Professores rejeitam ‘parcialmente’ propostas do governo do Paraná

Professores exigem implantação da hora-atividade imediatamente.

A assembleia geral dos professores da rede pública do Paraná rejeitou parcialmente, no último sábado (31), a proposta do governo de parcelamento do reajuste previsto na Lei do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN).

Os educadores querem o pagamento do reajuste seja retroativo ao mês de janeiro, como determina a Lei do Piso. Com relação aos salários dos funcionários de escola, a categoria reivindica aumento real de 7,16%, ainda no mês de abril, para o segmento (além dos 6,5% da data-base em maio).

A assembleia convocada pela APP-Sindicato rejeitou com veemência a implantação dos 33% de hora-atividade em 2013. A categoria exige que o cumprimento desse item previsto na Lei seja efetuado agora.

Os professores aceitaram a realização de um novo concurso para todas as disciplinas, necessidade que a APP vem defendendo repetidamente nas negociações, bem como a realização de uma nova dobra de padrão (após o levantamento da oferta real de vagas, que deve ficar entre 20 e 35 mil).

Os trabalhadores na Educação aprovaram uma nova paralisação no dia 26 de abril, com atos regionais, e uma nova assembleia estadual da APP para o dia 5 de maio.

Alguns educadores criticam a proposta de parcelamento do reajuste, pois, segundo eles, o governo age como as Casas Bahia ao propor suaves prestações a perder de vista!. A possibilidade de uma greve não está totalmente descartada.

1 Comentário

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Se o problema do Brasil fosse salários …deputados e senadores seriam os melhores “funcionários públicos” do mundo …