Renata Bueno protocola pedido de afastamento de vereadores

Vereadora Renata Bueno.

A vereadora Renata Bueno (PPS) protocolou hoje, 30, um pedido de afastamento dos vereadores envolvidos, até então, nas ilegalidades dos contratos de publicidade da Câmara Municipal de Curitiba.

Renata requer o afastamento dos vereadores João Cordeiro (presidente da Câmara de Vereadores), Emerson Prado, Roberto Hinça (líder do prefeito e corregedor da Casa), Algaci Tulio e Francisco Garcez (presidente do Conselho de à‰tica).

A parlamentar do PPS diz que o pedido de afastamento que fez “é a continuidade da representação feito pelo seu mandato que culminou com a queda do ex-presidente da Câmara João Cláudio Derosso (PSDB”.

11 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Já que estamos falando de política: olha essa do PSC e do Ratinho Junior http://tribunadoscamposgeraisonline.blogspot.com.br/2012/05/psc-altera-diretorio-onde-o-ratinho.html

  2. isso SIm Renata! mostrando quem faz parte do “BANDO”

  3. A princípio eu achava que haveria uma renovação de 100% na câmara… devido às denúncias… mas há alguns dias percebi que alguns terão chance de se eleger, pois não tem vínculo com o mar de lama! A gazeta divulga uma pesquisa indicando a opinião de eleitores… bem chegaremos à 80% de renovação… que bom!

  4. Que bom a viajando Renata está de volta… Boa atitude a sua pendido isso, mas não pense que nos Curitibanos esquecemos que você ficou quase seu mandato todo fora da cidade…

    Renata, você devia fazer um livro meu mandato que passei na ITÁLIA…

    Povo não acredita apenas num belo rosto queremos ver a que veio para votar…

  5. PARABENS VEREADORA RENATA…DANDO BOM EXEMPLO POIS SEUS AMIGOS EDIS NAO TEM CORAGEM E SAO FROUXOS….

  6. nem tanto Renata, mas que os caras tem que ser afastados, a isso tem. ou melhor, todos tem de serem cassados, comprar notas frias, isso é crime.

  7. Ficar ausente das seções enquanto estava na Itália fazendo curso e recebendo dinheiro público também não merece cassação? O tratamento não deve ser igualitário?

  8. O CALDEIRÃO TÁ FERVENDO NA CÂMARA, TAMBÉM NINGUÉM TOLHERA MAIS TANTA ROBALHEIRA. A CÂMARA DE CURITIBA JÁ VIROU CASO DE POLÍCIA.

  9. domingo, 29 de abril de 2012A caminho da verdadeira abolição
    Algumas vezes me manifestei aqui a respeito do Supremo Tribunal Federal, para mencionar procedimentos no mínimo discutíveis, nem sempre ajustados com os interesses da sociedade, no seu clamor por justiça. Em alguns momentos, coloquei mesmo em dúvida ““ como ainda coloco ““ não só a forma de escolha de seus membros como a natureza vitalícia dos cargos. Muito recentemente, um dos seus ministros, referindo-se ao presidente do STF que acabara de deixar o cargo máximo da Corte, acusou-o de tentativas de manipulação das decisões lá prolatadas, algo tão inadmissível como o bate-boca que então se instaurou a respeito do assunto…

    Felizmente, porém, nem tudo são espinhos nessa área. Trago agora novamente o STF aqui para o meu texto, mas com outro objetivo, que é de enaltecimento de uma das suas mais dignas e justas decisões. Refiro-me àquela que considerou válido o sistema de reserva de vagas (conhecidas como “cotas”) para o ingresso dos afrodescendentes em nossas universidades, em julgamento provocado por ação impetrada pelo DEM ““ e não por acaso… ““ que arguia a ilegalidade da medida, por uma série de “inconstitucionalidades” invocadas, com argumentos vários, como a desvalorização da meritocracia, o risco da/ afirmação de uma visão racista, o desrespeito à autonomia universitária, e diversos outros que, no fundo, escondem a hipocrisia ancestral de confundir letras mortas da lei com a realidade, “presumindo” igualdades cuja negação a prática do nosso cotidiano denuncia a cada instante.

