Justiça bloqueia bens de Derosso

por Josianne Ritz, via Política em Debate

João Cláudio Derosso.

A Justiça determinou o bloqueio dos bens do ex-presidente da Câmara de Curitiba João Cláudio Derosso, do ex-vereador Ehden Abib e do servidor público João Leal de Matos (valores no quadro abaixo). A decisão, da juíza Patrícia de Almeida Gomes Bergonse, da 8!ª Vara da Fazenda Pública, atende pedido liminar feito em ação protocolada no último dia 10, pela Promotoria de Proteção ao Patrimônio Público de Curitiba.

Na ação, o MP-PR pede a devolução aos cofres públicos de R$ 2,5 milhões, montante de dinheiro público que teria sido gasto indevidamente no pagamento de salários a funcionários fantasmas! do legislativo municipal.

A Promotoria requer ainda a condenação de Derosso, Ehden Abib e João Leal de Matos por ato de improbidade administrativa. Esses pedidos, no entanto, ainda aguardam decisão de mérito.

Segundo os promotores de Justiça Paulo Ovídio dos Santos Lima e Danielle Gonçalves Thomé, que assinam a ação, as investigações revelaram acúmulo de cargos públicos de servidores da Assembleia Legislativa do Paraná e da Câmara Municipal de Curitiba.

O MP-PR aponta que João Maria Vosilk, Suzana Schriepietcz Rodrigues Pires, Wilson Schabatura e Iara Rosane da Silva Matos, que é esposa de João Leal de Matos, tinham seus nomes utilizados para titularizar cargos no legislativo. No entanto, nunca teriam trabalhado naquele poder. Já o servidor público João Leal de Matos, além ocupar cargo efetivo da Assembleia Legislativa, foi nomeado para funções comissionadas de consultor das Comissões Permanentes na Câmara Municipal e de assistente parlamentar, no gabinete do ex-vereador Ehden Abib, irmão do ex-diretor-geral da Assembleia Abib Miguel (Bibinho).

Além da aplicação das sanções por ato de improbidade administrativa, o Ministério Público levantou os valores que teriam sido desviados com as nomeações dos servidores fantasmas! e pediu à  Justiça a indisponibilidade dos bens de Derosso, Ehden e João de Matos para garantir o ressarcimento ao erário (conforme o quadro abaixo), medida que foi agora deferida:

Rà‰U VALOR RESSARCIMENTO VALOR INDISPONIBILIDADE

João Cláudio Derosso R$ 545.680,35 R$ 1.637.041,05

Ehden Abib R$ 2.182.525,29 R$ 6.547.575,87

João Leal de Matos R$ 903.065,16 R$ 2.709.195,48

4 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Família criando “modus operandi”, exportação para o mundo: dois sobrenomes Abib na Ópera dos Fantasmas da ALEP e da CÂMARA MUNICIPAL. Os caras são bons nisso.

    Agora, se a moda pega, se todos tiverem que devolver salários de funcionários fantasmas, quem devolverá o salário que foi pago durante anos do Ex-Diretor de Futebol do Atlético Paranaense, Marilia, Joinvile, Santos, e agora Ponte Preta enquanto pagos ao Sr. Ocimar Bolicenho?

    Fantasma é fantasma, em qualquer lugar, se um ou mais podem ter fantasminhas em seus gabinetes por que o Bolicenho não pode ser um deles no TCE?

    Particularmente, nós, eu e a minha esposa, precisamos de uma auxiliar doméstica há anos em nossa casa. Não podemos pagar. Será que os Abibs não têm nenhuma fantasma que pudesse dar um ajudinha no serviço doméstico aqui em casa? Seria tão bom!…

    Elias Cordeiro

  2. depois desa sera que ainda tem gente de bem e carater para votar nesse pilantra chamado deroso que meteu a mao grande no dinheiro que esta faltando n saude n seguranca d nossa cidade reaja povo curitibano

  3. estamos perto de vê-lo de roupa laranja.