Em Londrina, oposição comanda CP contra Barbosa Neto

por Paula Barbosa Ocanha, via Folha de Londrina

Barbosa Neto.

A pressão feita pela oposição na Câmara de Vereadores de Londrina e também pelas pessoas que acompanhavam a sessão ontem nas galerias da Casa foi suficiente para alterar a formação da Comissão Processante (CP) da Centronic, permitindo que a condução dos trabalhos seja feita por três vereadores oposicionistas. Após uma série de renúncias – que começou no início da tarde com o vereador Rodrigo Gouvêa (PTC) e pouco depois com José Roque Neto (PR) – mais dois vereadores desistiram de integrar a CP antes da investigação ficar nas mãos dos vereadores Roberto Kanashiro (PSDB), presidente, Sandra Graça (PP), relatora, e Antenor Ribeiro (PSC), membro.

Os dois primeiros vereadores que renunciaram, Gouvêa e Roque Neto, já estavam sendo questionados pelos próprios parlamentares desde a última semana – principalmente pelo vereador Joel Garcia (PP), que ameaçou protocolar um pedido formal de suspeição na Casa, o que acabou não ocorrendo. No caso de Gouvêa, a renúncia aconteceu porque sua mãe foi nomeada pelo prefeito Barbosa Neto (PDT) como secretária do Idoso, em janeiro. Gouvêa fez um documento simples que foi lido no plenário pelo presidente da Mesa Executiva, Gerson Araújo (PSDB), e não se pronunciou no microfone sobre o assunto.

Em entrevista, o vereador alegou que preferiu se afastar para não dar nulidade ao processo mais tarde. ”Nem esperei o parecer da procuradoria. Eu preferi me afastar para não ter problemas de questionamentos”, explicou. O vereador se mostrou abatido e nervoso com as críticas. Na semana passada, quando a primeira formação da CP foi anunciada, Gouvêa reforçou que não teve escolha, já que os membros são definidos por sorteio. Pressionado desde então, a renúncia só foi feita ontem.

Já Roque Neto não quis comentar o motivo da renúncia, mas comunicou via assessoria de imprensa que teve uma reunião na última sexta-feira com o deputado federal Fernando Giocobo, presidente estadual do PR, na qual teria se discutido a possibilidade de lançar o vereador como pré-candidato a prefeito de Londrina.

O primeiro nome sorteado após as duas renúncias foi de Marcelo Belinati (PP). Em seguida, a vereadora Sandra Graça (PP) foi sorteada. Como Sandra e Marcelo são do mesmo partido, houve novo sorteio, saindo o nome do vereador Sebastião dos Metalúrgicos (PDT). Marcelo Belinati, contudo, também renunciou por entender que, sendo pré-candidado ao Executivo, sua participação na comissão poderia ser questionada posteriormente. ”Eu não teria nenhum problema em participar, mas se por acaso o relatório indicar a cassação do prefeito, vão falar que é porque eu sou candidato à  prefeitura.”

Como o vereador Marcelo Belinati renunciou, a vereadora Sandra pôde participar da CP e um outro vereador deve substituí-la na presidência da Comissão de Justiça. ”Porque o volume de trabalho é muito grande. Eu quero conseguir trabalhar esses 90 dias, por isso peço a nomeação de alguém.”

Sebastião dos Metalúrgicos foi o último a renunciar, alegando que ”queria evitar constrangimentos” na investigação. Via assessoria, ele alegou que ”foi uma decisão de foro íntimo”. Por fim, o nome de Antenor Ribeiro foi sorteado. Na semana passada, no primeiro sorteio da CP, Jacks Dias (PT) já tinha renunciado por ter sido citado no relatório final da Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Centronic.

A portaria que nomeia oficialmente a CP deve ser publicada hoje, e os vereadores terão cinco dias para iniciar os trabalhos. A CP tem 90 dias para investigar o suposto uso de vigias pagos com dinheiro público na rádio particular de Barbosa Neto.