    A causa em questão não é apenas a causa de um grupo étnico historicamente penalizado e discriminado em nosso país. É uma luta de profundo sentido ideológico, um embate de cidadania, que envolve princípios de afirmação da diversidade e de respeito humano à alteridade. É mais um capítulo dessa saga que, partindo da ignomínia da escravidão, ainda espalha cicatrizes odiosas nos direitos mais fundamentais devidos aos componentes da sociedade humana.

    Foi em nosso país que, nas Américas, a escravatura experimentou o maior período de duração. Fomos o último dos países americanos que a extinguiu. E como as razões utilitárias de sua extinção não passaram por preocupações que buscassem então, paralelamente, as indispensáveis possibilidades de integração dos alforriados à sociedade, o que se vê, de lá para cá, é a disfarçada perpetuação de um desnível social degradante, que ““ alguém já o disse ““ transformou os “escravos do senhor” em “escravos do sistema”.

    Argumentar com algo que nos remete à discutível tese do “homem cordial brasileiro” para afirmar que inexiste o preconceito racial no país, ou que as oportunidades são iguais para todos, ou que a etnia branca não deve responder pelo problema dos negros, que já teriam vindo da África como escravos (tese defendida, por exemplo, pelo Senador Demóstenes Torres), parece ser discurso de quem ou não quer ver a realidade circundante com os olhos da verdade (os ingênuos, os alienados, os desinformados), ou, pior, de quem gostaria de que ela permanecesse como é (visão etnocêntrica, elitista, opressora, racista ““ pode-se escolher o adjetivo).

    O sistema de cotas faz parte do que se deve reconhecer como ações afirmativas, políticas de Estado eficazes que se destinam a corrigir ou remediar desvantagens sociais provocadas por estigmas preconceituosos. Tem como belíssimo fundamento a constatação de que, para corrigir – sem verborragias paliativas, mas com atitudes concretas – distorções que só podem envergonhar a nossa sociedade ““ e que saltam aos olhos- é preciso dar tratamento desigual para os desiguais. E de forma até radical (para quem quiser entender assim), porque essa é uma situação que nos lembra, analogicamente, a frase de Betinho,cunhada nos anos 90: “Quem tem fome tem pressa”.

    As cotas não são as melhores opções, não são soluções mágicas e são conjunturais . Bem melhor seria que já dispuséssemos de todos os mecanismo de igualdade e de inclusão que as tornassem desnecessárias . Elas são, porém, um auspicioso episódio no longo percurso ainda a trilhar, em que não se devem esquecer, além dos afrodescendentes, todos os outros segmentos desvalidos na sociedade, que estão a exigir outras medidas de implantação da democracia plena. Não se pode deixar de considerar, porém, para que se perceba o que está em jogo em ações como essa, que, no segmento dos 10% dos brasileiros mais pobres, 75% deles são negros ou pardos.

    Para terminar, um argumento trazido ao pleito pelos estudantes do Diretório Acadêmico da UERJ (primeira universidade que instituiu as cotas entre nós), e confirmado por autoridades educacionais que se debruçam sobre a matéria: já decorridos 10 anos da aplicação do critério, a percepção é de que, além de possibilitar um ambiente universitário mais democrático (a Universidade pública é do povo), a presença dos cotistas revela, objetivamente, que esses estudantes têm sabido aproveitar as oportunidades que lhe foram concedidas, com desempenhos de superação que os colocam no mesmo nível dos não cotistas, quando não em patamar superior a estes.

    A decisão do STF é para ficar nos anais da história desse país, que, mesmo às vezes a passos vagarosos, vai buscando caminhos para a superação de suas gritantes injustiças sociais.
    Rodolpho Motta LimaAdvogado formado pela UFRJ-RJ (antiga Universidade de Brasil) e professor de Língua Portuguesa do Rio de Janeiro, formado pela UERJ , com atividade em diversas instituições do Rio de Janeiro. Com militância política nos anos da ditadura, particularmente no movimento estudantil. Funcionário aposentado do Banco do Brasil.Direto da Redação.

