Parolin é ocupado para instalação da segunda UPS de Curitiba; veja o vídeo da 1!ª ocupação em 2005

O jornalista José Wille, da CBN Curitiba, pendurou em seu blog um vídeo sobre a ocupação da favela Parolin em 2005. Corria o governo de Roberto Requião (PMDB), hoje no Senado.

Pois bem. Nesta quinta-feira (03), o bairro acordou com mais uma ocupação. Desta vez, de acordo com o governo de Beto Richa (PSDB), é para instalar a segunda Unidade Paraná Seguro (UPS).

A operação de hoje envolve cerca de 300 policiais militares, civis e guardas municipais.

A primeira UPS foi implantada no último dia 1!º de março no bairro Uberaba.

4 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Prender traficantezinhos esquálidos é fácil…

  2. FALTA UMA UPS NA CÂMARA MUNICIPAL DE CURITIBA.

  3. Parabéns a Secretaria de Segurança Pública pela operação. Pena que ocorre só um vez a cada 07 (sete) anos).
    A força tarefa da PM e da Guarda Municipal deveriam também passar um pente fino nas casa do PAC, onde foi disseminado moradores da comunidade por todo bairro da Vila Guaira, fragilizando a segurança dos moradores ao entorno , principalmenteo complexo de sobrados que esta situado no final da rua Manoel Hyigino ao lado do Esporte Club BONNI , pois sou morador desta localidade tive meu imóvel bastante desvalorizado, a ordem pública é desrespeitada constantemente com sons em alto volume durante toda a madrugada, tiroteios e trafico de entorpecentes, constante perseguições de taxista mediante a roubos de carros e dos moradores da região. O que é mais escandaloso ainda e a outra comunidade relocada na mesma rua, esquina com Assis Figueredo onde os moradores pagam por uma quantia irrisória de R$ 50,00 tendo isenção do IPTU, Água , LUZ dentre outros benefícios.Querem confirmar? de uma passadinha por la a noite e veja a quantidade de carros que os moradores possui. Este e o cumulo do favoritismo enquanto os programas sociais prevê ajudas aos necessitados e não aos favorecidos pelo presidente da associação de bairros.