Mensalão garantia apoio a prefeito Barbosa Neto, diz Gaeco

por Marcelo Frazão, do Jornal de Londrina

Barbosa Neto (PDT).

Apesar de não haver provas do envolvimento direto do prefeito de Londrina, Barbosa Neto (PDT), no esquema de compra de votos na Câmara de Vereadores, sua administração tem se beneficiado disso. Essa é a conclusão do inquérito feito pelo Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que indicou que há uma quadrilha na cidade que aplica o sistema do mensalão !“ pagamento em dinheiro em troca de apoio de parlamentares nas votações de interesse.

Com base na conclusão, o Gaeco indiciou formalmente Marco Cito, braço-direito de Barbosa e atual coor!­!­denador do PDT; Rogério Ortega, atual chefe de gabinete da prefeitura; Alysson de Carvalho, diretor da Sercomtel; o amigo do prefeito Ludovico Bo!­!­nato e o verea!­!­dor Eloir Va!­!­lença (PHS) por formação de quadrilha.

Os quatro primeiros também foram acusados por corrupção ativa, e o vereador Eloir, por corrupção passiva. A promotoria tem prazo até o dia 11 para denunciá-los judicialmente. Enquanto isso, continuam presos. Hoje, o Gaeco entra com pedido para converter as prisões temporárias em preventivas.

O Gaeco também vai investigar outros casos de suspeita de compra de votos. Os investigadores suspeitam que o mensalão de Londrina pode ter sido usado durante outras votações importantes feitas pela Câmara de Vereadores.

São todos integrantes de um grupo criminoso formado para defender os interesses da administração!, acusou Alan Flore, delegado do Gaeco. Temos elementos probatórios fortes e pedimos desculpas para a sociedade por não poder revelá-los por estarem sob sigilo!, disse o promotor Claudio Esteves.

Para o Gaeco, o grupo ofertava propina e cargos na administração e prometia financiamento para as campanhas eleitorais dos vereadores dispostos a apoiar Barbosa Neto na Câmara. O Gaeco afirma que desde o fim de março, após a morte do vereador Renato Lemes, que era da base aliada, o grupo de apoio tentou cooptar um substituto. Para o vereador Eloir, foi ofertada a possibilidade de financiamento eleitoral da mesma forma que para o vereador Amauri Cardoso!, declarou o delegado.

Eloir alega inocência. Amauri foi quem denunciou o caso ao Gaeco, que passou a monitorar o caso. O esquema veio à  tona na semana passada, quando Bonato foi preso em flagrante após a entrega de R$ 20 mil a Amauri. O prefeito pode não saber? Perfeitamente pode e nada temos para indicar a participação direta dele no caso!, afirmou Esteves.

O Gaeco informou que não sabe a origem dos R$ 20 mil. Com base em uma confissão informal de Bonato no dia da prisão, concluíram que o dinheiro foi levado pelo diretor da Sercomtel Alysson Carvalho e entregue para Marco Cito no estacionamento nos fundos da prefeitura.

1 Comentário

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Nas cúpulas econômicas, empresariais ou políticas, são poucos os que ainda defendem o prefeito Barbosa Neto (foto) em face da saraivada de suposições plantadas na mídia contra a sua pessoa sem dar-lhe o espaço de defesa para gerar perante o público um mínimo do contraditório que se tem na esfera judicial. Os telejornais da TV Globo não noticiaram que na quinta-feira (26/04), quando esteve espontaneamente na Câmara Municipal liberando sua base de apoio – composta de 7 dos 19 vereadores – para a instauração da Comissão Processante, o prefeito londrinense propôs auditorias gerais nas contas do Executivo e do Legislativo, nos últimos oito anos. Até a oportunidade de se manifestar no plenário lhe foi tolhida, mesmo tendo direito regimental à palavra como é assegurado às autoridades em qualquer Parlamento! Este é o fato que deveriam focalizar, se pretendem mesmo prender os corruptos e corruptores. Por quê não divulgam que na mesma semana o atual prefeito foi ouvido como testemunha no caso em que o Ministério Público investiga a compra do Jornal de Londrina pela Gazeta do Povo, em circunstâncias nebulosas encobertas ou patrocinadas por seus antecessores?

