Pesquisa Datafolha vulnerável à  censura em Curitiba

Ducci, Ratinho, Fruet e Greca estarão no primeiro pelotão.

A Folha de S. Paulo e o grupo de comunicação paranaense RPC, dono da Gazeta do Povo, contrataram pesquisa do Datafolha para medir a febre eleitoral na capital paranaense. Se não houver contestação judicial, o resultado deverá vir à  baila neste sábado (21) pelas páginas do jornal paulista.

Pois bem, segundo informações registradas pelo instituto no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR) serão realizadas 800 entrevistas entre hoje (19) e amanhã (20) e margem de erro será de 3 pontos para mais ou para menos.

Mas é na metodologia do Datafolha que a porca pode torcer o rabo.

A pedido deste blog, um expert em pesquisas eleitorais apontou as seguintes inconsistência na sondagem que podem levar à  impugnação do Datafolha:

1) O principal argumento que levou à  impugnação de pesquisas no Paraná em eleições anteriores foi a ausência de controle nos estratos de grau de instrução e nível econômico baseados nos dados do último Censo. Neste pedido de registro do Datafolha o problema persiste, pois o instituto diz que novamente não haverá controle dessas variáveis porque serão utilizados os resultados obtidos aleatórios em campo, ou seja, não será objeto de controle estatístico.

“Para as variáveis grau de instrução e nível econômico do entrevistado (renda familiar mensal), o fator previsto para ponderação é 1 (resultados obtidos em campo)”, diz texto explicativo do instituto paulista.

2) O voto em eleições municipais tem muita ligação com os problemas que o eleitor vive no local de moradia (ausência de creche, transporte coletivo precário, etc.). Para confiarmos nos resultados de uma pesquisa sobre eleições municipais espera-se que o critério divisão geográfica, onde as entrevistas serão feitas, seja rigorosamente calculado; no entanto, o Datafolha apenas informa que as entrevistas serão realizadas em 52 pontos de fluxo dentro da cidade e que, só depois de divulgar os resultados do levantamento, informará quais bairros foram pesquisados, não se comprometendo com uma divisão proporcional dentro da cidade nem com a divulgação desta lista junto com a pesquisa onde pudéssemos fiscalizar no detalhe o trabalho feito.

“àrea física: Município de Curitiba, em 52 pontos de abordagem sorteados aleatoriamente. A relação completa dos bairros pesquisados será encaminhada a esse tribunal posteriormente, após a publicação dos resultados.”

3 – Se questionado, o Datafolha alega que não pode informar isso antes porque poderia haver movimentos de candidatos para colocar seu pessoal para responder e contaminar a amostra, mas podemos questionar o fato dessa informação não estar disponível no ato da entrega do resultado.

Resumo da ópera: O Datafolha sobre a disputa de Curitiba, previsto para este sábado (21), é muito vulnerável a tentativas de censura; agora, qual candidato terá a coragem de barrar o primeiro levantamento depois dos registros das candidaturas?

12 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. RSRSRSRSRsrsrsrsrsrsrsrsrsrs…………….

  2. o grande responsavel por esses tipos de fatos, é o próprio eleitor mesmo…eleitor ñ tem coerencia no voto,se vende a troco de banana,vota em quem esta nafrente nas pesquisas,mesmo q o candidato seja incompetente, mas esta nas frente nas pesquisas,o eleitor vota nele pra ganhar o voto, e isso é a maior idiotise dos eleitores brasileiros…ganhar votos,mesmo q muitas vezes, ele esta votando contra si mesmo,como ocorreu nas eleiçoes pro governo do estado,ou seja, se o eleitor do pananá imaginasse q o beto, iria aumentar a agua, as taxas do detran, os malditos tarifaços, os eleitores jamais votariam no beto, e ele ñ seria o governador hoje.mas penso q nessas eleiçoes o povo esta mais concientes, espero q ñ me engane, mas o ducci, luciano, sei la , ñ ganha essa!

  3. Só quero saber de uma coisa: na induzida (quando citam os nomes dos candidatos) como vão se referir ao atual prefeito? Ducci, Luciano ou Luciano Ducci? Acho que se perguntarem do Luciano e informarem que o seu vice é o Rubens Limpinho, ele cai mais ainda…

  4. O Luciano Richa deve tentar impgnar as pesquisas sim, à exemplo do que fez o padrinho político dele, o Beto. Aliás, até parece que o candidato a prefeito de Curitiba é o governador. Já vi outras vezes a estratégia de colar em alguém para vencer uma eleição, mas nesse caso é uma Beto dependência…

  5. Acaso o candidato à reeleição amargue uma terceira ou quarta colocação,certamente os patronos da candidatura lançaram mão de toda sua influência,poder de pressão e de coação sobre o TRE para impedir a divulgação do resultado da pesquisa,ganhando tempo enquanto tentam encontrar uma manerira de reverter o irreversível.

  6. Sim, esse xuxu é com “X”

  7. Se tudo correr bem, no mínimo, o picolé de xuxu vai cair pra 4ª posição!

  8. Qual o interesse da folha de São Paulo nas eleições de Curitiba, quem encomendou a pesquisa, dos 52 pontos da cidade, quantos na periferia,
    800 eleitores é igual a 0.073% do eleitorado, será que merece crédito ?

  9. O problema dessas pesquisas é a FAJUTICE impregnada nas mesmas. Essa coisa deveria ser proibida de uma vez por todas pois não colabora em nada com o processo politico além de contribuir para que incautos sejam induzidos a votar em quem pensam que é o melhor. FAJUTICE PURA!

  10. se a metodologia de pesquisa é falha, o levantamente pode e deve ser barrado sim! Se um dos campos de pesquisa for nos arredores da rede massa, o resultado vai ser um, se for proximo das academias ao ar livre, a média puxara pra outro, e assim vai…para uma pesquisa ter validade, ela deve ser metodologicamente perfeita. Afinal, todos nós sabemos que os resultados podem mudar completamente uma estratégia de campanha!

  11. Quer apostar que é o de sempre, o play boy esta todo borrado de medo do seu candidato não sair do lugar.