    Postado por O TERROR DO NORDESTE às 15:04 0 comentários Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar no Orkut
    A Cachoeira da corrupção chega em Beto Richa

    O PiG, que é tão diligente quando tem um petista envolvido em falcatrua, não age da mesma forma quando o envolvido é um tucano.Ninguém vê Fernando Rodrigues, Josias de Souza, Merval Pereira, Cláudio Humberto, Élio Gaspari, Guilherme Fiúza, José Neumâne Pinto, Dora Kramer e outros saubujos, escreverem uma linha sobre as falcatruas dos tucanos.Todos ficam caladinhos, com o rabo entre as pernas.

    Pois bem.O Terror do Nordeste, que não é jornalista, só foi dar uma folheada no inquérito da Polícia Federal(Monte Carlos) para descobri que a ligação entre Cachoeira e os tucanos é muito mais do que se pensava.Até o momento, só vieram à tona os nomes de Perillo, Leréia, Vilela.Mas tem mais tucano envolvido.

    O mais recente nome envolvido no esquema de Carlinhos Cachoeira é o governador do Paraná, o tucano Beto Richa.

    Trechos de grampos da Polícia Federal, se não provam esse envolvimento, mostram que merece ser bem apurada, na CPI do Cachoeira, a ligação entre Beto Richa e Carlinhos Cachoeira.

    Vejamos parte do grampo que mostra um tal de MARRULA(a gangue de Cachoeira é pródiga em ter apelido, é Poli, é Gordinho, é MARRULA, MITSU) tentando fazer a aproximação entre Carlinhos Cachoeira e Beto Richa.

    MARRULA:(31”)- Falei com o CARLINHOS agora, o pessoal quer marcar para ver se a gente vai aí em SALVADOR, para conversar com aquela TURMA, a minha DICA pro CARLINHOS foi a seguinte:ele entra com a gente no PARANÁ, pra gente abranger o ESTADO inteiro, entendeu Lenine? Porque MEU PRIMO é muito(cortada) VICE-GOVERNADOR do Estado de lá, sabe? E quer levar o CARLINHOS CACHOEIRA para conhecer o BETO RICHA lá, e a gente pode aproveitar alguma coisa nisso, você concorda?

    LENINE:Certo.Inclusive o MITSU me ligou hoje, né? para mim marcar com ele, daí eu liguei pro pessoal lá em SALVADOR, né? E eles não confirmaram ainda se eles estão vindo essa semana aqui na semana que vem, um dos dois lá, são dois irmãos que são donos Iné? MARCOS E JOÃO tá no Rio, o MARCOS tá lá em Salvador, aí tô aguardando a resposta deles para saber se eles vem aqui em BRASÍLIA, porque geralmente uma vez por semana eles vem a Brasília, né? Se não vier profissional a única coisa que eles não baixam é aquele preço deles né?

    MARRULA:Não, entendi, porque eles são pequenino sabe? Só que eles estão com a faca e o queijo na mão porque o pessoal de lá, o SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA do Estado lá, NÓS QUE COLOCAMOS, o cara tem 37 anos, secretário da PF de lá e é GENTE DE MINHA CASA, GENTE DO MEU PRIMO.

    Como se percebe, a ligação entre Carlinhos Cachoeira e Beto Richa é patente.Cachoeira não só manda no governo de Goiás, governado pelo tucano Marconi Perillo, como também manda no governo do Paraná, governado por Beto Richa, tanto é que nomeou o SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DE GOIÁS E DO PARANÁ.

    Cabe a CPI do Cachoeira investigar essa denúncia a fundo.Vislumbra-se um final infeliz para o tucanato.

  10. ESMAEL, DIZEM QUE O ZE DOMINGOS ERA O BIBINHO DA CAMARA, E NÃO PODEMOS ESQUECER QUE ELE É DA ALTA DIREÇÃO DO PSB DE CURITIBA – LIGADO AO DUCCI , MESMO PARTIDO, ETC…

  11. Cabo Idalberto e o delegado Franceschini são íntimos e trabalhavam juntos criando matérias para o Consórcio Veja-Cachoeira-AlvaroDias? Será isso possível? O ínclito delegado-deputado, metido com Demóstenes e Companhia? Como assim? Será verdade? Não acredito!!! Franceschini Transferindo o título para Brasília? Como assim? Eu não estou entendendo mais nada…O Franceschini não é do “Bem” e Agnelo, do “Mal”?

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/57006/%E2%80%9CV%C3%ADtimas%E2%80%9D-de-arapongas-eram-os-espi%C3%B5es-do-DF.htm