Jornalista Vinícius Coelho morre atropelado em Curitiba

por Samuel Nunes, do G1 PR

Vinícius Coelho. Foto: Reprodução/RPCTV.

O jornalista Vinícius Coelho, de 80 anos, morreu na tarde desta quarta-feira (27), após ser atropelado na BR-476, em Curitiba, no Paraná. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o acidente aconteceu em um trecho onde são feitas obras da Linha Verde.

Conforme a PRF, o jornalista tentava atravessar a rodovia, bastante movimentada. Um caminhão que seguia no sentido São Paulo havia parado para que o jornalista pudesse passar. Porém, outro veículo na direção contrária não viu o pedestre.

O motorista do outro veículo teve ferimentos leves. Ele foi atendido e levado ao Hospital Cajuru, também em Curitiba.

Filho do jornalista foi assassinado

Vinicius Coelho era pai do estudante Bruno Strobel, assassinado em 2007. Os acusados do crime eram seguranças da empresa Centronic. Segundo a polícia, os vigilantes flagraram Bruno pichando o muro de um hospital, no bairro Alto da Glória. O jovem desapareceu e o corpo foi encontrado dias depois na Rodovia dos Minérios, em Almirante Tamandaré.

De acordo com o processo, em vez de encaminharem o estudante para a delegacia, os seguranças o levaram para a sede da empresa e o torturaram. A promotoria defende a tese de que os seguranças queriam dar uma espécie de corretivo no jovem mas, quando descobriram que Bruno Strobel era filho do jornalista esportivo Vinícius Coelho, decidiram matar o rapaz e assim tentar uma possível impunidade. Strobel foi assassinado com um tiro na cabeça.

Carreira

Vinícius Coelho foi um dos principais cronistas esportivos do Paraná. O jornalista passou pelos principais veículos de comunicação do Brasil. No Paraná, ele trabalhou no jornal Gazeta do Povo e na RPC TV.

Coelho cobriu nove Copas do Mundo. Porém, um dos momentos mais marcantes da carreira foi quando ele narrou a final do Campeonato Brasileiro de 1985, quando o Coritiba foi o campeão, em cima do Bangu.

4 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. mais um acidente nesta maldita linha verde esta obra cheia de defeitos erros de progeto e nao termina nummmmmmca quantos ainda teram que morrer para que a sociedade tome uma providencia emmmm…

  2. Como coxa e como paranaense estou triste. Estamos de Luto. A família minhas condolências. O futebol do Parana, a torcida coxa branca e o jornalismo do Estado esta bem menor hoje. Viva Vinicius Coelho. Acho que o Coritiba tinha que usar, ao menos este ano o grande hino que Vinicius compôs em 1967. Cori, Cori Coritiba o eterno campeão sempre presente no meu coração.

  3. Acho que esse é o momento para assinarmos a petição: não foi acidente e evitarmos tragédias desse tipo. Por vezes, cabe a sociedade a mobilização. http://vanessadesouza.wordpress.com/2012/06/28/atropelamento-e-impunidade-nao-foi-um-acidente/

  4. Muito triste e lamentável o passamento deste que considero um dos maiores cronistas do Brasil.
    Lembro me sem muito esforço da sua narração da final do campeonato brasileiro de 1985 lá no Maracanã, lembro também que o narrador oficial da rede Globo estava muito tendencioso ao Bangu, aí a TV Paranaense acionou o ilustre Vinícius Coelho para narrar o 2º tempo pelo telefone, a qual considero a mais marcante, que até me fez arrepiar de emoção.
    Lembro ainda de sua marca que ao narrar o feito maior do futebol, parecia alguém que não tinha fôlego de esticar o GOOOOOOLLLLL, e ele narrava assim: Gol, Gool, Gooool, do Coxa!!!
    Doces lembranças.
    Todos perdemos, mas o COXA perdeu mais.
    Lembro que quando seu filho se foi, ele disse que o céu ganhou uma estrela, assim, com seu falecimento, repetimos: além do Bruno, o céu tem mais uma estrela.
    Descanse em paz, grande Guerreiro.