Câmara de Curitiba: “Negócio Fechado”; a parte II vem aí

O caro leitor acha que a onda de escândalos que mancham a Câmara Municipal de Curitiba já acabou? Ledo engano. Vem aí a parte II da série de reportagens da RPC TV/Gazeta do Povo.

Primeiro, as denúncias de favorecimento de duas agências de publicidade na gestão do ex-presidente João Cláudio Derosso (PSDB). Coisa de R$ 34 milhões, de acordo com o Ministério Público.

Na sequência, a série “Negócio Fechado” mostrou que os vereadores — independentes de partidos a que pertenciam — também usufruíam das verbas publicitárias da Casa.

A próxima fase das denúncias, segundo informações obtidas pelo blog, tem a ver com a Receita Federal e entidades de utilidade pública que deixaram de prestar contas ao fisco.

Tem gente (vereador) pensando pedir para sair, literalmente. A conferir nas próximas horas.

5 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Será que vão falar do Paulo Salamuni e a verba de 250 mil, para a UEB, quando ele era vereador e presidente da entidade? Se isso não pode para a esposa do Sabino, não pode para o Salamuni.

  2. Quem nao meteu a mão que atire a primeira pedra. Isso é um problema da politica e da forma como ela é praticada hoje. Seria legal a gazetona fazer uma reportagem sobre quanto a PMC gastou em publicidade nos ultimo 8 anos – que jornais e emissoras foram beneficiadas – Aí sim o negócio será fechado por completo. Como estes vereadores são uns zé manés, deveriam propor a CPI da midia local.

  3. E os familiares dos vereadores,lotados nas regionais,ruas da cidadania e secretarias,terão seus nomes,cargos e salários disponibilizados aos cidadãos,como reza a lei??????????????

  4. TEM ALGUNS VEREADORES VÃO TER O SONO DO JUSTOS, MAIS OUTROS TANTOS VEREADORES TERÃO O SONO DO NELSON JUSTUS.

  5. E os cargos efetivos pros familiares?