2 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. CARO LIDER VALMOR STÉDILE

    ESTAMOS FIRME AO LADO DO PREFEITO BARBOSA NETO, ACREDITAMOS NA SUA PALAVRA DE INOCÊNCIA NESTA C.P., O DENUNCIANTE NÃO MERECE CREDITO ELE SÓ QUER TIRAR PROVEITO DA SITUAÇÃO APÓS SER EXONERADO, E ESTA MAU ACOMPANHADO DE PESSOAS NÃO GRATA.
    PESSOAS QUE TINHAM LIVRE ACESO AO GABINETE DO BARBOSA, E NO FINAL LHE VIROU A COSTA, TALVES ESTES NÃO CONSEGUIRAM OS BENEFICIOS QUE DESEJAVAM.
    BARBOSA NETO SEMPRE FOI SINCERO COM ESTE COMPANHEIRO DE PARTIDO, ISTO ME DA A TRANQUILIDADE DE DEFENDE-LO, ATÉ QUE PROVEM O CONTRARIO ESTAMOS JUNTO E A MILITANCIA DO P.D.T. DE LONDRINA TAMBÉM.

  2. Nas cúpulas empresariais e políticas são poucos os que ainda defendem o prefeito Barbosa Neto, em face da saraivada de suposições plantadas na mídia contra sua pessoa sem dar-lhe o espaço de defesa para gerar perante os leitores (blog’s), ouvintes (rádios) e telespectadores (televisores) o mínimo do contraditório que se tem na esfera processual.

    A TV Globo, por exemplo, não noticiou que na quinta-feira (26/04), quando esteve na Câmara Municipal liberando sua base de apoio – composta de 7 dos 19 vereadores – para a instauração da Comissão Processante, o prefeito Barbosa Neto (foto) propôs auditorias gerais nas contas do Executivo e do Legislativo, nos últimos oito anos. Este é o fato que deveriam focalizar, se pretendem mesmo prender os corruptos e corruptores. Para elucidar melhor a questão, incluo palavras do próprio Barbosa Neto, escritas em retorno que recebi dele na quarta-feira: “Não há um centavo de beneficio da empresa Centronic na emissora de rádio Brasil Sul. Tanto é que a Justiça Trabalhista já nos isenta de tudo isto, sem contar que a própria investigação feita pela CEI (Comissão Especial de Inquérito) não pediu a abertura de uma Comissão Processante contra o prefeito, quem pediu foi o ex-secretario exonerado por mim da Secretaria de Defesa Social por Gestão temerária, pra não dizer outra coisa, que se transformou em desafeto político!”

    E complemento com algo que me parece isento, o texto do executivo de vendas Silvio Luiz Lozam, que copiei da coluna “Opinião do Leitor” na Folha de Londrina (03/05/2012): De dezembro de 2010 a dezembro de 2011, a Prefeitura de Londrina conseguiu ganho financeiro de R$ 78 milhões entre receita e despesa, graças ao trabalho da consultoria INDG. Então pergunto: um prefeito que permite que uma consultoria séria como o INDG se estabeleça na sua administração e implante um Programa de Modernização de Gestão Pública (PMGP) tem um perfil corrupto? Muito pelo contrário! Nunca se fez tanto em tão pouoc tempo! E por fazer tanto, a administração está sujeita a erros e acertos. Então, há um legado de atos e editais para serem “auditados”, não pela visão do benefício para a cidade, mas para “achar brechas” e fomentar vinganças e “denuncismos”. Vejo a cidade bem administrada em todas as áreas, tudo graças à economia gerada pelo PMGP. Não consigo ver o “vilão” que querem mostrar, eu vejo os seus resultados. Mas, ao que tudo indica, está sendo derrotado pelo corporativismo enraizado na cidade e que não permite que Londrina cresça e se modernize.