Campagnolo, presidente da Fiep, elogia redução da taxa de juros

Edson Campagnolo: decisão acertada do governo Dilma Rousseff.

O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, considera que a nova redução da taxa de juros, somada à s recentes medidas de estímulo à  economia, abre caminho para que o governo federal avance na realização das reformas estruturantes necessárias para o crescimento sustentado do país.

A redução dos juros ao patamar mais baixo da história é mais um sinal de que vivemos um bom ambiente para que sejam atendidos os clamores da sociedade. O momento é propício para que o governo adote ações mais ousadas e inicie o processo de reformas de que o Brasil tanto precisa, como a tributária e fiscal!, afirma.

Na noite de quarta-feira (30), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou a redução de meio ponto percentual na taxa básica de juros, a Selic, que passou a ser de 8,5%. O índice é o mais baixo da série histórica, iniciada em 1986.

Essa decisão é muito bem recebida pelo setor produtivo e está de acordo com a preocupação que a presidenta Dilma e sua equipe econômica já vinham demonstrando ao anunciarem as recentes medidas de estímulo à  indústria!, diz Campagnolo.

Apesar disso, continuamos com taxas de juros reais entre as mais altas do mundo e há espaço para novas reduções!.

O presidente da Fiep ressalta ainda que o fato de a Selic ter chegado a 8,5% , disparando o gatilho que reduzirá o rendimento da poupança, não deve afetar a economia nacional e nem a credibilidade do governo.

A decisão do Copom de forma alguma despreza a poupança interna, mas valoriza o setor produtivo. O governo fez um jogo aberto e foi transparente ao alterar as regras de rendimento da poupança!, conclui Campagnolo.

1 Comentário

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. O requião baixou o imposto da sesta basica.por que contnua ainda esse imposto de 18%?.os supemercadistas não repassam a queda do imposto pra nos consumidor.o ministerio publico precisava olhar isso que é o papel deles.não se meter na politica.alem disso os crientes teem que colocar suas compras na sacola por que….isso não faz mal?o requião fez coisas boas aos pobres ,mas estes que ai estão quem são eles?estranho o modo deles de governar!se o governo zerar o imposto ninguem tera bons salarios e mercadoria baixo preço!a ganancia de investir na bolsa que leva o mundo a desgraça…pode investir na bolsa mas criar emprego.quando o lula assumiu o governo ,o imposto era o mesmo.o juro selic 42%.agora o juro é menos de 9% a selic .para os empresarios nada está bom. são chorões mas não diminui o proprio salario da diretoria e gerencia ,onde é o maior gasto da empresa .os agricultores pagam seus trabalhadores ,a maioria deles não tem um salario mensal de 800 reais.eu falo porque conheço,o agricultor é o ultimo a desfrutar de sua produção.por as outras empresas não fazem o mesmo?