    Para elucidar sobre a questão da empresa Centronic, incluo palavras do próprio Barbosa Neto, escritas em retorno que recebi dele na quarta-feira: “Não há um centavo de beneficio da Centronic na emissora de rádio Brasil Sul. Tanto é que a Justiça Trabalhista já nos isenta de tudo isto, sem contar que a própria investigação feita pela CEI (Comissão Especial de Inquérito) não pediu a abertura de uma Comissão Processante contra o prefeito, quem pediu foi o ex-secretario exonerado por mim da Secretaria de Defesa Social por Gestão temerária, pra não dizer outra coisa, que se transformou em desafeto político!” Complemento com algo que me parece isento, o texto do executivo de vendas Silvio Luiz Lozam, que copiei na coluna “Opinião do Leitor” da Folha de Londrina (03/05/2012): De dezembro de 2010 a dezembro de 2011, a Prefeitura de Londrina conseguiu ganho financeiro de R$ 78 milhões entre receita e despesa, graças ao trabalho da consultoria INDG. Então pergunto: um prefeito que permite que uma consultoria séria como o INDG se estabeleça na sua administração e implante um Programa de Modernização de Gestão Pública (PMGP) tem um perfil corrupto? Muito pelo contrário! Nunca se fez tanto em tão pouoc tempo! E por fazer tanto, a administração está sujeita a erros e acertos. Então, há um legado de atos e editais para serem “auditados”, não pela visão do benefício para a cidade, mas para “achar brechas” e fomentar vinganças e “denuncismos”. Vejo a cidade bem administrada em todas as áreas, tudo graças à economia gerada pelo PMGP. Não consigo ver o “vilão” que querem mostrar, eu vejo os seus resultados. Mas, ao que tudo indica, está sendo derrotado pelo corporativismo enraizado na cidade e que não permite que Londrina cresça e se modernize. E finalizo afirmando que está aí, na finalização escrita po Lozam, o cerne de todo o problema: a mídia não perdoa Barbosa Neto pelo corte das verbas publicitárias que só da empresa municipal de telefonia – a Sercomtel – fizeram escoar R$ 100 milhões (isto mesmo, cem milhões de reais) em oito anos de administração do prefeito que o antecedeu.

    Observem aí http://www.gazetadopovo.com.br/vidapublica/conteudo.phtml?tl=1&id=1250954&tit=Mensalao-garantia-apoio-a-Barbosa-diz-Gaeco como são sugestivas a foto e as chamadas (1) principal e (2) secundária, veiculadas pelos associados Jornal de Londrina/Gazeta do Povo nesta sexta-feira, na mesma “reportagem” postada neste blog. A intenção é direcionada à crucificar o prefeito: 1. “Mensalão garantia apoio a Barbosa, diz Gaeco”; 2. “Inquérito concluído ontem não aponta envolvimento direto do prefeito no suposto esquema de compra de apoio”

  2. em londrina vai acontecer o mesmo .tem promotores lá que podem ser um novo demostenes,é uma soposição.por que tem gente lá indo pela condenação por supostos crimes.é aquisição da idade media.hoje temos mais inquisição que nos anos 70… eu olho para o tempo que temos adiante ,e o que passou serve de comparação.mas hoje ninguem repara um erro de falso testimunho….se barbosa neto fosse do psdb não daria nada .ppor que em curitiba o povão ja esqueceu. quem manda barbosa neto ser do pdt em vez de ser psdb, psdb está sossegado.tem alguem que fala alguma coisa fica tudo bem,isso é no brasil inteiro…..