AL aprova antecipação da eleição da mesa diretora

Artagão pode ser o nome do PMDB para disputar a presidência da Assembleia

da Folha de Londrina

Depois de certa polêmica nos bastidores, os deputados estaduais aprovaram ontem o projeto de lei sugerido pelo presidente da Assembleia Legislativa (AL) do Paraná, Valdir Rossoni (PSDB) que antecipa a eleição da mesa diretora da Casa para o mês de outubro. Antes, o processo ocorria em dezembro.

O projeto foi aprovado com uma alteração apresentada pela bancada do PMDB, uma vez que a proposta original não fixava data para a eleição, apenas o mês. A preocupação de parte dos parlamentares é que este processo interno do legislativo fosse marcado para uma data antes de serem realizadas as eleições municipais, o que não era encarado com bons olhos, uma vez que os deputados se dedicam à s campanhas das prefeituras, seja por suas candidaturas próprias ou para apoiar pessoas de sua base de apoio. Assim, a emenda de autoria de Caíto Quintana (PMDB) determina que, após reunião de líderes partidários, a eleição seja marcada somente a partir do dia 10 de outubro, com antecedência mínima de cinco dias.

O mandato dos membros da mesa diretora é de dois anos. Na composição dos integrantes da mesa deve ser observada a ”representação proporcional dos partidos ou blocos parlamentares formados até o dia da posse, no início de cada legislatura”, conforme determina emenda aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Além de Rossoni, que deve tentar a reeleição ao cargo, a bancada peemedebista da Casa articula uma candidatura própria. O nome que se ventila nos corredores da AL é do deputado Artagão Junior, que deixa a sua candidatura em aberto. Ele justifica que, como a maior bancada do Legislativo estadual, o PMDB deve pleitear, sim, a presidência da Casa.

Dentro do ninho tucano poderia haver uma outra possibilidade no lugar de Rossoni. Nas últimas semanas, muito se fala nos corredores em desentendimentos entre Rossoni e o atual líder do governo na AL, Ademar Traiano (PSDB), que também poderia ter interesses em concorrer à  presidência da mesa. Outros parlamentares encaram essa suposta rivalidade com descrédito, desconfiando tratar-se de apenas uma estratégia para desarticular alguma concorrência para Rossoni.

Comentários encerrados.