Panos quentes: PT diz que mantém alianças com o PMDB

* Deputado João Arruda minimiza crise com petistas

Deputada Luciana Rafagnin e Eduardo Scirea, ambos do PT, com Antônio Cantelmo Neto e o deputado Caíto Quintana, do PMDB. Foto: Thea Tavares.

Lideranças políticas de Francisco Beltrão se reuniram na manhã desta terça-feira (17) para aprofundar as discussões sobre a aliança dos dois partidos no município.

Desde o ano passado, as duas legendas têm reunido suas bases, visando o fortalecimento de uma aliança de oposição ao atual prefeito de Beltrão, Wilmar Reichembch (PSDB). Essa frente inclui ainda os diretórios municipais do PCdoB e do PV de Beltrão.

No Sudoeste há vários municípios em que PT e PMDB caminham juntos.

Ontem, o secretário-geral do PMDB, deputado João Arruda, havia informado que o partido pretendia romper com os petistas nos 399 municípios paranaenses. Hoje, no entanto, o peemedebista minimizou a crise ao dizer que “estou realmente insatisfeito com algumas posições do PT, mas isso não significa que vamos romper”.

Arruda jura que essa conversa [de rompimento] não tem nada a ver com a eleição em Curitiba e muito menos com o Gustavo Fruet (PDT).

“A ministra Gleisi Hoffmann foi muito correta com o PMDB de Campo Largo e não tem nada a ver com essa história”, garantiu o secretário-geral peemedebista.

4 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. O eleitor deve ter mal de visão.
    Claro que ganhou na maior folga com 49%, divida os outors 51% por dois e veja o quanto sobra para cada um.
    Agora se o Reichembach está fazendo uma péssima administração é outra coisa.

  2. Ganhou na maior folga? O Reichembach está governando com 49% dos votos, isso significa que mais da metade da população não votou nele. Acho que você está equivocado Jacaré. E a popularidade do Reichembach, é um gráfico descendente.

  3. É preciso muito conhecimento para entender a trama política de Chico Beltrão.
    Na eleição de 2.006 o prefeito Cordasso (que tinha o Reichembach – PSDB – de vice) apoiou incondicionalmente o Requião nos dois turnos. Tanto é que a diferença de votos em Chico Beltrão foram de quase 20.000 a favor do Bob Req. (o dobro da diferença entre ele e Osmar).
    No reboque veio a votação do Lula, altamente expressiva.
    COMPROMISSO; o PMDB deveria indicar o vice de Rochembach que iria ser candidato a prefeito.
    Influenciado pelo PT o PMDB lançou o Cantelminho (que ficou na rabeira), dividiram os votos e o Reichembach ganhou na maior folga.
    Na eleição de 2.010 o PMBD, PDT e PT mostraram a sua força, deram uma surra (de lavada) no Betico.
    Para a oposição é importante que esta aliança permaneça, pois já demonstrou que separados não tem a força necessaria nem para eleger a maioria de vereadores.
    O Joaozinho que fique em Brasília e deixe as alianças locais se acomodarem de acordo com suas realidades.

  4. Etâ Caíto, até parece que se esqueceu que ele garantiu a eleição em Francisco Beltrão com o apoio do prefeito Reichembach e do ex prefeito Cordasso, tenho até hj guardado os jornais de campanha que comprovam isso…