Requião dá “chute no traseiro” do secretário-geral da Fifa

Senador Roberto Requião.

O senador Roberto Requião (PMDB), presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esportes do Senado, não quis nem ouvir falar no nome de Jerome Valcke, o secretário-geral da Fifa, aquele que disse que o Brasil precisaria de um “chute no traseiro”.

A Comissão havia aprovado uma reunião com o presidente da entidade futebolística, Joseph Blatter, para discutir a Lei Geral da Copa na próxima quarta-feira (11).

Ao saber que Blatter designará Valcke para representá-lo, Requião deu a seguinte sapeca:

Não queremos escutar o porta-voz da Fifa. O requerimento que havíamos aprovado era para receber Blatter, e não este bedel da Fifa. Se dependesse de mim, ele (Valcke) receberia um pontapé em suas redondas abundâncias.!

4 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. tv jornal na copa:brog. balater não chegará á copa de 2014” postado por claudio alcoforado,ás 7:52 horas. em 28 /3/2012…andrew jennings: em emtrevista publicano site do romario,o jornalista britanico andrew jennings assegura que,até a copa do mundo 2014,o presidente da fifa joseph bratter será derrubado como decorrencias das denuncias de fraude e corrupção na gestão da fifa..agora posto no brog do esmael.e tenho em mãos documentos da internet!

  2. na intrevista do canal aberto da band :foi falado que todos os encargos da folha de pagamento dos funcionarios .mal chega a seis por cento do faturamento ,das empresas .com cofins ,e outros encargos .o trabalhador brasileiro e barato para os empregadores ,o carro emportado dos eua chega ao mesmo preço do carro fabricado aqui.cujo o salario americano e mais elevado que o brasileiro.as empresas não querem gastar os 6% do faturamento,pelo modo das reclamações ,os empresarios querem zerar esses 6% tambem ,ai 100% cujo equivale o tripo.ainda dá para exportar ao brasil..

  3. lixo do Paraná!

  4. afronta foi mandar este “cidadão” para o Brasil.