Reviravolta em Ponta Grossa. PSDB pode apoiar PT de Péricles Mello

* Ministro assume papel de articulação política do partido no PR

Ministro Paulo Bernardo opera apoio tucano para o petista Péricles de Mello.

Reportagem de capa do Jornal da Manhã, de Ponta Grossa, nos Campos Gerais, informa neste domingo (20) que o primeiro-secretário da Assembleia Legislativa do Paraná, Plauto Miró (DEM), comunicou que não disputará a prefeitura do município nestas eleições.

Pois bem, a desistência do parlamentar “demo” teria relação direta com a preferência — e compromisso anterior — do governador Beto Richa (PSDB) com a candidatura do também deputado Marcelo Rangel (PPS).

O intrincado jogo eleitoral pontagrossense tem mais um ingrediente que fragmenta o campo político do Palácio Iguaçu (sede do executivo estadual) na cidade e na região. O atual prefeito do município, o tucano Pedro Wosgrau, não engole nem com farinha a candidatura de Rangel.

Diante da desistência de Plauto e do apoio do governador a Rangel, o prefeito Wosgrau ensaia uma surpreendente guinada à  esquerda, isto é, ao flertar com a possibilidade de apoiar a candidatura do terceiro deputado da cidade — o petista Péricles Mello.

A engenharia política, segundo informa a publicação assinada por Eduardo Farias, tem o dedo do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que cada vez mais tem mergulhado nas questões paroquiais. Paralelamente, a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, se dedica à  tarefa nacional de ajudar a presidenta Dilma Rousseff.

A desenvoltura de Bernardo na cena política paranaense, de uns tempos para cá, tem deixado o Palácio Iguaçu com a pulga atrás da orelha. Não há um só município de médio e grande porte que o ministro não esteja à  frente das articulações eleitorais. Vide os casos de Londrina, Maringá, Foz do Iguaçu, Ponta Grossa, Paranaguá, Cornélio Procópio, Cascavel, região metropolitana de Curitiba, dentre outros municípios considerados estratégicos pelo PT.

Comentários encerrados.