O trabalho silencioso do senador Sérgio Souza

20120613-221150.jpg

O senador Sérgio Souza (PMDB) vem surpreendendo o mundo político não pela estridência de seu mandato, o primeiro, mas pelo eficiente trabalho em silêncio.

O novato senador peemedebista, afilhado do ex-governador Orlando Pessuti, herdou a cadeira na Câmara Alta da petista Gleisi Hoffmann, que foi convocada no ano passado pela presidenta Dilma Roussef para assumir a chefia da Casa Civil.

Pois bem, vou citar um exemplo desse trabalho “mineirinho”. Ontem Sérgio Souza reuniu num ato político, realizado na Câmara dos Deputados, parlamentares, juízes, defensores públicos e advogados em Defesa da criação dos Tribunais Regionais Federais (TRFs) do Paraná, Amazonas, Bahia, Minas Gerais, previstos na Proposta de Emenda à  Constituição (PEC) n!º 544/2002.

No evento, o senador sugeriu o envio de um manifesto à  presidenta Dilma Roussef mostrando a união desses estados e a importância na vida dos seus cidadãos a criação dos TRFs, além de apontar a necessidade de novas vagas de desembargadores nesses futuros tribunais.

O projeto de criação dos quatro novos TRFs já foi aprovado do Senado, mas ainda precisa passar pelo crivo da Câmara para se tornar realidade.

Se a solução está na outra Casa, não tem problemas. Sérgio Souza, coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Criação dos Tribunais Regionais Federais, liderou a apresentação de uma carta aberta ao presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT), pedindo a inclusão do tema na pauta.

Enfim, o trabalho silencioso e eficiente do senador Sérgio Souza não aparece na mídia porque ela é conservadora e é avessa ao novo. Está presa ao cacoetes do século retrasado. Prefere prestigiar somente os “ilustres” burgueses de uma época que não existe mais.

Comentários encerrados.