PSDB terá candidata “sub judice” em Colombo

Candidatura da tucana Beti Pavin ainda carece de confirmação.

A ex-deputada Beti Pavin (PSDB) foi homologada no sábado (30), último dia para as convenções, como candidata à  prefeitura de Colombo, na região metropolitana de Curitiba, um dos maiores colégios eleitorais do Paraná. Até aí tudo bem, nenhum reparo.

O problema da tucana começará quando ela for registrar sua candidatura, cujo prazo fatal será no próximo dia 5 de julho, como determina a legislação eleitoral.

Até prova em contrário, segundo especialistas em Direito Eleitoral ouvidos pelo blog, Pavin está inelegível devido nova decisão proferida na sexta-feira (29) pela desembargadora Maria Aparecida Blanco de Lima, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ).

Inseguro com a situação jurídica da candidata tucana, o PMDB colombense realizou sua convenção, mas deixou a ata em aberto para que a executiva municipal celebre a coligação.

O caso de Beti Pavin não é o único na região metropolitana e muito menos no Paraná e no Brasil.

Em Campo Magro, também na Grande Curitiba, o ex-prefeito Louvanir Joãozinho! Menegusso (DEM) está na lista dos inelegíveis do Tribunal de Contas do Estado. Ele reuniu 12 partidos para a disputa de outubro, no entanto, deverá partir para a guerra sub judice.

A história se repete em Paranaguá, no Litoral. O candidato do PMDB, Mário Roque das Dores, ex-prefeito e líder nas pesquisas de opinião, pode até ganhar, mas, segundo analistas políticos, pode não levar. A situação lembra muito a de Antonio Belinati (PP), de Londrina, que em 2008 venceu, mas em virtude de pendências judiciais não pôde assumir. O município teve que realizar um terceiro turno no começo de 2009. Além disso, há também uma confusão partidária. O secretário-geral do PMDB do Paraná, deputado João Arruda, disse que a candidatura de Roque não representa os interesses do partido.

Comentários encerrados.