Paraguaios fazem protesto pró-Lugo em Cidade do Leste

por Cassiane Seghatti, do G1 PR, no Paraguai

Manifestantes paraguaios pretendem bloquear Ponte da Amizade (Cassiane Seghatti).

Cerca de 200 manifestantes, entre sem-teto, líderes políticos e integrantes de movimentos sociais, estão reunidos desde a manhã desta quarta-feira (27) em frente a prefeitura de Cidade do Leste, no Paraguai, para protestar contra o impeachment de Fernando Lugo.

Segundo eles, a intenção é bloquear a Ponte da Amizade, ligação entre o Brasil e o Paraguai, por volta das 14h. Para isso, aguardam a chegada de camponeses e mais manifestantes.

O objetivo do fechamento do principal acesso entre os países vizinhos é chamar a atenção para a situação política do país, garantiu uma das manifestantes.

Nós queremos a volta do presidente Lugo e que em 2013 o povo decida quem vai ser o presidente!, disse ao G1 o padre Nilo Marmol, um dos organizadores da manifestação.

Nos dias de maior movimento, cerca de 35 mil pessoas cruzam a Ponte da Amizade, e 15 mil veículos passam de um país para o outro.

Para outra manifestante, eles são contra a forma como o correu o processo! de mudança de presidente.

A gente não defende a pessoa do Lugo, defendemos o processo que foi feito!, afirmou.

Na terça-feira (26), ocorreram manifestações em dezenas de cidades do interior do Paraguai contra a destituição do poder do ex-presidente Lugo. Em Assunção, grupos fizeram vigília em protesto ao novo governo.

Na fronteira, cerca de 200 pessoas de reuniram, por volta das 20h, em frente a um shopping que na saída de Cidade do Leste. De acordo com a polícia, a manifestação foi rápida.

Afastamento de Lugo

Federico Franco assumiu o governo do Paraguai na sexta-feira (22), após o impeachment de Fernando Lugo. O processo contra ele foi iniciado por conta do conflito agrário que terminou com 17 mortos no interior do país. A oposição acusou Lugo de ter agido mal no caso e de estar governando de maneira “imprópria, negligente e irresponsável”.

O processo de impeachment aconteceu rapidamente, depois que o Partido Liberal Radical Autêntico, do então vice-presidente Franco, retirou seu apoio à  coalizão do presidente socialista. A votação, na Câmara, aconteceu no dia 21 de junho, resultando na aprovação por 76 votos a 1 !“ até mesmo parlamentares que integravam partidos da coalizão do governo votaram contra Lugo. No mesmo dia, à  tarde, o Senado definiu as regras do processo.

Na tarde de sexta-feira, o Senado do Paraguai afastou Fernando Lugo da presidência. O placar pela condenação e pelo impeachment do socialista foi de 39 senadores contra 4, com 2 abstenções. Federico Franco assumiu a presidência pouco mais de uma hora e meia depois do impeachment de Lugo.

Em discurso, Lugo afirmou que aceitava a decisão do Senado e na ocasião pediu que seus partidários fizessem manifestações pacíficas e que “o sangue dos justos” não seja mais uma vez derramado no país.

O país enfrenta uma série de protestos.

Comentários encerrados.