Veja o vídeo: Idoso morre em Curitiba por falta de atendimento médico em posto 24 Horas

via G1 PR

Um idoso de 74 anos morreu após sofrer uma parada cardíaca por volta das 7h30 de segunda-feira (21), em Curitiba. Segundo o filho dele, Jonathan Pereira da Silva, a morte foi causada por falta de atendimento em um posto de saúde 24 horas do bairro Centenário.

“Quando cheguei para dar entrada no posto, à s 6h50, fui informado por duas recepcionistas que não tinha médico no local e que elas não podiam fazer nada. Como eu estava desesperado, elas me orientaram para procurar o Hospital Cajuru, que fica longe do local, para tentar uma consulta. Achei um absurdo (…), depois disso, elas viraram as costas e continuaram a conversar”, disse Jonathan, em entrevista ao G1, na manhã desta terça-feira (22).

Jonathan levou o pai para consultar no Hospital Cajuru, mas ele sofreu uma parada cardíaca e morreu na maca. “A médica me disse que se ele tivesse sido atendido antes, teria sobrevivido”, contou o filho.

O gestor de saúde de Curitiba, Matheus Chomatas, não confirma o desfalque e afirma que no horário em que o rapaz chegou com o idoso, já havia médicos no local. “Neste horário, nós já tínhamos sete profissionais em atendimento na unidade, inclusive na questão de urgência e emergência e também nas consultas eletivas. Então, não vou duvidar de ninguém, a única coisa é que eu não tenho registro de atendimento”, justificou.

Chomatas disse também que a falta de médicos foi causada apenas durante o período da tarde por um desentendimento entre os próprios profissionais e pacientes. “Durante o período da tarde houve um desentendimento de alguns profissionais de saúde com alguns pacientes, principalmente de mães de pacientes, e os pediatras se recusaram a fazer o atendimento e saíram. Aí nós tivemos que fazer uma reposição da equipe e ficamos mais ou menos entre uma hora e meia e duas horas sem atendimento de pediatria na unidade. Remanejamos alguns pacientes para unidades dos bairros Boqueirão e do Boa Vista”.

“Eu nem sei o que falar (…), só digo que isso é uma falta de vergonha e por causa disso meu pai perdeu a vida”, finalizou Jonathan.

3 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Eu sou enfermeira, trabalho em uma unidade de saude 24 hrs, convivo com isto todos os dias……e percebo que o que ois funcionarios podem fazer, eles fazem,mas nada funciona individualmente e sim em equipe…se cada um fizesse a sua parte, teria-mos menos casos assim…..com relaçao ao abandono dos pediatras…..posso dizer que, em varios momentos ha agressao por parte dos pacientes ou acompanhantes, e em vista disso os medicos se recusam a trabalhar…pela grosseria e ma educaçaõ do povo………mas, por outro lado….convivo tbm com ma educacao e grosseria por parte dos proprios funcionarios………ou seja…..e agressao de ambos os lados………ainda assim relevo o nervosismo do pcte ou acompanhante, pois quando vc esta com alguem doente vc fica nervoso e estressado mesmo…..e isso com certeza todo mundo é capaz de entender…….eu mesma passei por momentos ruins……….enfim….eu, como funcionaria do cmum 24hrs, passo por isso todos os dias….e tent.o da melhor maneira fazer meu trabalho

  2. O que? “Os pediatras se recusaram a fazer o atendimento?” Isso é um absurdo, profissionais como esses tem que ser exonerados.

  3. É UMA TRAGÉDIA O PREFEITO DUCCI SENDO MÉDICO E A SAÚDE ESTAR NESSA CALAMEIDADE PÚBLICA, AINDA BEM QUE O ANO QUE VEM ELE VAI CLINICAR NOS POSTOS DA CITY.