Por Esmael Morais

Justiça bloqueia bens de Derosso

Publicado em 18/04/2012

Segundo os promotores de Justiça Paulo Ovídio dos Santos Lima e Danielle Gonçalves Thomé, que assinam a ação, as investigações revelaram acúmulo de cargos públicos de servidores da Assembleia Legislativa do Paraná e da Câmara Municipal de Curitiba.

O MP-PR aponta que João Maria Vosilk, Suzana Schriepietcz Rodrigues Pires, Wilson Schabatura e Iara Rosane da Silva Matos, que é esposa de João Leal de Matos, tinham seus nomes utilizados para titularizar cargos no legislativo. No entanto, nunca teriam trabalhado naquele poder. Já o servidor público João Leal de Matos, além ocupar cargo efetivo da Assembleia Legislativa, foi nomeado para funções comissionadas de consultor das Comissões Permanentes na Câmara Municipal e de assistente parlamentar, no gabinete do ex-vereador Ehden Abib, irmão do ex-diretor-geral da Assembleia Abib Miguel (Bibinho).

Além da aplicação das sanções por ato de improbidade administrativa, o Ministério Público levantou os valores que teriam sido desviados com as nomeações dos servidores fantasmas! e pediu à  Justiça a indisponibilidade dos bens de Derosso, Ehden e João de Matos para garantir o ressarcimento ao erário (conforme o quadro abaixo), medida que foi agora deferida:

Rà‰U VALOR RESSARCIMENTO VALOR INDISPONIBILIDADE

João Cláudio Derosso R$ 545.680,35 R$ 1.637.041,05

Ehden Abib R$ 2.182.525,29 R$ 6.547.575,87

João Leal de Matos R$ 903.065,16 R$ 2.709.195,48