto.

Segundo o deputado federal José Luiz Penna (SP), presidente nacional do PV, o partido não foi nem sequer comunicado oficialmente da escolha de Schneider. “Não soubemos quais foram os critérios que o fizeram preterir o Eduardo Jorge”, disse na tarde desta segunda-feira à  Folha.

O PV é um dos cinco partidos que integram a aliança de Serra, formada ainda pelo partido do candidato, o PSDB, e mais PSD, DEM e PR. Essa coalizão deve dar ao tucano um tempo diário de propaganda eleitoral estimado em 7 minutos e 49 segundos. Desse total, o PV contribui com cerca de 24 segundos.

A escolha de um vice do PSD foi selada depois que o partido do prefeito Gilberto Kassab ganhou no STF o direito a ter uma fatia expressiva do fundo partidário e do tempo de TV no horário eleitoral.

A decisão não incomodou apenas os aliados: no próprio PSDB houve protestos pelo fato de Serra ter feito mais uma concessão a Kassab, que já emplacara a tese da aliança também na eleição para vereadores.

Comentários encerrados.